SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número6Encobrimentos e emergências pedagógicas na América LatinaAs reflexões curriculares de Paulo Freire índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.6 Lisboa  2005

 

A experiência coletiva como fonte de aprendizagens nas lutas do movimento sem terra no Brasil

Célia Regina Vendramini*

O texto propõe uma reflexão sobre as aprendizagens construídas e/ou adquiridas pelos trabalhadores rurais sem-terra na sua experiência junto ao Movimento dos Sem Terra (MST), no Brasil. A primeira parte identifica as origens sociais dos sem-terra que constituem o MST em Santa Catarina, região sul do país; a segunda reflete sobre alguns dos aprendizados constituídos nas principais experiências de luta do Movimento, desde a ocupação de terras, passando pelo acampamento, até a organização dos assentamentos; a terceira e última parte analisa estas aprendizagens com base na categoria experiência, fundamentada em E. P.Thompson. As experiências vividas pelos sem-terra provocam um conjunto de aprendizagens com grande significado pessoal, social e político, a partir do embate entre uma história de vida ausente de participação social e política e a entrada num movimento que se sustenta pela organização de massa e pela capacidade de autogestão nos acampamentos e assentamentos.

 

The collective experience as a source of learning in the struggle of the Brazilian no-land movement

The paper puts forward a reflection on the learning built and/or acquired by the landless rural workers due to their exprience with the No-Land Movement [Movimento dos Sem Terra – MST] IN Brazil. The first part identifies the social origins of the landless people who make up MST in Santa Catarina, an are in the south of the country; the second part reflects on some of the learning based on the Movement’s main experiences of struggle, ranging from occupation of land and bivouacking to the settlements; the third, and last, part analyses this learning based on the category of experience, supported by E.P. Thompson. The experiences undergone by the landless people give rise to a bulk of learning of great personal, social and political meaning, from the crash between a history of a life away from social and political involvement and the joining of a movement which thrives on mass organisation and the capacity of self-regulation in the bivouacs and settlements.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências bibliográficas

Aued,B.W.eVendramini,C.R.(2004). Assentamentos do MST e Identidade Coletiva. Florianópolis, Relatóriode pesquisa (Plano Regional Sul CNPq/FUNCITEC).

Canário, R. (2000). Educação de adultos: um campo e uma problemática. Lisboa: EDUCA;ANEFA.

        [ Links ]

Cavaco, C. (2002). Aprender fora da escola: percursos de formação experiencial. Lisboa: EDUCA.

CPT. COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. www.cpt.org.br.

Hobsbawm, E. e Rudé, G. (1982). Capitão Swing: a expansão capitalista e as revoltas rurais na Inglaterra no início do século XIX. Trad.de M.A.Pamplona e M.L.S. Pinto. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

Josso, M. C. (2002). Experiências de vida e formação.Trad. de J. Cláudio e J. Ferreira. Lisboa: Educa.

MST. MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM-TERRA. www.mst.org.br.

MST.(1994). Escola, trabalho e cooperação. São Paulo: Setor de Educação. (Boletim da Educação, 4).

MST.(1991). Sistema Cooperativista dos Assentamentos. SCA. São Paulo. (Apostila)

Ribeiro,M.(2004b).Organizações cooperativas de agricultores e educação escolar: desafios a uma formação cooperativa. In N. Zago e C. R.Vendramini (Org.) Revista Perspectiva, 1 (21), 167-194.

Thompson, E. P. (1997). A formação da classe operária inglesa.Trad. de D. Bottmann. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 3 vols.

Thompson,E.P.(1981).A miséria da teoria ou um planetário de erros (uma crítica ao pensamento de Althusser). Trad. de W. Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

Vendramini,C.R.(1997). Consciência de classe e experiências sócio-educativas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de São Carlos.

Vendramini,C.R.(2000). Terra,trabalho e educação: experiências sócio-educativas em assentamentos do MST. Ijuí: Editora Unijuí.

Vendramini, C. R. (Org.) (2002). Educação em movimento na luta pela terra. Florianópolis: NUP/CED/UFSC.

 

* Professora da Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou um estágio de pós-doutoramento na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, com apoio da CAPES, em 2004-2005.

Correspondência

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Ciências da Educação / Campus Universitário -Trindade

Caixa Postal 476 – Florianópolis/SC/Brasil – 88040-900

Email:cvvendram@ced.ufsc.br