SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número6Políticas públicas e municipalização da Educação: a construção de uma política local para o Ensino Fundamental de Três Barras-SC (1980- 2000)Dificuldades de crianças na aprendizagem da leitura na 1.ª Série do Ensino Fundamental da rede pública de ensino índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.6 Lisboa  2005

 

Maria Margarida Marques Dias (2005)

Maturidade vocacional: estudo diferencial em alunos do 9.º Ano com e sem Programa de Orientação Escolar

Orientação: Prof. Doutor Óscar C. de Sousa

O 9.° Ano de escolaridade supõe que qualquer aluno se depare com a tarefa de realizar opções face a multiplicidade de alternativas possíveis, quer para a continuação dos estudos, quer para o ingresso no mundo do trabalho (Marques et al., 1995). A escolha de uma carreira é uma decisão muito importante que está intimamente ligada com a maturidade vocacional de um jovem. Estes deveriam escolher com base no conhecimento mais completo possível das alternativas. No entanto, é muitas vezes difícil para um adolescente ter acesso a toda a informação necessária sobre o sistema educativo, o mundo do trabalho, ou mesmo, sobre si próprio. Por isso, parece natural e sensato que os alunos procurem ajuda. Neste sentido, os programas de orientação vocacional devem contribuir para oferecer ao jovem uma diversidade de actividades e experiências relevantes para o seu desenvolvimento vocacional. O objectivo central deste trabalho é o de estudar os efeitos da participação num Programa de Orientação Vocacional - segundo uma perspectiva desenvolvimentista - em alunos do 9.° Ano de escolaridade, ao nível da maturidade vocacional. Foi recolhida uma amostra de 60 alunos do 9.° Ano de escolaridade, dos quais 30 pertencem a uma escola privada da zona de Lisboa e formam o grupo experimental e os restantes 30 pertencem a uma escola privada situada numa zona urbana nas periferias de Lisboa e formam o grupo de controlo. Foram utilizados no nosso estudo o Inventario de Desenvolvimento Vocacional – CDI, elaborado por Super e colaboradores em 1971 e adoptado e revisto para Portugal em 1982 pelo Prof. Ferreira Marques e Dr. Luís Caeiro e o Programa de Orientação Vocacional – Encontros com o Futuro!, organizado pela autora deste trabalho, com base no quadro teórico apresentado e no Programa de Orientação para a Carreira, preparado e aplicado pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação de Lisboa. Os resultados encontrados apontam para a existência de diferenças significativas na maturidade vocacional, entre os alunos que participam num Programa de Orientação Vocacional e os que não participam nele. Em relação aos efeitos produzidos numa amostra de sujeitos exposta a um Programa de Orientação Vocacional, verifica- se que todos os resultados encontrados, na maioria das escalas e sub-escalas do CDI, são significativamente mais elevados no segundo momento de avaliação, com a excepção da escala D - informação sobre a Carreira e Mundo do Trabalho. Relativamente à análise da maturidade vocacional, em função do género e das habilitações literárias, nos dois momentos de avaliação, este estudo não evidencia diferenças significativas.

 

At the 9th grade, students are supposed to be able to choose among a wide range of possible options, which enables them either to continue their studies or to get into the world of work. The choice of a career is a very important decision and it is intimately connected to the career maturity of the students. They should be able to gather the best possible available information about the existing alternatives. However, in most cases, it is very difficult for a teenager to have access to the necessary information about the educational system, the world of work or even about her/himself. For this reason, it seems natural and wise that students should look for help, in this context, the careers guidance programmes should contribute to offer the student a diversity of relevant activities and experiences for their vocational development. The main goal of this research is to study the effects - on a developmental perspective - of the participation of 9th grade students in a Careers Guidance Programme at a career maturity level. We used a sample of sixty 9th grade students, thirty of which attended a public school in Lisbon and constitute the experimental group, while the other thirty attended a private school in an urban area in the outskirts of Lisbon and represent the control group. We used for the study the “Career Development Inventory- CDI”, devised by Super and partners in 1971, adopted and revised for Portugal in 1982 by Prof. Ferreira Marques and Dr. Luis Caeiro, as well as “The Careers Guidance Programme - Encounters with the Future!”, organised by the research’s author, based on the theoretical context and on the “Careers Guidance Programme” prepared and applied by the Department of Psychology and Educational Sciences of the University of Lisbon. The results give us evidence of the existence of significant differences in career maturity at a vocational level between the students who participated in a Careers Guidance Programme and those who did not. As for the effects produced in a sample of subjects exposed to a Careers Guidance Programme, we reached the conclusion that all the results obtained, in most of the scales and sub-scales of GDI, are significantly higher in the second step of assessment, except for scale D - Information about the Career and the World of Work. With regard to the analyses of career maturity based on gender and level of education, in both phases of assessment, this study does not show any significant differences.