SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número1Parto: expectativas, experiências, dor e satisfaçãoEstudo da validade interna e externa de uma tipologia sobre condutas problemáticas para a convivência escolar segundo o professor índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.4 n.1 Lisboa jul. 2003

 

Reflexões sobre a Visita Médica em um Hospital-Escola

Luciana Martins, Julieta Quayle,

Maria L. Livramento, & Mara C. Souza de Lucia

Divisão de Psicologia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

 

RESUMO: A visita médica faz parte da rotina de um hospital-escola. Nela, são apresentados casos e discutidas as condutas médicas, os exames, as cirurgias e os medicamentos. Visa atingir objetivos didáticos, constituindo um importante instrumento para o aprendizado dos estudantes e residentes de medicina. Entretanto, essa prática pode ter efeitos negativos sobre os pacientes. Este estudo visou investigar os sentimentos e idéias despertados a partir da visita médica em pacientes internados na Enfermaria da Unidade de Transplante Renal (UTR) da Divisão de Clínica Urológica do Hospital das Clínicas da FMUSP. Foram entrevistados 55 pacientes e os dados foram analisados segundo o método qualitativo de análise do Discurso do Sujeito Coletivo. Observou-se que a visita é percebida pelo paciente de maneira ambígua e conflitiva. Referem dificuldades para compreender o que é dito a respeito de sua doença e sentem-se desinformados, desamparados e excluídos de seu próprio tratamento. Por outro lado, sentem-se acolhidos e prestigiados quando recebem por parte de toda equipe, no momento da visita, atenção e informação sobre sua doença e tratamento. Foram feitas sugestões para o melhor aproveitamento da situação de visita médica no hospital-escola, de modo que, sem perder seu objetivo didático, ela possa assumir um papel mais efetivo na assistência ao paciente.

Palavras chave: Hospitalização, Relação médico-paciente, Visita médica.

 

 

Reflexions About the Medical Visits at a University Hospital

ABSTRACT: The medical visit is a routine at a university hospital. It has didactic purposes and clinical cases, diagnostic techniques ant treatment possibilities are discussed. Probably it's the most important learning tool for medicine students and residents. However, this practice may have negative effects on some patients. This study aimed at investigating the ideas and feelings awaked by this procedure in hospitalized patients during medical visits at the Kidney Transplant Unit of the Urology Departmen at Hospital das Clínicas, São Paulo University. Fifty-five inpatients were interviewed. The answers were analyzed according to the "Collective Subject Speech" qualitative approach. Data point out that patients have an ambiguous and conflictive perception of medical visits, referring difficulties to understand medical expressions, feeling abandoned and excluded from their own treatment. On the other hand, they feel protected and important when they receive attention and information by the medical staff. Suggestions were made aiming at the better use of the situation so that without losing its didactic objective the assistencial aspect may be improved.

Key words: Doctor-patient relationship, Hospitalization, Medical visits.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

REFERÊNCIAS

 

Almeida, R.O. (1997). Saúde e Educação: A medicina homeopática. Revista de Homeopatia - APH, 59(2), 52-57.         [ Links ]

Balint, M. (1984). O médico seu Paciente e a Doença. RJ - SP, Atheneu.

Brescia, S., & Quayle, J. (1997). A percepção do paciente em relação à visita médica num hospital-escola: Estudo exploratório. Revista de Educação Médica, 21(2/3), 36-43.

Capisano, H.F. (1966). Relação médico-paciente. Revista de Medicina, 50, 85-92

Cataldo, A., Vilas Boas, P., Martins, F.P., Bridi, L.O, Martinho, M.M. Amaral, P.C.M., & Machado, R.C.A. (1996). A informação retida pelo paciente: Estudo em um hospital-escola. Revista Brasileira de Educação Médica, 20(2/3), 19-25.

Ferrari, H., Luchina, N., & Luchina, I. (1971). La Interconsulta Médico-Psicológica en el marco hospitalario. Buenos Aires: Ediciones Nuevas Visión.

Lefèvre, F., & Lefèvre, A.M.C. (1999). Novas Abordagens Metodológicas em Pesquisa Qualitativa. São Paulo:Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública.

Lima Filho, M.T.(1988). Visitas gerais à beira do leito: Prática a ser mantida ou abandonada? Revista Paulista de Medicina, 106(1), 5.

Luz, P. (1988). Formação médica e pesquisa: Bases da realização profissional em medicina. Revista Brasileira de Clínica Terapêutica, 18(4), 133-144.

Machado, S., Ceitlim, L., Schneider, F., Soibelman, L, Piltcher, R, Alberti, W., Gis, G., Vasconcellos, M.C., Caleff, L., Rocha, D., Benia, L., Lorenzon, L., & Pultcher, O. (1992). Percepções do Paciente a respeito de sua doença: Estudo Piloto. Revista da Associação Médica Brasileira, 38(2), 80-84.

Melo, J.M.S. (1974). A medicina e sua história. Rio de Janeiro: EPUC.

Oliveira, A.B. (1981). A evolução da medicina. São Paulo: Atheneu.

Pinto, L.F. (1993). Ética, a medida de todas as coisas. Bahia: Publicações do CRM.

Pita, A. (1990). Hospital dor e morte como ofício. São Paulo: Hucitec.

Quayle, J., Kahhale, S., Sabbaga, E., Neder, M., & Zugaib, M. (1998). Opiniões de gestantes hipertensas internadas sobre a visita médica e a internação: Estudo preliminar. Revista de Ginecologia e Obstetrícia, 9(2), 61-65.

Rohde, L., Palm, E., Carvalhal, G.F., Caramori, M.L., Brunstein, C.G., Caramori, C.R., & Prolla, J.C. (1990). Avaliação num hospital universitário do nível de informação que os pacientes possuem sobre sua internação e a doença. Revista Hospital de Clínicas de Porto Alegre, 10(3), 134-140.

Sandler, P.C. (1971). A relação médico paciente. Revista de Medicina, 55(1), 59-68.

Souza, M.L.R. (1992). O hospital: Um espaço terapêutico? Percurso, 2(9), 22-28.