SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número4Treino Proprioceptivo na Prevenção e Reabilitação de Lesões nos Jovens AtletasAvaliação Táctica no Voleibol: O posicionamento defensivo e zonas vulneráveis em função da zona do ataque adversário no 5º jogo da fase final do Play-Off Divisão A1 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.4 n.4 Santa Maria da Feira dez. 2008

 

Pressupostos de Validação de um Questionário de Avaliação Psicossocial

 

Paulo Jorge Martins Mourão1

Francisco José Miranda Gonçalves 2

 

1 Licenciado em Educação Física pelo ISMAI e Mestre em Ciências do Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

2Licenciado e Doutorando em Educação Física e Desporto Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

 

 

RESUMO

Este estudo tem por objectivo verificar a possibilidade de validação de um questionário sobre os comportamentos do treinador.

Vários estudos, mostram que os atletas se modificam devido às acções dos seus treinadores, mas revelam também, que os treinadores podem ser influenciados pelas relações que estabelecem com os seus atletas. Assim, numa equipa desportiva, os estados emocionais e as acções do treinador influenciam a satisfação dos atletas e, portanto, o seu desempenho (Duarte, 2004).

Participaram neste estudo 140 indivíduos (n=140) de ambos os sexos, praticantes de modalidades desportivas colectivas. Partindo do estudo de Chelladurai (1984) citado por Cruz & Gomes (1996), elaboramos um questionário, onde foram divididos os comportamentos do treinador em diferentes itens.

Após a aplicação dos questionários, realizámos uma análise factorial exploratória de maneira a agrupar os vários itens em relação aos factores que constituem o constructo.

Os resultados demonstram uma validade aparente pois obtivemos um KMO e um teste de esfericidade de Barllett de 0,805, para um X2=1203,979 com 153º de liberdade, sendo este valor suficiente para a análise das componentes principais.

Contudo, perante os resultados da análise das componentes principais, verificámos que as questões não estão correctamente agrupadas pelo que a validação não é exequível.

Palavras-chave: Análise factorial Exploratória; Constructo; Comportamentos treinador

 

 

ABSTRACT

This aim of this study is to verify the possibility of validation of a questionnaire of the coach behaviors.

Some studies shows that the athletes modifing himself due to the coach behaviors, but also shows, that the coach can be influenced by the relations that establish with his athletes.  Thus, in one sport team, the emotional states and the coachs behaviors influence the satisfaction of the athletes and, therefore, its performance (Duarte, 2004). 

140 subjects (n=140) of both sex, practitioners of collective sports, had participated in this study. Considering the study of Chelladurai (1984) cited by Cruz & Gomes (1996), we elaborate a questionnaire, where the coach behaviors had been divided in different itens.

After the application of the questionnaires, we achieved one exploratory factor analysis in way to group the several itens in relation to the factors that constitute the contents. 

The results shows an apparent validity because we got a KMO and a Barllett’s Test of Sphericity of 0,805 for a X2=1203,979 with 153º of freedom, being this value enough for the analysis of the main components. 

However, before the results of the analysis of the main components, we verified that the questions are not well grouped, wherefore the validation is not executable.

Keywords: Exploratory Factor Analysis; Contents; Coach Behavior

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Bibliografia

Anastasi, A. & Urbina, S. (2000). Testagem Psicológica. (7.ª Edição). Porto Alegre: Edidora Artmed.        [ Links ]

Barrow, J. C. (1977). The variables of leadership: a review and conceptual framework. Academy of Management Review, 2, 231-251.

Bryant, F. B. & Yarnold, P. R. (s.d). Principal-Components Analysis and Exploratory and Confirmatory Factor Analysis. In J. M. Silva & R. S. Weinberg (Eds.), Psychological Foundations of Sport (pp. 329 - 339). Champaign, illinois: Human kinetics Books.

Chelladurai, P. (1984). Leadership in sports. In J. M. Silva & R. S. Weinberg (Eds.), Psychological Foundations of Sport (pp. 329 - 339). Champaign, illinois: Human kinetics Books.

Cruz, J. F. & Gomes, A. R. (1996). Liderança de equipas desportivas e comportamentos do treinador, Manual de Psicologia do Desporto (pp. 389 – 408) Braga: Sistemas Humanos e Organizacionais.

Duarte, A. M. (2004). Promover a melhoria da relação atleta-treinador. Treino Desportivo 24, 14-21.

Etchepare, L. & Pereira, É. (2004). Proposta e validação de um instrumento para a avaliação de vivências em educação física. Revista digital: efdeportes; [on-line], disponível em: http://www.efdeportes.com.

Fonseca, Pedro M.; Fonseca, António M. (1997); Estilos de liderança preferidos e percepcionados na esgrima de alto nível em Portugal: Será a perspectiva dos atletas semelhante à dos seus treinadores? Actas: V Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa. (pp. 431-439).

Frias, J. (2000). Treinos mais eficazes - A relação treinador atleta. Training, 2, 4-5.

Martens, R. (1990). Successful Coaching. (2.ª Edição). Editora Leisure Press.

Pires, G., Colaço, C., Monteiro; E. & Marcelino, J.(1999). O triângulo do poder para uma liderança eficaz. Revista Ludens, 16, (1), 47 - 67.

Serpa, S. (1990). O treinador como líder – Panorama actual da investigação. Revista Ludens, 12, (2), 23 - 32.

Terry, P. (1996). The psychology of the coach- athlete relationship. In Bull, S. J. (Eds), Sport Psychology- A self-help guide (pp. 103 - 122).

Weinberg, R. & Gould, D. (1995). Leadership, Foundations of Sport and Exercise Psychology (pp. 203 – 219). USA: Human Kinetics.

Horn, T. S. (1992). Leadership Effectiveness in the Sport Domain. In Horn, T. S. (Eds), Advances in Sport Psychology (pp. 181 - 199). Champaign, illinois: Human kinetics Publishers.

Penedo, J. (2000). Estudo longitudinal de liderança e clima motivacional percepcionado por ginastas de classes representativas. Tese de mestrado não publicada, Universidade Técnica de Lisboa – Faculdade de Motricidade Humana, Lisboa, Portugal.

 

 

Correspondência

Francisco Gonçalves

Travessa Comendador Seabra da Silva n.º 226,

3720-297 Oliveira de Azeméis

E-mail: franciscojmg@gmail.com / xicoze7@hotmail.com

Telemóvel: 917 668 858 / 966 833 562

Telefone: 256285335

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons