SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número2Comportamentos e atitudes sobre o tabaco em adolescentes portugueses fumadoresContribuição para uma validação conservadora da escala reduzida de ajustamento mental ao cancro (Mini-MAC) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.4 n.2 Lisboa nov. 2003

 

Ansiedade de Separação Materna e Adaptação Psicossocial ao Pré-Escolar

Manuela Veríssimo*, Sara Alves, Lígia Monteiro, & Carla Oliveira

ISPA - Unidade de investigação em Psicologia Cognitiva do Desenvolvimento e da Educação

 

RESUMO: Diversos estudos parecem indicar a ansiedade de separação materna como um importante factor que influencia a adaptação psicossocial da criança e consequentemente o seu desenvolvimento social.

No presente estudo pretendemos analisar e compreender a relação entre a ansiedade de separação materna e a qualidade da adaptação psicossocial de crianças em idade pré-escolar.

Os participantes foram 168 crianças com idades compreendidas entre os 3 e os 4 anos e as suas respectivas mães. A Escala de Ansiedade Materna foi administrada às mães, permitindo identificar os sentimentos e atitudes maternas face à separação. As educadoras de infância preencheram o questionário Adaptação Psicossocial da Criança com vista à obtenção de dados relativos à qualidade da adaptação psicossocial das crianças. Os resultados indicam que a ansiedade de separação materna influencia a qualidade da adaptação psicossocial da criança. Assim, as crianças cujas mães foram identificadas como possuindo uma elevada ansiedade de separação mobilizaram mais comportamentos reveladores de uma baixa competência social.

Esperamos com este estudo ter podido contribuir para uma melhor compreensão da relação entre a ansiedade de separação materna e a adaptação psicossocial da criança, bem como alertar para a importância da implementação de estratégias preventivas cada vez mais precoces e eficazes.

Palavras chave: Adaptação psicossocial, Ansiedade de separação materna.

 

Maternal Separation Anxiety and the Quality of Preschooler's Psychosocial Adaptation

ABSTRACT: Several studies seem to indicate maternal separation anxiety as an important factor that influences the child psychosocial adaptation and consequently child social development.

The purpose of the present study is to understand and analyse the relationship between the maternal separation anxiety and the quality of preschooler's psychosocial adaptation.

This study included 168 children with ages between 3 and 4 years old. The Maternal Separation Anxiety Scale was administered to their mothers, allowing to identify the maternal feelings and attitudes concerning separation. Teachers filled out the Preschoolers Psychosocial Adaptation questionnaire in order to obtain information related to children psychosocial adaptation. The results indicated that maternal separation anxiety influences the quality of child psychosocial adaptation. Mothers with high maternal separation anxiety have children that used behaviors that reveled a low social competence.

With this study we hope have contributed to a better understanding of the relationship between maternal separation anxiety and child psychosocial adaptation and also alert to the importance of the implantation of more effective and early preventive strategies.

Key words: Maternal separation anxiety, Psychosocial adaptation.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

Alves, S. (Ed.). (2000). Qualidade da vinculação e o estatuto de risco no pré-escolar (Monografia de Licenciatura em Psicologia Clínica). Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada.         [ Links ]

DeMeis, D., McBride, S., & Hock, E. (1986). The Balance of Employment and Motherhood: Longitudinal Study of Mothers' Feelings About Separation From Their First-Born Infants. Development Psychology, 22(5), 627-632.

Hock, E., McBride, S., & Gneza, M. (1989). Maternal Separation Anxiety: Mother-Infant Separation from the Maternal Perspective. Child Development, 60, 793-802.

Hock, E., & DeMeis, D. (1990). Depression in Mothers of Infants: The Role of Maternal Employment. Development Psychology, 26(2), 285-291.

Rubin, K., Stewart, S., & Chen, X. (1995). Parents of Agressive and Withdrawn Children. In Bornstein (Ed), Handbook of Parenting (vol. 1). New-Jersey: Lawrence Erlbaum Associates Publishers.

Rubin, K., Hastings, P., Chen, X., Stewart, S., & McNichol, K. (1998). Intrapersonal and Maternal Correlates of Agression, Conflict and Externalizing Problems in Tolddlers. Child Development, 69(6), 1614-1629.

Sroufe, A. (1998). The Role of Infant-Caregiver Attachment in Development. In Belsky & Nezworski (Eds.), Clinical implications of Attachment. New-Jersey: Lawrence Erlbaum Associates Publishers.

Stifter, C., Coulehan, C., & Fish, M. (1993). Linking Employment to Attachment: The Mediating Effects of Maternal Separation Anxiety and Interactive Behavior. Child Development, 64.

 

*Contactar para E-mail: mveriss@ispa.pt; Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Rua Jardim do Tabaco, 34, 1100 Lisboa