SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número6Ensaio de um ato educativo libertador: adaptação do método Paulo Freire na alfabetização de criançasOs surdos na escola secundária: as representações sociais dos colegas ouvintes índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.6 Lisboa  2005

 

Pedro Manuel Pinho Borges (2005)

A centralidade dos manuais escolares. Relação dramática alunos/manuais/ professores

Orientação: Prof. Doutor José B. Duarte

Os manuais escolares, na sua maior ou menor didactização (muitas vezes são o único meio didáctico usado nas aulas), constituem uma fonte de investigação sobre a realidade pedagógica, porque continuam a ser um dos principais instrumentos de trabalho dos alunos e dos professores e tornam-se os principais mediadores entre os programas, os professores e os alunos. O projecto desenvolvido procurou, através de uma visão interdisciplinar - epistemológica, sociológica e pedagógica - proporcionar uma contribuição para a compreensão da problemática dos manuais escolares, enquanto reforço para a promoção da autonomia e construção pessoal dos alunos face à multiplicidade dos conteúdos de cada disciplina e à pluralidade dos saberes escolares e sociais. Trata-se de um estudo de caso, de análise dos manuais de Introdução à Filosofia e de Física, adoptados no décimo ano, numa Escola Secundária do Alentejo. A recolha de dados foi feita, num primeiro momento, através da aplicação de questionários (elaborados com base nos critérios de Hummel) a 78 alunos e da realização de entrevistas a quatro alunos sobre a utilização e percepção das dificuldades detectadas nos manuais em análise e sempre que possível com o recurso à apresentação de trabalhos escritos, marcados por frustração ou sucesso. Num segundo momento, a investigação foi complementada com a aplicação de questionários a cinco professores incluindo o delegado(a) de cada disciplina e a realização de entrevistas a dois professores de Ciências Físico-Químicas e a dois de Introdução à Filosofia. Com base nos quadros teóricos, procedeu-se a uma reflexão de conjunto sobre as apreciações recolhidas de alunos e professores, de modo a deduzir sugestões para uma melhoria da elaboração dos manuais tendo em conta a finalidade da construção pessoal e autonomia do aluno face à multiplicidade dos saberes escolares e sociais e ainda a finalidade de uma melhoria da produção e utilização dos manuais. Neste trabalho, reflectiu-se também sobre o papel dos professores no sentido de ensinarem recorrendo ao método expositivo ou, pelo contrário, de se empenharem em criar condições para que os alunos aprendam com respeito pela sua autonomia, a partir das metodologias e técnicas propostas nos manuais escolares, valorizando a dimensão dialógica do acto educativo, isto é, reinventando a arte de discutir e reflectir, no sentido dos manuais deixarem de ser um mero prolongamento técnico do trabalho docente.

 

Schoolbooks, whatever their didactic level (they are often the only didactic means in use in class) are a source to an investigation into pedagogical reality, since they remain one of the main tools used by pupils and teachers, and have become the main bridge between them. The project we have developed aims, from an interdisciplinary (epistemological, sociological and pedagogical) view, to contribute to an understanding of the problematic of schoolbooks, as an aid to the promotion of autonomy and the pupils’ self-teaching, in face of the spread of the topics dealt with in each subject, and of the plurality of the school and social learning’s. It is a case study on the analysis of the schoolbooks of Physics and of Introduction to Philosophy adopted for use in the 10th school grade, in a secondary school in Alentejo. The gathering of data was done, firstly, through the application of questionnaires (designed on Hummel’s criteria) to 78 pupils, and through interviews to four pupils from the 10th school grade of the scientific area. Secondly, we added to our investigation questionnaires applied to five teachers, including the supervisor of each subject involved, and interviews to two teachers of Physics/Chemistry and to two of Introduction to Philosophy. We also interviewed four pupils, questioning them on their use of the schoolbooks we were analysing, and on their perception of the difficulties they met, referring to written works in which they had failed or had succeeded. Based on existing theories, we considered all the gathered data in such a way as to deduct some suggestions to improve the schoolbooks envisaging the multiplicity of school and social learnings, and also the improvement of the production and use of the schoolbooks. In this work we have also considered the role of the teachers, whether they use the teacher centred method, or commit themselves to creating learning environments able to encourage, in the pupils, the use of their autonomy based on the methodologies and techniques suggested by the schoolbooks, which stress the dialogic dimension, this is, which reinvent the art of discussing and thinking, so the schoolbooks can be something other than the extension of the teachers’ work.