SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número4Imersão em água durante o trabalho de parto índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Acta Obstétrica e Ginecológica Portuguesa

versão impressa ISSN 1646-5830

Acta Obstet Ginecol Port vol.11 no.4 Coimbra out. 2017

 

NORMAS DE ORIENTAÇÃO CLÍNICA/GUIDELINES

Parto no Domicílio

Home births

SPOMMF


 

Os Hospitais são os locais mais seguros para o parto. No entanto, o direito das mulheres tomarem uma decisão informada quanto ao local onde querem que decorra o seu parto requer o correto esclarecimento acerca desse facto, por parte dos obstetras1-3.

A incidência de partos no domicílio tem vindo a aumentar4. Assim, o médico assistente deve informar a grávida da evidência atual relativa ao parto no domicílio e disponibilizar-se para continuar a vigiar a gravidez normalmente ou referenciar a outro colega1-3.

Os estudos relativos aos Partos no Domicílio têm revelado1-3,5,6:

(uso de ocitocina, analgesia epidural, perineotomia, parto instrumentado, cesariana);

(e 2 a 3x maior risco de grave disfunção neurológica 0,4-0,6%).

Desta forma, poderia ser permitida a possibilidade de parto no domicílio em4: grávidas de baixo risco cuidadosamente rastreadas; bom acompanhamento e suporte durante o trabalho de parto; plano de transferência para o hospital seguro e eficaz.

Em Portugal ainda não estão criadas estas condições.

Assim, a SPOMMF não recomenda o Parto no Domicílio.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. American College of, O. & Gynecologists' Committee on Obstetric, P. Committee Opinion No. 669: Planned Home Birth. Obstet Gynecol 128, e26-31 (2016).

2. Wax, J.R., Pinette, M.G. & Cartin, A. Home versus hospital birth—process and outcome. Obstetrical & gynecological survey 65, 132—140 (2010).

3. Snowden, J.M., Caughey, A.B. & Cheng, Y.W. Planned Out-of-Hospital Birth and Birth Outcomes. N Engl J Med 374, 2190-2191 (2016).

4. Declercq, E. Planned home birth. in UpToDate.

5. NICE. Intrapartum care for healthy women and babies: NICE guideline nº 190. Vol. 2017 (National Institute for Health and Care Excellence, 2014).         [ Links ]

6. RCOG. Home Births: Joint statement No.2, April 2007. (Royal College of Obstetricians and Gynaecologists, 2007).         [ Links ]

7. Zielinski, R., Ackerson, K. & Kane Low, L. Planned home birth: benefits, risks, and opportunities. Int J Womens Health 7, 361-377 (2015).

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons