SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1Estudo de adaptação da escala de ajustamento mental ao cancro de um familiar (EAMC-F)Consumo de álcool, tabaco e droga em adolescentes: experiências e julgamentos de risco índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.7 n.1 Lisboa  2006

 

Uma análise qualitativa da convivência da mulher com sua endometriose

Adriana Zanona da Matta*& Marisa Campio Muller

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil

 

 

Resumo: Endometriose é uma doença ginecológica de natureza progressiva, caracterizada pela presença de focos de endométrio fora da cavidade uterina. Esta afecção pode provocar sintomas cíclicos ou agudos bastante comprometedores, sendo que suas conseqüências podem ser observadas nas múltiplas facetas das vidas de mulheres que a possuem. O presente artigo relata resultados qualitativos de uma pesquisa que teve como objetivo conhecer as vivências de mulheres com endometriose associadas à doença. Foram entrevistadas quatro mulheres com este diagnóstico, sendo que as entrevistas foram transcritas e, através da metodologia de análise textual qualitativa, puderam ser identificadas categorias que descrevem a magnitude da influência da endometriose sobre a vida cotidiana das mulheres, como seus desdobramentos afetivos, familiares, profissionais e de relação com a classe médica. Além desses resultados, buscou-se identificar aquilo que estas mulheres entendem como sentido e significado da endometriose em suas vidas.

Palavras chave: Análise qualitativa, Aspectos psicológicos, Endometriose.

 

A qualitative analysis of living with endometriosis

Abstract: Endometriosis is a gynecological disease of progressive nature, featured by the presence of endometrial focus outside the uterine cavity. This condition can cause very damaging cyclic or critic symptoms, its consequences can be observed in multiple ways of life of the women who suffer from it. This article reveals qualitative results of a research that has as a goal to know how women with the disease live. Four women with this diagnosis were interviewed, the article contains the transcribed interviews, and, through the qualitative textual analysis methodology, some categories which describe the importance of the influence of the endometriosis over this women everyday life, such as their consequences in affective and professional life, family and relation with the medical class. Besides these results, the research tried to identify everything that these women understand as the meaning of endometriosis in their lives.

Key words: Endometriosis, Psychological aspects, Qualitative analysis.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências

Abrão, M.S. (1995). Perfil epidemiológico e clínico da endometriose: Estudo de 180 casos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 7, 779-84.

        [ Links ]

Bee, H. (1997). O ciclo vital. Porto Alegre: Artes Médicas.

Caus, L. (2002). E agora? Depois dos primeiros anos de vida a dois. In C. Cenci, M. Piva, & V. Ferreira (Eds.), Relações familiares: Uma reflexão contemporânea (pp. 54-69). Passo Fundo: UPF Editora.

Cox, H., Henderson, L., Wood, R., & Cagliarini, G. (2003). Learning to take charge: Women's experiences living with endometriosis. Complementary therapies in nursing e midwifery, 9, 62-68.

Cox, H., Henderson, L., Andersen, N., Cagliarini, G., & Ski, C. (2003). Focus group of endometriosis: Struggle, loss and the medical merry-go-round. International Journal of Nursing Practice, 9, 2-9.

Dahlke, R. (2002). A doença como linguagem da alma. S. Paulo: Cultrix.

Denny, E. (2004). Women's experience of endometriosis. Journal of Advanced Nursing, 46(6), 641-648.

Farah, R.M. (1995). Integração Psicofísica. SP: Companhia Ilimitada.

Fernandes, A., Silva, M.S., Armani, B., Sollero, C., Yamada, E., Quintino, A., & Oliveira, D. (2003). Demora para diagnosticar a endometriose pélvica em serviço público de ginecologia em Campinas. Revista de Ciências Médicas, 12(2), 123-129.

Figueiró, J.A.B. (2003). Dor e estresse. In M. Lipp (Ed.), Mecanismos neuropsicofisiológicos do estresse.Teoria e aplicações clínicas (pp. 149-154). SP: Casa do Psicólogo.

Gayle, L. (2002). Childless and bereft?: Stereotypes and realities in relation to "voluntary" and "involuntary" childlessness and womanhood. Sociological-Inquiry, 72(1), 7-20.

Groddeck, G. (1989). O homem e seu isso. São Paulo: Nova Fronteira.

Hautmann, G., & Panconesi, E. (1997). Vitiligo: A psychologically influenced and influencing disease. Clinics in Dermatology, 15(6), 879-889.

Jung, C.G. (1991). Fundamentos de psicologia analítica. Petrópolis: Vozes.

Lorençatto, Vieira, & Maia (2004). A importância do aspecto emocional no tratamento da endometriose. Retirado em Dezembro de 2004 http://www.abend.org/.

Mantovani, R. (2003). Endometriose. Retirado em Dezembro de 2004 http://www.infomed.hpg.ig.com.br/endometriose.html

Marques, A., Bahamondes, L., Aldrighi, J., & Petta, C.A. (2004). Quality of life in Brazilian women with endometriosis assessed through a medical outcome questionnaire. Journal of Reprodritive Medicine, 49(2), 115-120.

Matta, A., & Muller, M. (2005). Considerações teóricas para uma leitura junguiana da endometriose. Mudanças - Psicologia da Saúde, 12(1), 144-160.

Medanski, R., Handler, R., & Riedje, P. (1981). Dermatopsychosomatics: Classification, physiology and therapeutic approaches. Journal of the American Academy of Dermatology, 5(2), 125-136.

Menichini, U., & Rasore, E. (2001). Aspetti psicosomatici dell'endometriosi. Médicine. Psicossomatique, 46,109-119.

Montgomery, M., & Pereira, D. (1995). Uma abordagem psicossomática e sexológica da endometriose. Reproductive Climat, 10(3), 129-131.

Moraes, R. (2004). Uma tempestade de luz: A compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. PUCRS: Manuscrito não publicado.

Muller, M. (2001). Um estudo psicossomáico de pacientes com vitiligo numa abordagem analítica. Tese: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Papalia, D., & Olds, S. (1998). O mundo da criança - Da infância à adolescência. SP: Makron Books.

Passos, E., Freitas, F., Filho, J.S.C., Facin, A., Souza, C., & Salazar, C. (2000). Endometriose. Revista HCPA, 20(2), 150-156.

Ramos, D. (1994). A psique do corpo. São Paulo: Sumus.

Rios, L.A. de los (2001). Hace 55 años tratamiento de la endometriosis. Ginecología y Obstetricia de Mexico, 69(8), 332-340.

Trindade, Z., & Enumo, S. (2001). Representações sociais de infertilidade feminina entre mulheres casadas e solteiras. Psicologia, Saúde & Doenças, 2(2), 5-6.

Vacher-Lavenu, M. (1999). Definition, description and classification of endometriosis. Revue du Praticien, 49, 248-53.

Whelan, E. (1997). Staging and profiling: The constitution of the endometriotic subject in gynecological discourse. Alternate Routes: Journal of Critical Social Research, 14, 45-68.

 

 

* Contactar para E-mail: adriza.ez@terra.com.br

 

Recebido em 12 de Outubro de 2005 / Aceite em 5 de Janeiro de 2006