SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número1Mental health inventory: um estudo de adaptação à população portuguesaComportamentos de adesão ao rasteio do cancro da próstata (estudo exploratório) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.2 n.1 Lisboa jul. 2001

 

Cognições antecipatórias: um estudo comparativo e correlacional

David Pires Barreira1, Frederico Cavaglia1,2, & Ana Matos Pires1,2

1Instituto Superior de Ciências da Saúde – Sul

2Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Lisboa

 

Resumo: O objectivo do presente estudo é avaliar o efeito do género e do estado civil na antecipação. É colocada a hipótese de que estas duas variáveis apresentem uma interacção, quando se avaliam as cognições antecipatórias. De modo a atingir os nossos objectivos seleccionamos duas amostras, uma composta por indivíduos do sexo feminino e outra por indivíduos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 15 e os 59 anos (N=350). Todos os indivíduos foram avaliados com o Questionário de Cognições Antecipatórias (QCA), que permite uma avaliação da gravidade das cognições antecipatórias. As medidas do QCA permitem uma clara discriminação entre os dois sexos e são influenciadas pelo estado civil. Este, encarado como factor de risco para a depressão, parece afectar mais o sexo masculino.

Palavras chave: Cognições antecipatórias, Depressão, Efeito de género.

 

Anticipatory cognitions: a comparative and correlational study

Abstract: Our aim in this study was to evaluate the gender and marital status effect on anticipation. We hypothesise that both variables influence anticipatory cognitions and beyond that these two independent variables present a relevant interaction. In order to attain our objectives, two convenience samples were formed, based on gender and with ages between 15 and 59 years. A total of 350 subjects were interviewed. The Anticipatory Cognitions Questionnaire was applied to assess the negative anticipatory cognitions severity. The measures obtained allow a clear discrimination between the male and female groups and are also feigned by the marital status. The latter, viewed before as a risk factor for depression seems to further strike the male gender.

Key words: Anticipatory cognitions, Depression, Gender effect.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

Referências

A.P.A. (1994). Diagnosis and statistical manual of mental disorders (4rd ed.). Washington, DC: American Psychiatric Association.         [ Links ]

Atkinson, R.L., Atkinson, R.C., Smith, E.E., & Bem, D.J. (1995). Introdução à psicologia. Porto Alegre: Artes médicas.

Figueira, M.L., & Ramos, V. (1995). Cognições antecipatórias e dimensões da depressão. Psiquiatria na Prática Médica, 8(4) 5-13.

Greene, J., & Oliveira, M. (1999). Learning to use statistical tests in psychology (2nd ed.). Buckingham: Open University Press.

Légeron, P., Rivière, B., Marboutin, J.P., & Rochat C. (1993). The antecipatory cognitions questionnaire (ACQ). Présentation and validation. L’Encéphale, XIX, 11-16.

Sutter, J. (19833). L’anticipation. Paris: Presses Universitaires de France.

Sutter, J., & Berta, M. (1991). L’Anticipation et ses applications cliniques. Paris: Presses Universitaires de France.