SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número1Consumo máximo de oxigênio e estágio de maturação sexual de crianças e adolescentesContribuição das bebidas para a hidratação, antes, durante e depois da actividade física em estudantes universitários índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.4 n.1 Santa Maria da Feira mar. 2008

 

Perfil da resistência cardiorespiratória em mulheres idosas com sobrepeso do programa de atividade física no SESC de Nova Friburgo /RJ/ Brasil.

 

Helio Lemos Furtado1,3,4,

Fabio Dutra Pereira3,4 ,

Maria Helena Rodrigues Moreira2,

Estélio Henrique Martin Dantas 1,3,4.

 

1-Universidade Castelo Branco

2- Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro

3- LABIM – Laboratório de Biociências da Motricidade Humana – UCB

4- GDLAM – Grupo de Desenvolvimento Latino-Americano da Maturidade

5- NEPE – Núcleo de Estudos e Pesquisas do Envelhecimento

 

 

RESUMO

O objetivo do estudo foi investigar se um programa de atividade física promove melhoras significativas na capacidade cardiorespiratória de idosas. Participaram do estudo 71 gerontes do sexo feminino, sendo divididas em quatro grupos nas respectivas faixas etárias: G1 (60-64 anos; n=29), G2 (65-69 anos; n=22), G3 (70-74 anos; n=11) e G4 (75-79 anos; n=09). A aptidão cardiorespiratória foi avaliada através do teste de caminhada de 6 minutos de Rikli e Jones (1998). Foi utilizado o teste Shapiro-Wilk, para verificação da gaussianidade da amostra, com nível de significância < 0,05, utilizou-se o programa SPSS 10.0 for Windows. Analisando a variável distância percorrida, obteve-se as seguintes médias: G1 = 526 m, G2 = 509,7 m, G3 = 491,3 m e G4 = 479,4 m, pode-se concluir que somente o G1 não obteve seu valor dentro da faixa de referência. Considerando a possibilidade da não especificidade da prescrição do exercício físico para cada faixa etária apresentada pelos grupos estudados, o programa de atividade física realizado foi capaz de proporcionar a 60,5% daquelas idosas, um perfil satisfatório para a resistência cardio-respiratória.

Palavras Chaves: resistência cardiorespiratória, idosas, sobrepeso e atividade física

 

 

Cardiorespiratory resistance profile in elderly women with overweight in SESC of Nova Friburgo/Rio de Janeiro – Brasil of physical activity program

ABSTRACT

The study objective was to investigate if one physical activity program promotes significant improvements in the cardiorespiratory capacity in elderly. They had participated of study 71 feminine elderly people, being divided in four groups in the respective age band: : G1 (60-64 years old; n=29), G2 (65-69 years old; n=22), G3 (70-74 years old; n=11) e G4 (75-79 years old; n=09). The cardiorespiratory fitness was evaluated through the 6 minutes walked test (Rikli and Jones 1998). After that, for normality verification had been used the Shapiro-Wilk test, with significance level < 0,05, was used program SPSS 10,0 for Windows. Analyzing the covered distance changeable, one got the following averages: G1 = 526 m, G2 = 509,7m, G3 = 491,3 m and G4 = 479,4 m, can be concluded that the G1 did not only get its value inside of the reference band. Considering the possibility of not the specific of the prescription physical exercise for each age band presented by the studied groups, the physical activity program was capable to provide 60.5% elderly, a satisfactory profile for the cardio-respiratory resistance.

Key words:cardiorespiratoryresistance, elderly, overweight and physical activity

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

1. Alves RV, Mota J, Costa MC, Alves JGB (2004). Aptidão física relacionada à saúde de idosos: influência da hidroginástica. Rev Bras Med Esporte10 : 31-37.        [ Links ]

2. American College Of Sports Medicine (1998). Position stand: the recommended quantity and quality of exercise for developing and maintaining cardiorespiratory and muscular fitness, and flexibility in healthy adults. Med. Sci. Sports Exerc 30 : 975–991.

3. Benseñor IM, Lutofo PA (2002). Estado atual do tratamento e controle de diabetes melito, da dislepidemia e da hipertensão arterial no Brasil e no mundo: condutas gerais para a adequada manutenção do controle. In:  Mion JRD, Nobre F. Risco cardiovascular geral. São Paulo: Lemos editorial, 17-43. 

4. Camargos MCS, Perpétuo IHO, Machado CJ (2005). Expectativa de vida com incapacidade funcional em idosos em São Paulo. Rev. Panam. Salud Publica / Pan Am J Public Health 17 : 359-386.

5. Cantera IR. Envejecimiento, siglo XXI y solidadidad (2002). Rev. Esp. Geriatr. Gerontol  37 : 3-6.

6. Cervi A, Franceschini SCC, Priore SE (2005). Análise crítica do uso do índice de massa corporal para idosos. Rev.  Nutr. 18 : 765-775.

7. Ferreira M, Matsudo S, Matsudo V, Braggion G (2003). Efeito de um programa de atividade física e nutricional sobre a ingestão alimentar e composição corporal de mulheres fisicamente ativas de 50 a 72 anos de idade. Rev. Bras. Cienc. Mov 11 : 35-40.

8. Francisco PMSB, Donalisio MRC, Lattorre MRDO (2003). Tendência da mortalidade por doenças respiratórias em idosos do Estado de São Paulo, 1980 a 1998. Rev Saúde Pública  37 : 191-196.

9. Hernandes ESC, Barros JF (2004). Efeitos de um programa de atividades físicas e educacionais para idosos sobre o desempenho em testes de atividades da vida diária. Rev. Bras. Cienc. Mov  12 : 43-50.

10. Matsudo SM (2001). Evolução da aptidão física e capacidade funcional de mulheres ativas acima de 50 anos de idade de acordo com a idade cronológica – Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina.

11. Matsudo SM, Matsudo VKR, NetoTLB (2000). Impacto do envelhe-cimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Rev. Bras. Cienc. Mov. 8 : 15-21.

12. Miranda EP, Rabelo TH (2006). Efeito de um programa de atividade física na capacidade aeróbia de mulheres idosas. Movimentum 1.

13. Mussoll J, Espinosa MC, Quera D, Serra ME, Pous E, Villar-Roya  (2002). Resultados de la aplicación em atención primaria de um proto-colo de valoración geriátrica integral em ancianos de riesgo. Rev. Esp. Geriatr. Gerontol  37 : 249-253.

14. Nóbrega ACL, Freitas EV, Oliveira MAB, Leitão MB, Lazzoli JK, Nahas RM (1999). Posicionamento oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia: atividade física e saúde no idoso. Rev Bras Med Esporte  5 : 207-211.

15. Pine MJ, Murphy AJ, Watsford ML (2005). Role of respiratory system function in the age-related decline of human functional capacity. Australasian Journal on Ageing  24 : 153-156.

16. Raso WA (2002). Adiposidade corporal e a idade prejudicam a capacidade funcional para realizar as atividades de vida diárias de mulheres acima de 47 anos. Rev Bras Med Esporte  8.

17. Rikli RE, Jones CJ (1998). The Reliabiltiy and Validity of a 6-Minute Walk Test as a measure of Physical Endurance in Older Adults. Journal of Aging and Physical Activity  6.

18. p; Shimakura SE (2005). Coeficiente de Variação.Disponível em < http://www.est.ufpr.br/~silvia/CE055/node26.html.> Acesso em 14 out. 2005.

19. Yanowitz FG, La Monte AM (2002). Physical activity and health in the elderly. Curr sport med resp  1 : 354-361.

 

 

Data de submissão: Setembro 2007

Data de Aceite: Dezembro 2007

 

Correspondência

Helio Lemos Furtado.

Rua Coronel João Olintho 271,

Recreio dos Bandeirantes,

CEP- 22790-170, Rio de Janeiro, Brasil.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons