SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número15Colóquio Internacional: Diversidade, Equidade e InclusãoII Seminário de Educação Inclusiva índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.15 Lisboa  2010

 

8º Colóquio Anual da Lusofonia

 

Óscar de Sousa, Maria Manuel Calvet Ricardo e Maria Neves Gonçalves

 

Decorreu em Bragança, entre 30 de Setembro e 3 de Outubro, o 8º Colóquio Anual da Lusofonia que contou com a presença de 45 oradores dos seguintes países e regiões: Portugal, Brasil, Galiza, Açores, Bélgica, Macau, China, Espanha, Bulgária, Ucrânia, Roménia e Nigéria. Para além da poesia (galega, portuguesa e brasileira), assistiu-se ao lançamento de livros, a uma mostra de obras açorianas, a recitais de música açoriana e galega e a duas representações teatrais de Porto Alegre e Rio Grande do Sul.

Neste evento científico, estiveram presentes investigadores da Unidade de Investigação - Observatório de Politicas de Educação e de Contextos Educativos (UID- OPECE) da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias que apresentaram comunicações no âmbito do projecto Português Fundamental e Competência Ortográfica ( Projecto FCT-MCES/PTDC/ CED/6569/2006).

O investigador responsável, Prof. Doutor Óscar de Sousa em parceria com Cynthia Rodrigues intitularam a sua comunicação Língua Portuguesa e Ortografia. Como enfrenta o sujeito a tarefa de transcrever correctamente a grafia da língua portuguesa. Maria Manuel Calvet Ricardo centrou o seu estudo na problemática do acordo ortográfi co da língua portuguesa e fez uma breve abordagem do ensaio de António Sérgio, de 1937, Em tôrno do problema da “língua brasileira”. Anabela Mimoso abordou a actualidade das anotações de D. Carolina Michaelis ao acordo ortográfico de 1911. Maria Neves Gonçalves e Manuela Santos, na comunicação intitulada A viagem da língua portuguesa - o entrecuzar de veredas, partiram do pressuposto epistemológico de que a língua é marcada pelo transitório e pelo devir histórico e sustentaram que, mais do que uma racionalidade científica, são critérios políticos e geoestratégicos que condicionam a delimitação territorial e demográfica de uma determinada língua.

Este Colóquio propiciou aos conferencistas e participantes a partilha de saberes e de investigações levadas a cabo nesta área do conhecimento e a troca de impressões, ideias, pontos de vista e projectos dentro e fora do ambiente mais formal das sessões.