SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número3A influência das orientações motivacionais nas atitudes desportivas em aulas de Educação FísicaPerfil psicológico de prestação dos atletas paralímpicos Atenas 2007 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Motri. v.3 n.3 Santa Maria da Feira jul. 2007

 

Perfil psicológico e sua importância no rendimento em vela

 

H. M. Fernandes

C. Bombas

J.P. Lázaro

J. Vasconcelos-Raposo

 

CIDESDH – Gabinete de Psicologia do Desporto, Exercício & Saúde

 

RESUMO

Os principais estudos realizados no contexto da Vela ligeira têm-se centrado em parâmetros fisiológicos e no processo de tomada de decisão. O presente estudo tem como objectivos, identificar os principais factores psicológicos evidenciados pelos velejadores e determinar quais aqueles que permitem predizer o rendimento em Vela. Para tal, 43 jovens velejadores (32 rapazes e 11 raparigas) com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos de idade (M=12.86, SD=1.39) preencheram o Perfil Psicológico de Prestação. Os procedimentos estatísticos utilizados foram o teste t de Student, e a regressão linear múltipla. Os factores mais evidenciados pelos velejadores foram a motivação e a autoconfiança. Contudo, revela-se como essencial o controlo do negativismo, na medida em que foi a única variável que distinguiu os melhores velejadores (top-10) dos restantes e foi o factor com menor valor médio. As únicas variáveis psicológicas que permitiram definir o rendimento em Vela ligeira, foram a visualização e a motivação, evidenciando-se a importância destas variáveis na diminuição de erros, definição espacial do campo de regatas, controlo atencional e melhoria auto-referenciada.

Palavras-chave: perfil psicológico, Vela, negatividade, controlo atencional

 

Psychological profile and sailing performance

ABSTRACT

Studies in competitive Sailing have centered their efforts in physiologic parameters and in the decision-making process. The purpose of the present study is to identify the main psychological factors evidenced by sailors and determine which of them better contribute to predict performance in Sailing. Forty three young sailors (32 boys and 11 girls) with ages between 10 and 15 years (M=12.86, SD=1.39) completed the Psychological Performance Inventory. The used statistical procedures were the Student’s t test and the multiple linear regression analysis. The psychological factors with the highest scores were motivation and self-confidence. The negativity control was defined as crucial. This variable was the only that distinguished the best sailors (top-10) from the remaining ones and the factor less valued by the sample. The only psychological variables that allowed predicting Sailing performance were visualization and motivation, evidencing the importance of these in the errors decrease, spatial definition of the regattas mark, attention control and self-referenced improvement.

Key-words: psychological profile, Sailing, negativity, attentional control

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

Bibliografia

1. Araújo, D. & Rocha, L. (2000). The trainability of decision making in sport: The example of the Portuguese Olympic sailing team. In B. Carlsson, U. Johnson & F. Wetterstrand (Eds.), Proceedings of the Sport Psychology Conference in the New Millennium (p. 94-98). Halmstad: CIV/SSHS.        [ Links ]

2. Araújo, D. & Serpa, S. (1999). Toma de decisión dinámica en diferentes niveles de "expertise" en el deporte de vela. Revista de Psicologia del Deporte, 8, 103-116.

3. Araújo, D. & Serpa, S. (2000). The development of expertise in sailing. Comunicação apresentada no Congresso Internacional da SFPS. Paris: INSEP.

4. Fernandes, H. (2003). Identificação do estado ideal de prestação desportiva em jovens nadadores. Desporto, Investigação & Ciência, 3, 77-88.

5. Hogg, J. (2001). Ensino da preparação mental para a performance: Um modelo para os treinadores de crianças e jovens. In J. Adelino, J. Vieira & O. Coelho (Eds.), Seminário Internacional Treino de Jovens “Pensar no futuro, Apostar na qualidade”. Lisboa: INFED.

6. Loehr, J. (1986). Mental toughness training for peak performance. New York: Sport Science Associates.

7. Maroco, J. (2003). Análise estatística com utilização do SPSS. Lisboa: Edições Sílabo.

8. Pinsach, J. & Corominas, J. (2002). Entrenamiento psicológico en vela. Barcelona: Editorial Paidotribo.

9. Shepard, R.J. (1997). The biology and medicine of sailing: An update. Sports Medicine, 23, 350-356.

10. Twiname, E. (1993). How to develop a winning attitude. Londres: Adlard Coles Nautical.

11. Vallerand, R.J., Deci, E.L. & Ryan, R.M. (1987). Intrinsic motivation in sport. Exercise and Sport Sciences, 15, 389-425.

12. Vasconcelos-Raposo, J. (1991). Contributo para a identificação do estado ideal para a prestação desportiva. Natação, 14, 4-7.

13. Vasconcelos-Raposo, J. (1993). Os factores psico-sócio-culturais que influenciam e determinam a busca da excelência pelos atletas da elite desportiva portuguesa. Tese de Doutoramento, Vila Real: UTAD.

14. Williams, J. (1986). Applied Sport Psychology: Personal grow to peak performance. Mountain View: Mayfield Publishing Comp.

 

Data de submissão: Maio 2007

Data de Aceite: Julho 2007

 

Correspondência:

José Vasconcelos-Raposo

Rua Dr. Manuel Cardona

5000–558 Vila Real. Portugal

E-mail: j.vasconcelos.raposo@gmail.com

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons