SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número5Espaço geográfico. Estratégias de aprendizagem dos conceitos geográficos e a construção deste saber pelo estudanteEscola, professores e cidadania. Concepções e práticas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Rev. Lusófona de Educação  n.5 Lisboa  2005

 

Esmeralda Maria Gomes do Espírito Santo (2004)

Os manuais escolares (CTV/Port. B) de 10.º ano, a construção de saberes e a autonomia do aluno. Auscultação aos sujeitos (alunos e professores) mediada por um estudo de caso instrumental

Orientação:

Prof. Doutor José Bernardino Duarte

 

Este estudo incide sobre a problemática – construção de manuais escolares (Choppin, 1992; Richaudeau, 1986; Gérard & Roegiers, 1998; Valente et al., 1989) – segundo um modelo construtivista dos saberes (Ausubel, 1980), numa perspectiva de aprendizagem ao longo da vida. Hummel (1988) é a referência da autora.

A metodologia qualitativa que foi adoptada, consistiu na realização de entrevistas (semi-directivas) a um grupo de sujeitos-chave (alunos/professores) do 10.º ano de uma escola secundária da periferia de Lisboa e concretizou-se mediante um “estudo de caso instrumental” (Stake, 1998: 88). Através de uma análise de conteúdo apreendeu-se o modo como alunos/professores percepcionam a construção dos saberes, mediada pelos manuais escolares (Port. B/CTV) do 10.º ano, na perspectiva de aprendizagem ao longo da vida. E numa dicotomia de cariz simultaneamente individual e cooperativo.

As conclusões reforçam o estudo de Hummel (1988) e remetem para uma aprendizagem que se fortifique ao longo da vida, autonomamente. O aprendente será, certamente, o grande mestre das suas próprias opções de vida (Relatório Mundial da Educação, 1996; Memorando da Aprendizagem ao longo da vida, 2000), enquanto indivíduo.

 

 

10th-Grade course books (CTV/Portuguese B), the construction of knowledge and student’s autonomy. A survey of the subjects (students and teachers) mediated by an instrumental study case

This study deals with the issue of the making of school course books (Choppin, 1992; Richaudeau, 1986; Gérard & Roegiers, 1988; Valente et al., 1989) following a constructivist approach to knowledge (Ausubel, 1980), from a lifelong leaning perspective. Hummel (1988) has been the author’s leading reference.

The qualitative methodology adopted consisted of semi-structured interviews to a group of key subjects (10th-grade students and teachers) from a secondary school in the suburbs of Lisbon and resulted in an instrumental case-study (Stake, 1988: 18). Four students were selected from a 10th- grade science course (1st year of the Secondary Education) and three teachers in a secondary school in the district of Almada. Then, by means of content analysis a deeper understanding was reached of the way students and teachers view their school textbooks (Port. B/CTV), both from an individual and a cooperative perspective.

The study conclusions stress those of Hummel (1988) reinforcing the notion that the school textbooks must be built on the basis of lifelong learning concepts. Thus, learners build their own knowledge and become the masters the options of their lives (World Report of Education, 1996; Lifelong Learning Memorandum, 2000). For they will act more autonomously as individuals in a lifelong learning process. With the support of school textbooks.