SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número6EditorialO que as situações de deficiência e a educação inclusiva "dizem" às Ciências da Educação índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.6 Lisboa  2005

 

Pedagogia da Terra e Cultura de Sustentabilidade

Moacir Gadotti *

O presente artigo pretende ser um desafio à reflexão sobre os grandes problemas que se colocam aos seres humanos nas sociedades actuais. As reflexões que se fazem têm, sobretudo, um carácter antropológico e ético. Antropológico, porque se trata de promover uma nova concepção de homem que, inserido no Cosmos, se questione sobre o sentido da vida, que, por sua vez, não está separado do sentido do Planeta; ético, porque os novos princípios reguladores da actividade humana terão de se basear num novo paradigma que tenha a Terra como fundamento e centro. A mudança de paradigma terá, por certo, implicações na Educação. A Pedagogia da Terra,ou Ecopedagogia, entendida como movimento pedagógico, como abordagem curricular e como movimento social e político, representa um projecto alternativo global que tem por finalidades, por um lado, promover a aprendizagem do sentido das coisas a partir da vida quotidiana e, por outro, a promoção de um novo modelo de civilização sustentável do ponto de vista ecológico. A educação para a cidadania planetária implica uma revisão dos nossos currículos, uma reorientação de nossa visão de mundo da educação como espaço de inserção do indivíduo não numa comunidade local, mas numa comunidade que é local e global ao mesmo tempo. Uma cidadania planetária é, por essência, uma cidadania integral, portanto, uma cidadania ativa e plena, o que implica, também, a existência de uma democracia planetária.

 

Pedagogy of the Earth and the Culture of Sustainability

This paper aims to be3 a challenge to the reflection on the great problems faced by human beings in today’s societies. The reflections conducted are mostly of an anthropological and ethical nature. Anthropological as it is about promoting a new concept of Man, who, being a part of the Cosmos, wonders about the meaning of life, which, on the other hand, is not separate from the meaning of the Earth; ethical because the new principles regulating human action must be based on a new paradigm which has the Earth as its root and foundation.This change in paradigm must certainly have implications for education. The Pedagogy of the earth, or Ecopedagogy, understood as a pedagogical movement, a curricular approach and a social and political movement, represents a global alternative project aimed at promoting, on the one hand, the learning of the meaning pf things, based on everyday life and, on the other, a new model of civilization which is sustainable from an ecological point of view. The education for a planetary citizenship demands the reconsideration of our curricula, a reorientation of our perception of the world of education a s an area of the individual’s inclusion not just in a local community, but in a community which is, at the same time, local and global. A planetary citizenship is, in its essence, an integral citizenship, therefore an active and full citizenship, which also presupposes the existence of a planetary democracy.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

 

 

Notas

1 Este artigo é resultado de diversos debates em encontros e congressos e particularmente na Conferência Continental das Américas, em Dezembro de 1998, em Cuiabá (MT) e durante o Primeiro Encontro Internacional da Carta da Terra na Perspectiva da Educação, organizado pelo Instituto Paulo Freire, com o apoio do Conselho da Terra e da UNESCO, de 23 a 26 deAgosto de 1999, em São Paulo e do I Fórum Internacional sobre Ecopedagogia, realizado na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Portugal, de 24 a 26 de Março de 2000. O autor vem acompanhando esse tema desde 1992 quando representou a ICEA (Internacional Community Education Association) na Rio-92 (Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento), chamada de “Cúpula da Terra”, que elaborou e aprovou a Agenda 21. No Fórum Global-92, na mesma época, coordenou, ao lado de Moema Viezer, Fábio Cascino, Nilo Diniz e Marcos Sorrentino, a “Jornada Internacional de Educação Ambiental” que elaborou o “Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global”.Este texto retoma idéias tratadas no livro Pedagogia da Terra publicado pela Editora Petrópolis de São Paulo (2000).

2 Farancisco Gutierrez & Cruz Prado, Ecopedagogia e Cidadania Planetária, São Paulo, IPF/Cortez, 1998.         [ Links ]

3 Gaston Pineau, Del’air. Essai sur l’eco-formation, Paris, Païdeia, 1992.

4 Leonardo Boff, Saber cuidar, Petrópolis,Vozes, 1999.

5 Milton Santos, Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. SãoPaulo, Record, 2000.

 

* Professor Titular da Universidade de São Paulo (USP), Diretor-Geral do Instituto Paulo Freire, São Paulo.

Correspondência:

Instituto Paulo Freire

Rua Cerro Corá, 550 Conj.22. 2o. andar

CEP 05061-100 -São Paulo -SP - Brasil

Email:gadotti@paulofreire.org