SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número2-3Impacto do treino de força no tempo de partida em jovens nadadoresThe two methods of teaching swimming in hungarian schools índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. vol.14 no.2-3 Ribeira de Pena out. 2018

 

ARTIGOS

A influência de um ciclo de treino da força em curtas distâncias de nado

Tiago J. Lopes1, Carlota A. Gonçalves1, Henrique P. Neiva1,2, Daniel A. Marinho1,2

1 Departamento de Ciências do Desporto da Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal;

2 Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano, CIDESD, Vila Real, Portugal


 

Introdução
Variáveis associadas ao treino de força revelam-se como indicadores de performance em curtas distâncias na natação. Um programa específico de treino de força (TF) poderá aumentar a taxa de produção de força, resultando em melhorias na performance (Marques et al., 2011). O presente estudo pretende avaliar a influência do TF na melhoria da performance de nado (PN) nos 50 e 100m livres.

Métodos
Catorze nadadores masculinos (idade: 20.57±1.79anos; massa corporal: 72.14±5.78kg; altura: 179.86±4.96cm) participaram no estudo. O grupo experimental (GE) foi sujeito a um TF de 8 semanas, que complementou o treino de água, enquanto que o grupo de controlo (GC) foi somente sujeito ao treino de água. A performance foi avaliada nos 50 e 100m livres, enquanto que a força foi avaliada no agachamento (SQ), supino reto (BP), salto com contramovimento (CMJ) e com mãos livres (CMJFA) e lançamento de bola medicinal (MBT). Para comparar as diferenças entre os dois períodos de avaliação (M1 e M2) entre os dois grupos, utilizou-se a ANOVA bidirecional, com medidas repetidas com um fator (momento de avaliação), considerando as variáveis em estudo.

Resultados
Na Tabela 1 é apresentada uma interação significativa em MBT e moderada nas restantes variáveis analisadas quando se compara pré vs pós treino em cada grupo. No desempenho de nado a interação (grupo vs. momento) foi significativa no 2º parcial de 50m nos 100m (p<0.01; np2=0.50), no tempo de 100m (p<0.05; np2=0.42), e no 1º parcial aos 25m nos 50m (p<0.01; np2=0.29).

 

 

Discussão e Conclusão
Os resultados demonstram que os indicadores de TF estão associados à melhoria do desempenho de sprint durante o nado.

 

REFERÊNCIAS

Marques, M. C., Zajac, A., Pereira, A., &Costa, A. M. (2011). Strength training and detraining in different populations: Case Studies. Journal of Human Kinetics, 7-14.         [ Links ]

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons