SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número2Estudo de adaptação da escala de satisfação com o suporte social (ESSS) a pessoas com diagnóstico de doença oncológicaAnsiedade de separação materna e adaptação psicossocial ao pré-escolar índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.4 n.2 Lisboa nov. 2003

 

Comportamentos e Atitudes sobre o Tabaco em Adolescentes Portugueses Fumadores

Margarida Gaspar de Matos*1, Tânia Gaspar2, Paulo Vitória3, & Manuel Pais Clemente3

1 Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa

2 Universidade Lusíada e Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa

3 Conselho Nacional do Tabagismo

 

RESUMO: O objectivo principal deste projecto foi a investigação sobre as diferenças entre rapazes e raparigas que fumam. A população alvo foi constituída por adolescentes dos 14 aos 16 anos, fumadores regulares (fumem pelo menos uma vez por semana). Este artigo foi elaborado com base análise dos dados recolhidos num estudo qualitativo através de entrevistas a "grupos focais" de adolescentes fumadores (Matos & Gaspar,2002, in Hublet et al., 2002; Matos, Gaspar, Vitória, & Clemente 2003) procurando clarificar a questão do tabagismo na adolescência, nomeadamente nas raparigas. Nos grupos de discussão com os adolescentes, as categorias mais frequentes foram, respectivamente, "percepções", "estilo de vida e consumo de tabaco", "dependência", "regras e normas", "comportamento", "deixar de consumir", "vantagens" e "desvantagens". O presente estudo sublinha a importância da utilização de metodologias qualitativas para clarificar conclusões oriundas de estudos quantitativos, e confirma que os jovens têm alguma noção das diferenças entre rapazes e raparigas na frequência do comportamento, nos padrões de consumo e no modo como actua a pressão social. São discutidas implicações para intervenções preventivas.

Palavras chave: Adolescência, Género, Grupo Focal, Prevenção, Tabagismo.

 

Attitude and Behaviour concerning Smoking in Portuguese Adolescents that Smoke

ABSTRACT: The aim of this project was to study the differences between girls and boys that smoke. Adolescents from 14 to 16 years old, at least occasional smokers (at least one a week) were included. This paper was based on data collected during a qualitative study using focus groups of either girls or boys that smoke (Matos & Gaspar, 2002, in Hublet et al., 2002; Matos, Gaspar, Vitória, & Clemente 2003) trying to clarify this issue of tobacco use in adolescence, namely in what girls are concerned. During focus groups, the more frequent issues were "perceptions", "life style and tobacco use", "dependence", "rules and norms", "behaviours", "quitting", "advantages" and "disadvantages". The present study highlights the importance of using qualitative research in the clarification of special issues raised during quantitative studies, and confirms that adolescents notice gender differences on tobacco use namely behaviours, patterns and social pressure. Implications for preventive interventions are discussed.

Key words: Adolescence, Focus group, Gender, Prevention, Tobacco use.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

APA - American Psychiatric Association (1994). DSM IV - Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. Washington: APA.         [ Links ]

Boyle, P. (1997). European Cancer Experts Recommendations for Tobacco Control. Annals of Oncology, 8, 9-13.

Charlton, A., & Blair, V. (1989). Predicting the onset of smoking in boys and girls. Social e Science Medicine, 29(7), 813-818.

Clayton, S. (1991). Gender Differences in Psychosocial Determinants of Adolescent Smoking. Journal of School Health, 61(3), 115-120.

Currie, C., Hurrelmann, K., Settertobult, W., Smith, R., & Todd, J. (Eds.). (2000). Health and health behaviour among young people. HEPCA series: World Health Organization.

French, S.A., & Perry, C. L. (1996). Smoking Among Adolescent Girls: Prevalence and Etiology. Journal of American Medical Women's Association, 51(1-2), 25-28.

Hublet, A., Lambert, M., Verduyckt, P., Maes, L., & Broucke, S. (2002). Report "Gender Differences in Smoking in Young People". Brussels, Belgium: Flemish Institute for Health Promotion.

Joossens, L. (1999). A Mulher e o Tabaco na União Europeia - Relatório Europeu. Paris: Rede Europeia de Prevenção do Tabagismo (ENSP).

Matos, M. (1998). Comunicação e gestão de conflitos na escola. Lisboa: Ed FMH.

Matos, M., Simões, C., & Carvalhosa, S. (2000). Promoção de competências de vida na prevenção do desajustamento pessoal e social. Lisboa: IRS.

Matos, M., Simões, C., Carvalhosa, S., Reis, C., & Canha, L. (2000). A saúde dos adolescentes portugueses. Lisboa: Faculdade de Motricidade Humana/PEPT-Saúde.

Matos, M., Carvalhosa, S., Reis, C., Clemente, P., & Vitoria, P. (2001). Os jovens portugueses e o Tabaco 6, 1. Lisboa: FMH/PEPT/GPT.

Matos, M., & Gaspar, T. (2002). The qualitative research: Country Report Gender Differences in Smoking in Young People in Portugal. Report "Gender Differences in Smoking in Young People". Brussels, Belgium: Flemish Institute for Health Promotion.

Matos, M., Gaspar, T., Vitória, P., & Clemente, P. (2003). Adolescentes e tabaco: Rapazes e raparigas. Lisboa: Conselho Nacional Tabagismo. Lisboa: Ed. FMH.

Ministério da Saúde (1988). Inquérito Nacional de Saúde 1987. Lisboa: Departamento de Estudos e Planeamento da Saúde.

Ministério da Saúde (1997). Inquérito Nacional de Saúde 1995/1996. Lisboa Departamento de Estudos e Planeamento da Saúde.

Ministério da Saúde (2000). Inquérito Nacional de Saúde 1998/1999. Lisboa: Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge.

OMS (1997). Saúde para Todos no Século XXI - Política de Saúde para a Europa. Copenhaga: Organização Mundial de Saúde, Delegação Regional para a Europa.

QSR International Pty Ltd (2002). QSR N6 Software for Qualitative Data Analysis.

Precioso, J.A.C. (2001). Educação para a prevenção do comportamento de fumar. Universidade do Minho, Instituto de Educação e Psicologia.

Rodin, J., & Ickovics, J. R. (1990). Women's health: review and research agenda as we approach the 21st Century. American Psychologist, 45(9), 1018-1034.

Urberg, K., & Robbins, R. L. (1981). Adolescents' Perceptions of the Costs and Benefits Associated with Cigarette Smoking: Sex Differences and Peer Influence. Journal of Youth and Adolescence, 10(5), 353-361.

USDHHS (1994). Preventing tobacco use among young people: a report of the Surgeon General. Washington DC: US Department of Health and Human Services, Public Health Services.

USDHHS (2001). Women and Smoking: A Report of the Surgeon General. Washington DC: US Department of Health and Human Services, Public Health Services.

WHO (2000). The World Health Report 2000. Geneva: World Health Organisation.

 

*Contactar para E-mail: margaridagaspar@netcabo.pt