SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número8Globalização e identidades educativas. Rupturas e incertezasQuais os contributos da Antropologia para a compreensão das situações de deficiência? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.8 Lisboa jul. 2006

 

Ética ambiental e educação nos novos contextos da ecologia humana

Marina Prieto Afonso Lencastre*

 

O presente artigo ocupa-se com a apresentação crítica de correntes que animam, nos dias de hoje, a ecologia enquanto pensamento social e educativo. Delas emergem alguns dos problemas do conservacionismo moderno, dos direitos dos animais e da natureza e,genericamente, dos novos contextos da acção ética e da educação. Estes últimos são informados tanto pela tecnociência, como pela dinâmica social e cultural na origem de fenómenos eco-sociais recentes que, nos dias de hoje, extraem a educação de uma missão estritamente escolar, e a solicitam para contextos cada vez mais reais e variados da vida humana.

Palavras-chave: Ética ambiental, educação ambiental, ecologia humana

 

 

Ethical Environment and Education in the New Human Ecology Contexts

The paper presents some key concepts that underpin ecological and educational ideas. Issues which are currently discussed in modern conservationism, animal rights and, broadly, in the new contexts of ethical and educational action, are analysed. These are informed by technoscience, as well as by social and cultural change; educational practice will therefore refer to more real and varied contexts of human experience.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências bibliográficas:

Bentham, J. (1823). Introdução aos princípios da moral e da legislação. Londres:W.         [ Links ]

Callicott, J.B. (1996). Benevolent Symbiosis – The philosophy of conservation reconstructed in J. B. Callicott, F. J. Rocha (edts) Earth summit ethics – towards a reconstructive postmodern philosophy of environumental education, USA: New York Press.

Darwin, Ch.(1856). The origin of species by means of natural selection.

Dawkins, R.(1989). O gene egoísta, Lisboa: Gradiva.

Ferry, L.(1992). Le nouvel ordre écologique, Paris: Grasset.

Flanagan,O.(1991).Varieties of moral personality: Ethics and psychological realism. Cambridge: Harvard University Press.

Flanagan, O. (1996). Ethics naturalized: ethics as human ecology in May, L., Friedman, M., Clark A. (edts.), Mind and morals. Essays on ethics and cognitive science, Cambridge:MIT Press.

Freud, S. (1912-1913).Totem e tabú.Viena.

Haeckel, E. (1868). Naturliche Schopfungsgeschichte. Berlin: G.Reimer.

Harrison. Colbern, Th. et al. (1999). O nosso mundo roubado, Lisboa: Dinalivro.

Hermitte, H.A. (1990). Pour un statut juridique de la diversité biologique, Revue française d’administration publique,53.

Holmes Rolston III (1996). Earth Ethics – a Challenge to Liberal Education in J. Baird Callicott, F. Rocha (Eds.), Earth summit ethics – towards a reconstructive postmodern philosophy of environmental education, New York: New York State University

Jonas, H. (1990). Le Principe Responsabilité. Paris: Editions Du Cerf.

Larrère C., Larrère, R. (2000). Do bom uso da natureza – para uma filosofia do meio ambiente. Lisboa: Instituto Piaget.

Lencastre, M.P.A. (1999). Contextos, contradições e potencialidades da educação ambiental. Revista de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, 2 (VIII).

Lencastre, M.P.A. (1999). Epistemologia evolutiva e teoria da emergência: contribuição a uma perspectiva fundamental em biologia do comportamento. Lisboa: F. C. Gulbenkian.

Lencastre, M.P.A.(2003) Natureza e Cultura. Fundamentos interdisciplinares para a educação e a ética ambiental. Porto: FPCE da UP.

Lencastre, M.P.A. (2004). Ética Ambiental e Educação. Considerações sobre o Sujeito moral in Educação e Ambiente – Temas transversais, Revista Educação, Sociedade e Culturas, 21,51-72.

Lencastre, M.P.A. (2004). Intencionalidade, linguagem e valores. Contributos interdisciplinares para a questão da universalidade e da diversidade da moral in Revista Trabalhos de Etnografia e Antropologia,Vol. XLIV (1-2), 15-28.

Lencastre, M.P.A.(no prelo) Se os animais falassem. Introdução ao estudo de comportamento animal. Porto: Ed. Afrontamento.

Leopold, A.(1949). A Sand County Almanac.1966, N.Y.

Lovelock, J.E.(1979). Gaia: a new look at life on earth. Oxford: Ox. Un. Press.

Morin, E., Piattelli-Palmarini, M.(1978). L’unité de l´homme. Paris: Seuil.

Morin, E.(1985). La méthode. Paris:Seuil.

Naess, A.(1976). The shallow and the deep,long range ecology movement. A Summary, Inquiry, 16.

Ost, F. (1997). A natureza à margem da lei. Lisboa: Instituto Piaget.

Roqueplo, P. (1993). Climats sous surveillance. Limites et conditions de l’expertise scientifique, Económica.

Singer, P. (1993). La Libération Animale.Paris:Grasset.

Singer, P. (ed.) (1994). A companion to ethics, Oxford: Blackwell, 1981; P. Singer (ed.), Ethics, Oxford: Oxford University Press.

Sorabji, R. (1993). Animal minds and human morals. The origins of the western debates. London: Duckworth.

Thinès, G. (1978). Fenomenologia y ciencia de la conducta. Madrid: Pir. Ed.

Waal, F. (1996). Good natured: the origins of right and wrong in humans and other animals. Cambridge: Harvard University Press.

 

*Professora da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Professora Convidada da Universidade Católica Portuguesa.

mar_afonso@hotmail.com