SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número4Pressupostos de Validação de um Questionário de Avaliação PsicossocialO treino da flexibilidade muscular e o aumento da amplitude de movimento: uma revisão crítica da literatura índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.4 n.4 Santa Maria da Feira dez. 2008

 

Avaliação Táctica no Voleibol – O posicionamento defensivo e zonas vulneráveis em função da zona do ataque adversário no 5º jogo da fase final do Play-Off Divisão A1

 

Paulo Jorge Martins Mourão1

Francisco José Miranda Gonçalves 2

 

1 Licenciado em Educação Física pelo ISMAI e Mestre em Ciências do Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

2Licenciado e Doutorando em Educação Física e Desporto Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

 

 

RESUMO

Para atingir o objectivo do jogo de Voleibol, os jogadores devem executar acções individuais, que numa estrutura específica, formam o pensamento táctico. Assim, é importante verificar as acções de jogo, neste caso o pensamento táctico defensivo para encontrar a melhor forma para o contrariar.

O presente estudo, pretende analisar a organização táctica defensiva, assim como o local de embate da bola no solo, em função da zona de ataque, tentando encontrar um padrão de zonas vulneráveis.

Foram analisadas as acções ofensivas que originaram ponto directo, das equipas presentes no 5º jogo da final do Play-Off (Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Espinho), do campeonato de sénior masculino de Voleibol. Foi analisado o posicionamento defensivo da equipa, assim como o local de embate da bola, dividindo-se o campo em 9 zonas defensivas.

Concluiu-se que as zonas defensivas do Benfica mais vulneráveis são as áreas mais próximas da linha dos 3 metros. Por sua vez, o Espinho apresenta vulnerabilidade no centro e na esquerda, atrás da linha dos 3 metros.

A pertinência desta análise táctica quantitativa, permite determinar como deverá ser planeada a estrutura táctica ofensiva das equipas adversárias, com o intuito de procurar explorar estas zonas vulneráveis.

Palavras-chave: Voleibol, Organização Táctica Defensiva, Zonas Vulneráveis.

 

 

ABSTRACT

To hit the Volleyball game’s objective, the players must perform individual actions that in a specific structure form the tactic thought.  Thus, it is important to verify the game’s actions, in this case the defensive tactic thought to find the best form to oppose it.

The present study, intends to analyze the defensive tactic organization, as well as the place of touch of the ball in the ground, in function of the attack zone, trying to find a vulnerable zones standard.

The offensive actions that had originated direct point, of the teams presents in 5º game of the end of the Play-Off, of the championship of masculine senior of Volleyball (Sport Lisboa e Benfica and Sporting Club de Espinho), had been analyzed. The defensive positioning of the team was analyzed, as well as the place of touch of the ball, dividing the field in 9 possible defensive zones. We concluded that the Benfica’s defensive zones most vulnerable are the areas next to the line of the 3 meters. In turn, the Espinho presents vulnerability in the centre and the left, behind the line of the 3 meters.

The relevancy of this quantitative tactic analysis, allows to determine as the offensive tactic structure will have to be plan by the adversaries teams, with intention to explore these vulnerable zones.

Keywords: Volleyball, Defensive Tactic Organization, Vulnerable Zones.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências

 

[1] Moutinho, C. A. (1998). O ensino do Voleibol. A estrutura funcional do Voleibol. In Graça A., Oliveira. J. O Ensino dos Jogos Desportivos. 3ª Edição. pp. 137-152        [ Links ]

[2] Mesquita, I. (1998). O ensino do Voleibol. Proposta Metodológica. In Graça A., Oliveira. J. O Ensino dos Jogos Desportivos. 3ª Edição. Pp. 153-199

[3] Shondell, D., Reinaud, C. (2002) The Volleyball Coaching Bible. Human Kinetics Publishers Inc.: Champaign, IL, USA.

 

 

Correspondência

Francisco Gonçalves

Travessa Comendador Seabra da Silva n.º 226,

3720-297 Oliveira de Azeméis

E-mail: franciscojmg@gmail.com / xicoze7@hotmail.com

Telemóvel: 917 668 858 / 966 833 562

Telefone: 256285335

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons