SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número3Morfologia e Crescimento dos 6 aos 10 anos de idade em Viana do Castelo, PortugalModificações Agudas dos Níveis Séricos de Creatina Quinase em Adultos Jovens Submetidos ao Trabalho de Flexionamento Estático e de Força Máxima. índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.4 n.3 Santa Maria da Feira set. 2008

 

A prática da atividade física: estudo comparativo entre os alunos de graduação da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas, Brasil)

 

Mariângela Gagliardi caro Salve

 

Depto de Ciências do Esporte da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas

 

 

 RESUMO

A prática regular e sistematizada é fundamental para a saúde do ser humano.  Diante dessa perspectiva, interessou-nos conhecer e comparar o nível de  importância e os interesses dados à prática da atividade física pelos alunos da Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Foram selecionados 1350 indivíduos, de ambos os sexos, com idade entre 17 e 22 anos, alunos da UNICAMP, matriculados em período integral, de nove cursos de graduação, sendo estes: Enfermagem, Educação Física, Biologia, Pedagogia, Dança, Música, História, Matemática e Computação. Pode-se observar que somente os alunos do curso de Educação Física, mais da metade (89%), praticam atividade física de forma satisfatória com o mínimo de três vezes por semana e duração de trinta minutos. Observa-se que a prática da atividade física deve aos seguintes aspectos considerados: o combate e controle aos fatores estressantes seguido da manutenção do condicionamento físico, estética, socialização, saúde, qualidade de vida e por últimos estão o lazer e o ganho ou a manutenção da hipertrofia muscular. O futebol, a musculação, o condicionamento físico, corrida e a ginástica localizada foram as atividades mais procuradas. Assim, sugerimos aos coordenadores dos cursos de Graduação da UNICAMP que reservem espaços e tempo aos alunos  para a prática da atividade física.

Palavras-chave: atividade física, sedentarismo, cursos de graduação.

 

 

The practice of physical activity: a comparative study among UNICAMP (State University of Campinas, Brazil) graduating students.

ABSTRACT

  Regular and systematic practice is fundamental to the health of the human being. Facing this perspective, we became interested in knowing and comparing the level of importance and interest given to the practice of physical activity by the State University of Campinas (UNICAMP) students. 1350 Unicamp students from 17 to 22 years old, of both sexes, and enrolled in nine full-time graduation courses such as Nursery, Physical Education, Biology, Pedagogy, Dancing, Music, History, Mathematics and Computer Science, were selected. It could be observed that only in the Physical Education course, more than half of them (89%) practiced a physical activity in a satisfactory way, that being a minimum of 30 minutes, three times a week. It could also be observed that the practice of a physical activity is due to the following considered aspects: Combat and control of stressing factors, followed by the maintenance of physical conditioning, esthetics, socializing, health, quality of life, and last, leisure and the gain or maintenance muscular hypertrophy. Soccer, weight lifting, physical conditioning, running and localized gymnastics were the most enrolled activities. Therefore we suggest to the coordinators of UNICAMP´s graduation courses that they save time and space for students to practice a physical activity.

Key words: physical activity, sedentarism, and graduation courses.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

1. Achour Jr (1996). Efeitos das atividades físicas nos componentes herdados  predisponentes a doenças cardiovasulares.Rev. Bras.  Ativ. Fís. Saúde 1(4):53-62.        [ Links ]

2.Almeida Filho N, Rouquariol MZ (1990). Introdução à epidemiologia moderna. Rio de Janeiro: Abrasco.

3.Assupção Lot, Moraes PP, Fontoura H (2002). Relação entre atividade física, saúde e qualidade de vida.Rev. Digital :52

4.Barbanti W (1991). Aptidão Física e Saúde. Rev. Festur 3(1) :5-8.

5.Bar-or O, Foreyty J, Bouchard C, Brownell KD, Dietz WH, Ravussin E, Arline D, Salbe AD, Schwrnger S, ST. Jeor S, Torun B (1998). Physical activity, genetic, and nutrition considerations in chidhood weight menagement. Med.  Sci. Sports  Exerc. 30(10) :2-10.  

6.Bluenthal Ja, Emery Cf, Walsh Ma, Cox Dr, Kuhn Cm, Williams Rb (1988). Exercise training in healthy type A middle-aged men. Effects on behavioral and cardiovascular responses. Psychosomatic Med. 50:  418-433.

7.Calfas Kj, Sallis Jf, Nichols Jf  (2000). Project grad: two years outcomes of a randomized controlled physical activity intervention among young adults. Am. J. Prev. Méd. 18: 28-36.

8.Carvalho RVG (2003). Perfil de demanda de alunos egressos em academia de ginástica. In: Anais...XXVI Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. Atividade física Construindo Saúde São Paulo, 94.

9.Carvalho T (1995). Doenças crônico-degenerativas no Brasil In: Brasil, Ministério da Saúde-Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas. Orientações básicas sobre atividade física e saúde para os profissionais das áreas de educação saúde. Brasília : Ministério da Saúde :15-26.

10.Corbin C, Lindsey R (1997). Concepts of physical fitness: Brown & Bechmark Pubilshers.

11.Crews Dj, Landers DJ (1987). A meta- analitic review of aerobic fitness and reactivity of psychosocial stressors. Med. Sci. Sports Exerc. 19 (suppl.) :114-120.

12.Dantas M do SM.Perfil social e motivações dos usuários de academias de ginástica da cidade Maceió.Dissertação (Mestrado em Educação Física)-PPGEF, Universidade Gama Filho, 1998.

13.Dishman, RK (1994). Introduction: consensus, problems, and prospects. In DISHMAN RK ed. Advances in exercise adherence. Champaign: Human Kinetics, 1-28.   

14.Dishman RK (1993). Exercise adherence. In: SINGER, R.N. & TENNANT, L.K., ed. Handbook of Research Sport Psychology.New York: McMillan :779-97.

15.DERC (1999) http://www.cardiol.br/derc/poscient.htam. 02/05/1999, 10 :10 horas.

16.Fiatarone M, Marks Ec, Ryan Nd, Merdith Cn, Lipsitz La, Evans WJ (1990). High intensity strength training in monagenarians. Journal  of the American Medical Association 263 :3029-3034. 

17.Fernandes Filho JA (2003). A prática da avaliação física. 2 ed. Rio de Janeiro: Shape.

18.Guthrie Jr, Smiht, Ama, Dennerstein L, Morse C. (1995). Physical activity and menopause experience: a cross-sectional study. Maatiritas 20 :71.

19.Litvak J et al (1987). The growing noncommunacable disease burden, a challenge for the conuntries of the Americas. Bull. Pan Am Health Organ.  21 :156-171.

20.Matsudo, V. et al. (1996) Exercício e Qualidade de Vida. In: Anais... Congresso Latino Americano. Esporte, Educação e Saúde, Foz do Iguaçu, 1996.Foz do Iguaçu: 85-89.

21.Moritz MR. Atitudes de universitários da Universidade Federal do Paraná em relação a prática de atividade Física e Desportos. São Paulo. Dissertação de Mestrado, Escola de Educação Física, USP, 1988.

22.Nieman DC (1998). The exercise-health connection. Champaign: Human Kinetics.

23.Okuma SS (1994). Fatores de adesão e desistência das pessoas aos programas de atividade física. In: Anais...Semana da Educação Física. São Paulo. São Paulo: Departamento de Educação Física. Faculdades de ciências Biológicas e da Saúde. Universidade são Judas Tadeu :30-6.

24.Padovani CR (2001) Noções básicas de bioestatística. In: CAMPANA AO et al., Investigação cientifica na área medica. São Paulo:  Manole, 153-202.

25.Pohl HH (2000). Importância da ginástica laboral no resgate da corporiedade. Cinergis 1(2) :77-107.

26.Pereira MG (1990). Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Abrasco.

27.Ramos MG.Explorando as relações do grau de sedentarismo de alunos ingressantes na Universidade Estadual de Campinas. Campinas. Dissertação  (Mestrado em Educação Física). Faculdade de Educação Física, UNICAMP, 1998.

28.Ramos, Mg Galdi Eh Salve Mgc Gonçalves A (2004). Atividade Física em extensão universitária. Estudo descritivo sobre o perfil de usuários na UNICAMP. In: Pelegrinotti IL Performance Humana:saúde e esporte. Ribeirão Preto: Tecmeed,139-157.

29.Rufino Vs, Soares Lf Da S.  Santos DL (2000). Características de  freqüentadores de academias de ginástica do Rio Grande do Sul. Kinesis 22 :57-68.

30.Saba FKF. Determinantes da pratica de exercícios físicos em academias de ginástica. Dissertação (Mestrado em Educação física). São Paulo, Faculdade de Educação Física-Unicamp, 1999.

31.Salve MGC (2003).Análise da intervenção de um programa de atividade física nos hábitos de lazer Rev. Bras. de Saúde Ocup.28(105/106) :73-82.

32.Stahl T  Rutten A Nutbeam D Bauman, A. Kannas, L. et al.,(2001).  The importance of the social environment for physically active lifestyle-results from INTERNATIONAL TUDY. Social Science and Medicine 52 :1-10.

33.Samulski DM (2002). Psicologia do esporte. Taubaté: Manole.

34. Samulski Dm, Noce F (2000). A importância da atividade física para a saúde e qualidade de vida: um estudo comparativo entre professores, alunos e funcionários da UFMG. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde. 5(1).

35.Waib Ph, Burini RC (1995). Efeitos do Condicionamento Físico Aeróbio no Controle da Pressão Arterial.Arq Bras Cardiol. Botucatu 64(3) :243-246.

 

Data de submissão: Julho 2005

Data de Aceite: Agosto 2007

 

Correspondência

Cidade Universitária “Zeferino Vaz”

Campinas, São Paulo, Brasil

CEP: 13.083.970

C.P.: 6134

e-mail: gagliardi@fef.unicamp.br

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons