SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número4A Avaliação da Composição Corporal: A Medição de Pregas Adiposas como Técnica para a Avaliação da Composição CorporalTreino Proprioceptivo na Prevenção e Reabilitação de Lesões nos Jovens Atletas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.4 n.4 Santa Maria da Feira dez. 2008

 

A Utilização dos Membros Superiores nos Saltos Verticais – Estudo Comparativo entre um Salto sem Contramovimento sem a Utilização dos Membros Superiores e um Salto sem Contramovimento com a Utilização Dos Membros Superiores

 

Paulo Jorge Martins Mourão1

Francisco José Miranda Gonçalves 2

 

1 Licenciado em Educação Física pelo ISMAI e Mestre em Ciências do Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

2Licenciado e Doutorando em Educação Física e Desporto Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

 

 

RESUMO

A acção motora “saltar” é um movimento desportivo fundamental e está presente em variadíssimas modalidades desportivas. Partindo do princípio que muito do sucesso desportivo assenta nesta acção, é de extrema importância, a optimização deste gesto para um melhor rendimento desportivo. Uma das formas de o fazer, é realizar um balanço com os membros superiores. O objectivo do nosso estudo, é a comparação entre a performance de um salto sem contramovimento sem balanço dos membros superiores e de um salto sem contramovimento com balanço dos membros superiores.

A amostra foi constituída por um indivíduo (altura=1.75; peso=75kg, idade=26anos) que realizou um salto sem contramovimento sem o balanço dos membros superiores e um salto sem contramovimento com balanço dos membros superiores na fase ascendente. A recolha, tratamento e análise de ambos os saltos foram feitos através de técnicas de cinemática.

Com base nos resultados obtidos, concluímos que, o balanço dos membros superiores na realização de um salto vertical, leva a um aumento da performance, aumentando a velocidade do centro de gravidade na saída do solo. Essa melhoria pode dever-se a vários factores, entre os quais se destaca a existência de mecanismos contra produtivos e a existência de mais tempo para realizar força, nos saltos com balanço dos membros superiores.

Palavras-chave: Salto vertical; Membros Superiores; Balanço; Cinemática

 

 

ABSTRACT

The motor action “jump” is a fundamental sport movement and is present in many sport activities. Considering that the success of several sports come from this action, it’s extremely important to optimize it, to enhance the sport performance. One way to do that, in agreement with several investigators, it’s swinging with the arms. The aim of this study is the comparison between the performance of a non-arm swing vertical jump and an arm swing vertical jump.

One subject male (height=1,75m; weight=75kg; age=26years) performed one non-arm swing vertical squat jump and a arm-swing vertical squat jump.

We used the Kinematics techniques to capture and analyze both jumps.

Based in the results, we concluded that the arm swing, enhance the performance of a vertical jump, enhancing the take-off velocity of the gravity center. This enhance could be explained based in many factors, like the presence of counter productive mechanisms and the existence of more time to perform force, in arm-swing vertical jumps.

Keywords: Vertical jump; Arms; Swing; Kinematics.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências Bibliográficas

[1] Aragón-Vargas, L. F. & Gross, M. M. (1997a). Kinesiological Factors in Vertical Jump Performance: Differences Among Individuals. Journal of applied Biomechanics 13, 24-44.        [ Links ]

[2] Aragón-Vargas, L. F. & Gross, M. M. (1997b). Kinesiological Factors in Vertical Jump Performance: Differences Within Individuals. Journal of applied Biomechanics 13, 45-65.

[3] Ashby, B. M. & Heegaard, J. H. (2002). Role of arm motion in the standing long jump. Journal of Biomechanics 35, 1631-1637.

[4] Davis, D. S., Briscoe, D. A., Markowski, C. T., Saville, S. E., & Taylor, C. J. (2003). Physical characteristics that predict vertical jump performance in recreational male athletes. Physical Therapy in Sport 4, 167-174.

[5] Harman, E. A., Rosenstein, M. T., Frykman, P. N., Rosenstein, R. M. (1990). The effects of arms and countermovement to vertical jumping. Medicine and Science in Sports and Exercise 22, 825-833.

[6] Lees, A., Vanrenterghem, J., & De Clercq, D. (2004). Understanding how an arm swing enhances performance in the vertical jump. Journal of Biomechanics 37, 1929-1940.

[7] Le Pellec, A., & Maton, B. (2000). Antecipatory postural adjustments depend on final equilibrium and task complexity in vertical high jump movements. Journal of Electromyography and Kinesiology 10, 171-178.

[8] Le Pellec, A., & Maton, B. (2002). Initiation of a vertical jump: the human body’s upward propulsion depends on control of forward equilibrium. Neuroscience Letters 323, 183-186.

[9] Seyfarth, A., Friedrichs, V., Wank, V., & Blickhan, R. (1999). Dynamics of the long jump. Journal of Biomechanics 32, 1259-1267.

[10] Vanrenterghem, J., Lees, A., Lenoir, M., Aerts, P., & De Clercq, D. (2004). Performing the Vertical Jump: Movements adaptations for submaximal jumping. Human Movement Science 22, 713-727.

[11] Vanrenterghem, J., Lees, A., & Maton, B. (2000). Antecipatory postural adjustments depend on final equilibrium and task complexity in vertical high jump movements. Journal of Electromyography and Kinesiology 10, 171-178.

 

 

Correspondência

Francisco Gonçalves

Travessa Comendador Seabra da Silva n.º 226,

3720-297 Oliveira de Azeméis

E-mail: franciscojmg@gmail.com / xicoze7@hotmail.com

Telemóvel: 917 668 858 / 966 833 562

Telefone: 256285335

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons