SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número4O método Pilates® sobre a resistência muscular localizada em mulheres adultas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.3 n.4 Santa Maria da Feira out. 2007

 

Ensino multidisciplinar em natação: reflexão metodológica e proposta de lista de verificação

 

Sofia Canossa1

Ricardo J. Fernandes2

Carla Carmo2

António Andrade3

Susana M. Soares2

 

1 Mestre em Ciências do Desporto pela Universidade do Porto.

2 Docente da Faculdade de Desporto, Universidade do Porto.

3 Pós-graduado pela Universidade Técnica de Lisboa

 

RESUMO

O presente estudo discute a necessidade de se repensar a abordagem tradicional do ensino da Natação. A Natação, como disciplina desportiva, é uma actividade multidisciplinar, a qual pode ser extremamente rica ao nível da experimentação motora e variação de práticas desportivas aquáticas. É neste contexto que se confronta a realidade actual do ensino da Natação com uma realidade mais desejada, de âmbito multidisciplinar. Na sequência da análise efectuada, enfatizou-se, sobretudo, a orientação e adequação dos conteúdos de ensino da Natação para crianças e jovens, população específica nas suas características e necessidades de desenvolvimento. No sentido de se atender a este grupo especifico, após se ter salientado a pertinência da multidisciplinaridade, efectua-se uma proposta de abordagem de habilidades motoras aquáticas básicas envolvendo a natação pura, o pólo aquático, a natação sincronizada e os saltos para a água, considerando a fase de ensino inicial da Natação - a Adaptação ao Meio. Esta proposta visa divulgar a implementação do ensino multidisciplinar da Natação, o qual se considera ser cada vez mais urgente, particularmente pela pouca expressão que as modalidades aquáticas tradicionalmente consideradas como satélites da Natação - pólo aquático, natação sincronizada e saltos para a água - têm tido no contexto desportivo nacional.

Palavras Chave: Natação, Ensino, Multidisciplinar, Adaptação ao Meio Aquático

 

Multidisciplinary teaching in swimming: methodological reflection and proposal of check list

 

ABSTRACT

The present study proposes a new multidisciplinary approach related to teaching in swimming. Swimming is an interdisciplinary physical activity, which can be truly important at the level of the motor learning and experimentation in aquatic activities. In the present manuscript, it was compared the present reality of teaching in Swimming with a new perspective, this one with a multidisciplinary scope. Following the referred analysis, it was presented a discussion about the orientation and adequacy of the contents of the Swimming curriculum for children and youngsters, which are populations with specific characteristics and development necessities. In this sense, after stating the relevance of a multidisciplinary perspective, it was proposed a new approach for basic aquatic motor skills acquisition based on four disciplines: swimming, water polo, synchronised swimming and platform diving. This was made taking into account the initial stage of swimming teaching, i.e., aquatic readiness. This proposal aims mainly at implementing the teaching of Swimming at a multidisciplinary point of view that, in our opinion, is urgent, namely due to the small expression that the aquatic modalities traditionally considered as swimming satellites (water polo, synchronised swimming and platform diving) have in the Portuguese sports context.

Key Words: Swimming, Teaching, Multidisciplinary approach, Aquatic Readiness

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

1. Araújo J (1994). Ser Treinador. Lisboa: Editorial Caminho.        [ Links ]

2. Barbosa T (2003). Algumas considerações sobre o jogo aquático educativo enquanto estratégia de ensino na adaptação ao meio aquático. In: Livro de resumos do 26º Congresso Técnico-Científico da Associação Portuguesa de Técnicos de Natação, Estoril.

3. Barbosa T, Queirós T (2004). Ensino da Natação. Lisboa: Xistarca, Promoções e Publicações Desportivas, Lda.

4. Belo PJ (2000). Saltos para água. In: Documento de apoio do Curso de Monitores de Natação de 1º nível da Federação Portuguesa de Natação. Porto, FCDEF-UP.

5. Bompa T O (1987). Theory and Methodology of Training. The key to Athletic Performance, (2ª ed.). Dubuque: Kendal/Hunt Publishing Company.

6. Bruner J (1965). The process of education. Cambridge: Harvard University Press.

7. Canossa S (1996). Pólo Aquático - Realidades e Perspectivas. In: Dissertação apresentada com vista à obtenção do grau de licenciado em Desporto e Educação Física, opção de Desporto de Rendimento. Porto, FCDEF-UP.

8. Carmo C, Fernandes RJ, Vilas-Boas JP (2001). Natação Sincronizada: quantificação da força máxima na remada americana executada na posição vertical invertida. EF y Deportes, Revista Digital (http://www.efdeportes.com/) 7 (34).

9. Estriga ML (2000a). Orientação desportiva em crianças e jovens nas modalidades de Andebol, Basquetebol e Voleibol. In: Dissertação apresentada com vista à obtenção do grau de Mestre em Desporto de Rendimento. Porto, FCDEF-UP.

10. Estriga ML (2000b). Escolas de Desporto: Um Modelo de Formação e Orientação Desportiva. Horizonte XVI (93): 12-23.

11. Federação Portuguesa de Natação (2005). Programa 7 – Formação de recursos humanos FPN 2005. Lisboa.

12. Fernandes RJ, Santos Silva JV, Vilas-Boas JP (2000). A técnica de viragem moderna (provas de costas) é mais eficiente? EF y Deportes, Revista Digital (http://www.efdeportes.com/) 5 (28): 1-4.

13. Filipe A, Coiteiro A, Ribeiro M, Nogueira M, Nogueira M (2004). A Ruptura com o Formal como Estratégia para o Futuro – Uma Perspectiva para o Ensino da Natação. In: Livro de resumos do 27º Congresso Técnico-Científico da Associação Portuguesa de Técnicos de Natação, Lisboa.

14. Gagné RM (1970). Contributions of learning to human development, (2nd ed). New York: Holt, Rinehart & Winston.

15. Gallahue, M. (1982). Understanding motor development in children. New York: John Wiley & Sons.

16. Garganta J (1995). Para uma teoria dos Jogos Desportivos Colectivos. In: Amândio Graça e José Oliveira (Eds). O Ensino dos Jogos Desportivos. Porto: FCDEF-UP, 11-23

17. Gonçalves C (1988). O Desenvolvimento do Jovem Praticante Desportivo. Lisboa: Câmara Municipal de Oeiras, Divisão de Cultura Desporto e Turismo.

18. Karas F (2006). Natação Sincronizada – Técnica e Didáctica Específica de Natação Sincronizada. In: Manual do Curso de Técnicos de Natação 1º Nível da Federação Portuguesa de Natação. Lisboa:FPN.

19. Langendorfer SJ, Bruya L.D. (1995). Aquatic Readiness. Developing Water Competence in Young Children. U.S.A.: Human Kinetics.

20. Magill RA (2001). Motor Learning. Concepts and Applications (6th ed). New York: McGraw-Hill.

21. Martin D (1999). Capacidade de Performance e Desenvolvimento no Desporto de Jovens. In: Secretaria de Estado do Desporto, Centro de Estudos e Formação Desportiva. Livro de Comunicações apresentadas no Seminário Internacional -Treino de Jovens, Lisboa.

22. Mesquita I (2004). Regulação da Interferência Contextual no Ensino das Tarefas Desportivas. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto 4 (2): 76-77.

23. Moreno J (2001). Jogos acuáticos educativos. Barcelona: INDE Publicaciones.

24. Navarro F (1995). Hacia el dominio de la Natación. Madrid: Editorial Gymnos.

25. Oliveira C (2003). Como Iniciar um Núcleo de Natação Sincronizada - Vertente Competitiva e Recreativa. In: Livro de Resumos do 26º Congresso Técnico-Científico da Associação Portuguesa de Técnicos de Natação. Estoril: APTN.

26. Pérez EC, Pueyo AP, Pérez FL (2003). La importancia de la natación en el desarrollo infantil. Hacia una Natación Educativa. Madrid: Gymnos Editora.

27. Raposo AV (1978). O ensino da Natação. Lisboa: ISEF.

28. Raposo AV, Silva T, Fernandes A (1982). Aspectos conceptuais da metodologia do treino de base. In: P. Sarmento, C. Carvalho, I. Florindo e A.V. Raposo (Eds). Aprendizagem Motora e Natação. Lisboa: ISEF, 67-90

29. Sanmartins J, Moreno MJ (1998). Bases Metodológicas para el aprendizaje de las actividades acuáticas educativas. Barcelona: INDE Publicaciones.

30. Sarmento JP (1986). Polo Aquático - Novas Perspectivas para a Aprendizagem e Prática da Natação. Horizonte III (13): 7-9.

31. Sarmento JP (2001). A experiência motora no meio aquático. Algés: Omniserviços, Representações e Serviços, Lda.

32. Schmidt RA, Lee TD (1999). Motor Control And Learning. A Behavioral Emphasis. (3rd ed). U.S.A.: Human Kinetics.

33. Schmidt RA, Wrisberg CA (2000). Motor Learning and Performance (2nd ed). U.S.A.: Human Kinetics.

34. Seefelt V (1996). The concept of readiness applied to motor skill acquisition. In: F. L. Smoll e R. A. Magill (Eds). Children in sport a Biopsychsocial Perspective. New York: University of Washington, 49-56.

35. Silva A, Novais L, Fernandes R, Mourão I, Carneiro A, Reis V, Moreira A (2005). Proposta metodológica para a aquisição das técnicas de partida para provas de nado ventral. Motricidade 1 (4): 284-299.

36. Soares SM (2000). Natação. In: Paula Botelho Gomes (Ed). Educação Física no 1º Ciclo. Porto: Pelouro do Fomento Desportivo da Câmara Municipal do Porto e Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física, 154-173. Porto: UP

37. Tani G (2004). Aprendizagem Motora: A Prática Variada Revisitada. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto 4 (2): 70-71.

38. Vilas-Boas JP, Fernandes R (2003). Swimming starts and turns: determinant factors of swimming performance. In: Pelayo P, Sydney M (Eds). Proceedings des “3èmes Journées Spécialisées en Natation”. Lille: Faculté des Sciences du Sport et de l’Education Physique de l’Université de Lille 2, 84-95.

 

Data de submissão: Agosto 2007

Data de Aceite: Setembro 2007

 

Correspondência:

Ricardo Fernandes

Rua Dr. Plácido Costa, 91 4200 Porto

ricfer@fade.up.pt

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons