SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número5Escola - Relações de prazer e desconforto. Função pedagógica do afeto nas relações educativasO véu e a máscara: um contributo à compreensão dos processos e significados das avaliações de instituições de educação superior índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.5 Lisboa  2005

 

Susete de Jesus Patrício Martins (2004)

Professores e encarregados de Educação. O que pensam uns dos outros sobre as funções que têm a desempenhar na vida escolar

Orientação:

Prof. Doutor Óscar C. de Sousa

 

O presente trabalho de investigação insere-se na problemática da relação escola/família e teve por objectivo averiguar o que pensam professores e encarregados de Educação relativamente às funções educativas que lhes cabe desempenhar, isoladamente e em parceria, na vida escolar.

O estudo incidiu sobre encarregados de Educação e professores dos 1.o, 2.o e 3.o ciclos do ensino básico, dos cinco Agrupamentos de Escola existentes na área de abrangência do Concelho de Odemira.

A partir das funções atribuídas pelos inquiridos a uns e a outros na vida escolar, conclui-se que ambos aceitam o que se encontra estipulado na legislação, ao considerarem fundamental para o sucesso escolar dos alunos o envolvimento/participação dos encarregados de Educação, bem como um trabalho de parceria entre a família e a escola. Também em convergência, defendem ter responsabilidades educativas diferentes, alegando que a administração e gestão escolares, a definição de metodologias de ensino, a planificação de aulas e o Projecto Curricular de Turma são tarefas exclusivas do corpo docente. Assim, tanto para os encarregados de Educação como para os professores, o docente surge como o administrador/gestor da escola e “patrono” da sua aula, responsável influente na formação cognitiva, psicológica e emocional do aluno, facilitador das aprendizagens e do envolvimento dos encarregados de Educação na escola. Os encarregados de Educação surgem como colaboradores do professor participando, ainda que com certas reservas, em algumas tarefas, na escola. A sua acção participativa ocorre sobretudo em casa, no seio familiar. O seu papel parece ser mais de facilitador/colaborador do trabalho do professor do que de parceiro com poder de decisão em assuntos relativos à escola.

 

 

Teachers and parents. How they view one another and the tasks they each have to perform within the school life

The following research project focuses on the relationship between families and school. It aims at finding out what teachers and parents think about their role as educators in their children’ s school life, whether as partners or separately.¬

For this project, parents were interviewed as well as teachers of the first, second and third “ciclo”, from the five groups of schools in the area of Odemira.

On the basis of the answers given, one can infer that both teachers and parents accept their legal responsibilities; they also consider the partnership between family and school vital for their children’s success. They also agree on having different responsibilities, arguing that school administration, teaching methods, lesson planning and “Projecto Curricular de Turma” are the teachers’ duty. So, both teachers and parents see the teacher as someone who has school managing tasks, who is highly responsible for the student’s psychological and emotional education, who helps children in their learning process and who helps parents to connect with school. Parents are seen as cooperative in some school tasks, although reluctantly. They participate mainly at home. Their role seems to be helping teachers with their work at home, instead of being partners who share decisions on school matters.