SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 número1Escala Toulousiana de Coping (ETC): Estudo de Adaptação à População PortuguesaContributos da Psicologia para as Profissões da Saúde índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.6 n.1 Lisboa jul. 2005

 

Representações Sociais do Processo Saúde-Doença entre Nefrologistas e Pacientes Renais Crônicos

André Faro Santos*1,2, Rochele Bezerra Barbosa1,

Soraya Ramalho Santos Faro2, & Antônio Alves Júnior2

1Faculdade Pio Décimo, Aracaju, Sergipe, Brasil 2Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju, Sergipe, Brasil

 

RESUMO: Esta pesquisa propõe-se a analisar as Representações Sociais do processo saúde-doença que permeiam a relação entre médicos nefrologistas e pacientes renais crônicos. Para tal, procurou-se delinear os conceitos incorporados por estes médicos e pacientes através da Análise de Conteúdo de Bardin, fazendo-se em seguida uma análise quanti-qualitativa dos dados objetivando-se investigar o conteúdo dos discursos destes atores sociais referentes às concepções de saúde, doença e tratamento clínico. Elaboraram-se gráficos contendo as porcentagens quantificadas destas concepções no intuito de serem analisados os dados mais relevantes no estudo. Ao final, observou-se uma dissonância entre as Representações Sociais quando são enfatizadas as concepções sobre saúde e doença que influenciam nos objetivos, posturas, adesão ao tratamento e forma de lidar com a doença, tanto por parte dos médicos como dos pacientes. As Representações Sociais delineadas nesta pesquisa não tiveram reciprocidade na comunicação destes dois atores quando dialogam sobre o mesmo objeto: o processo saúde-doença.

Palavras chave: Insuficiência Renal Crônica (IRC), Representações sociais, Relação médico-paciente, Saúde-doença.

 

The Social Representations of Health-Disease Process between Nephrologists and Patients with End-Stage Renal Disease

ABSTRACT: This study provides to analyze the Social Representations of health-disease process, which permeate the relations between nephrologists and patients with end-stage renal disease. It tried to delineate the concepts that physicians and patients through the Bardin's Analysis Method, following by a quantitative and a qualitative analysis in order to investigate the contents of these social actors speech concerned to notions of health, disease and clinical treatment. Graphics were developed with the analyzed percentages of these concepts to plan the analyze of the more important informations of this study. In conclusion, there is a disagreement between Social Representations when emphasized the conceptions about health and disease, which acts on the purposes, postures, treatment adherence and the way to work with the disease by the physician and by the patient. The Social Representations didn't have reciprocity at communication between actors about the same objects: health-disease process.

Key words: End-Stage Renal Disease (ESRD), Health and disease process, Physician-patient relation, Social representations.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

Angerami-Camon, V.A. (1996). Psicologia hospitalar: teoria e prática (pp. 99-114). São Paulo: Pioneira Thompson Learning.         [ Links ]

Angerami-Camon, V.A. (2002). Urgências psicológicas no hospital. São Paulo: Pioneira Thompson Learning.

Arent, M. (1998). Análise de conteúdo. Revista de estudos 21 (1), 27-40.

Bardin, L. (1991). Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Coelho, M.O. (2001). A dor da perda da saúde. In Angerami-Camon (Org.), Psicossomática e psicologia da dor (pp. 69-92). São Paulo: Pioneira Thompson Learning.

Duarte, S.C. (2002). Saberes de saúde e doença. Porque vão as pessoas ao médico? Coimbra: Quarteto Editora.

Hartmann, J.B. (1999). Saúde e doença na perspectiva dos profissionais de saúde no hospital. Aletheia (9), 39-49.

Maciel, S.C. (2002). A importância do atendimento psicológico ao paciente renal crônico em hemodiálise (vários autores), Novos rumos na psicologia da saúde (pp. 55-72). São Paulo: Pioneira, Thompson Learning.

Moscovici, S. (1978). A representação social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

Pires, A.C.J. (1980). Aspetos emocionais relacionados com a adaptação à situação atual em pacientes renais crônicos em hemodiálise. In D. Zimmermann (Org.), Temas de psiquiatria (pp. 53-74). Porto Alegre: Artes Médicas.

Santos, C.T., & Sebastiani, R.W. (1996). Acompanhamento psicológico à pessoa portadora de doença crônica. In V.A. Angerami-Camon (Org.), E a psicologia entrou no hospital (pp. 147176). São Paulo: Pioneira.

 

*Contactar para E-mail: andrefaro@superig.com.br