SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.serIII número2Consciência ambiental na Enfermagem: Reconstruíndo um mundo melhor com a contribuição dos estudantesEficácia de um protocolo de intervenção psicológica em situações de perda perinatal: A percepção das utentes índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Enfermagem Referência

versão impressa ISSN 0874-0283

Rev. Enf. Ref. serIII n.2 Coimbra dez. 2010

 

Cuidar no paradigma da desinstitucionalização: A sustentabilidade do idoso dependente na família

 

Isabel Araújo*; Constança Paul**; Manuela Martins***

* Professora Coordenadora; Directora do Departamento de Enfermagem da Escola Superior de Saúde de Vale do Ave. Doutoranda em Ciências de Enfermagem [isabel.araujo@ipsn.cespu.pt]

** Professora do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto. Doutorada em Ciências Biomédicas na especialidade de Gerontologia. [paul@icbas.up.pt]

*** Professora Coordenadora as Escola Superior de Enfermagem do Porto. Doutorada em Ciências de Enfermagem. [mmartins@esenf.pt]

 

Resumo

Este estudo teve como objectivos caracterizar famílias com um idoso dependente em contexto familiar e identificar apoios sociais das famílias com um idoso dependente. Foi realizado um estudo exploratório descritivo de natureza qualitativa. Recorremos à entrevista semi-estruturada para colheita de informação (elaboração de genograma e ecomapa). Seleccionamos uma amostra intencional de 108 famílias de um concelho, de uma região Norte de Portugal. A colheita de dados ocorreu no período de Outubro 2007 a Junho de 2008. Os resultados mostraram que as famílias com idosos dependentes são predominantemente famílias nucleares e envelhecidas, com apoios formais e informais restritos. Nas fontes informais, a figura dos filhos foi a mais relatada seguindo-se os vizinhos e amigos, enquanto, nas formais foram referidas as unidades de saúde e profissionais de saúde: médico, enfermeiro, fisioterapeuta, farmacêutico e assistente social.

Palavras-chave: cuidadores; família; apoio social; idoso dependente.

 

Caring in the deinstitutionalization paradigm of: sustaining dependent elders in the family

Abstract

This study main objectives were to describe families living with a dependent elder and to identify the social support of these families. We carried out a qualitative exploratory study using semi-structured data collection methods (development of eco-maps and genograms). We selected a sample of 108 families in a region of northern Portugal. Data collection took place from October 2007 to June 2008. The results showed that families with dependent elders are predominantly older nuclear families, with limited formal and informal support. With regard to informal sources, family relationships were the most reported, followed by neighbours and friends, while for formal sources the most mentioned were healthcare facilities and healthcare professionals: doctors, nurses, physiotherapists, pharmacists and social workers.

Keywords: caregivers; family; social support; frail elderly.

 

El cuidado en el paradigma de desinstitucionalización: la sostenibilidad de las personas mayores dependientes en la família

Resumen

Este estudio tiene como objetivo caracterizar a las familias con un anciano dependiente en contexto familiar e identificar los apoyos sociales de las familias con un anciano dependiente. Se realizó un estudio exploratorio descriptivo de naturaleza cualitativa. Hemos recurrido a la entrevista semi-estructurada para recopilar información (elaboración de genograma y ecomapa). Se seleccionó una muestra intencional de 108 familias de una región al norte de Portugal. Los datos fueron recolectados entre Octubre de 2007 y Junio de 2008. Los resultados mostraron que las familias con personas mayores con dependencia son en su mayoría familias nucleares y envejecidas, con un apoyo limitado formal e informal. En las fuentes informales, la figura de los hijos fue la más relatada, siguiéndose los vecinos y amigos, mientras que en las formales fueron referidas las unidades de salud y profesionales de la salud: médico, enfermero, fisioterapeuta, farmacéutico y asistente sociales.

Palabras clave: cuidadores, familia, apoyo social, anciano dependiente.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

Referências bibliográficas

ALMEIDA, L. S. ; FREIRE, T. (2007) – Metodologia da investigação em psicologia e educação. Braga : Psiquilibrios Edições.

ARAÚJO, I. M. ; PAÚL, C. ; MARTINS, M. M. (2008) - Cuidar das famílias com um idoso dependente por AVC: do hospital à comunidade - um desafio. Referência. Série 2, nº 7, p. 43-53.        [ Links ]

ARAÚJO, I. M. ; PAÚL, C. ; MARTINS, M. M. (2009) – Cuidar de idosos dependentes no domicilio: desabafos de quem cuida. Ciência, Cuidado e Saúde. Vol. 8, nº 2, p. 191-197.

BARDIN, L. (2008) – Análise de conteúdo. Lisboa : Edições 70.

CALDAS, C. P. (2003) – Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 19, nº 3, p. 773-781.

CARREIRA, L. ; RODRIGUES, R. A. P. (2006) – Estratégias da família utilizadas no cuidado ao idoso com condição crónica. Ciência, Cuidado e Saúde. Vol. 5, Supl., p. 119-126.

CARRILHO, M. J. ; GONÇALVES, C. (2006) – Dinâmicas territoriais do envelhecimento: análise exploratória dos resultados dos censos 91 e 2001 [Em linha]. [ Consult. 20 Nov. 2006]. Disponível em WWW:<URL:http://www.advita.pt>..

CONSELHO NACIONAL DE ENFERMEIRAS (2002) - Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem: CIPE/ICNP: versão Beta 2. Lisboa : Associação Portuguesa de Enfermeiros.

O ENVELHECIMENTO EM PORTUGAL: situação demográfica e sócio-económica recente das pessoas idosas. Estudo elaborado pelo Serviço de Estudos sobre a População do Departamento de Estatísticas Censitárias da População no âmbito da II Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento. Revista de Estudos Demográficos. Nº 32, p. 185-208.

FIGUEIREDO, D. (2007) – Cuidados familiares ao idoso dependente. Lisboa : Climepsi Editores.

HANSON, S. M. (2005) – Enfermagem de cuidados de saúde à família: teoria, prática e investigação. Loures : Lusodidacta.

NARDI, E. F. R. ; OLIVEIRA, M. L. F. (2008) – Conhecendo o apoio social ao cuidador familiar do idoso dependente. Revista Gaúcha Enfermagem. Vol. 29, nº 1, p. 47-53.

NERI, A. L. (2005) – Palavras chave em gerontologia. Campinas : Alínea.

PETRONILHO, F. A. S. (2010) – A transição dos membros da família para o exercício do papel de cuidadores quando incorporam um membro dependente no autocuidado: Uma revisão de Literatura. Revista Investigação em Enfermagem. Nº 21, p. 43-57.

PINTO, J. L. G. [et al.] (2006) – Características do apoio social oferecido a idosos de área rural assistida pelo PSF. Ciência & Saúde Colectiva. Vol. 11, nº 3, p. 753-764.

PORTUGAL. Instituto Nacional de Estatística (2007) - Nos próximos vinte e cinco anos o número de idosos poderá mais do que duplicar o número de jovens [Em linha]. [Consult. 17 Fev. 2009]. Disponível emWWW:<URL:http://www.ine.pt/>.

RELVAS, A. P. (2006) – O ciclo vital da família: perspectiva sistémica. Porto : Edições Afrontamento.

SILVA, J. F. (2006) – Quando a vida chegar ao fim. Loures : Lusociência.

SILVEIRA, T. M. ; CALDAS, C. P. ; CARNEIRO, T. F. (2006) – Cuidando de idosos altamente dependentes na comunidade: um estudo sobre cuidadores familiares principais. Cadernos de Saúde Publica. Vol. 22, nº 8, p. 1629-1638.

STAMN, M. ; MIOTO, R. C. T. (2003) – Família e cuidado: uma leitura para além do óbvio. Ciência, Cuidado e Saúde. Vol. 2, nº 2, p. 161-168.

WRIGHT L. M. ; LEAHEY, M. (2009) – Enfermeiras e famílias: um guia para avaliação e intervenção na família. São Paulo : Editora Roca.

 

Recebido para publicação em: 02.02.10

Aceite para publicação em: 20.07.10

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons