SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.serIII número2A prática educativa em saúde nas consultas de enfermagem e nos encontros com gruposConsciência ambiental na Enfermagem: Reconstruíndo um mundo melhor com a contribuição dos estudantes índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Enfermagem Referência

versão impressa ISSN 0874-0283

Rev. Enf. Ref. serIII n.2 Coimbra dez. 2010

 

Conhecimento das mulheres sobre o autoexame de mamas na atenção básica

 

Verbena Santos Araújo* ; Maria Djair Dias**; Clarice Maria Carneiro Barreto ***; Ana Rita Ribeiro****; Aleksandra Pereira Costa***** e Leila Alcina Correia Vaz Bustorff******

* UFPB, João Pessoa – PB - BRASIL. Enfermeira. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFPB. [verbena.bio.enf@hotmail.com]

**UFPB, João Pessoa – PB - BRASIL. Doutora em Enfermagem, docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. [mariadjair@yahoo.com.br]

***FCM, Campina Grande – PB – BRASIL. Enfermeira Graduada pela Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande/PB – FCM. [claricessa@hotmail.com]

****FCM, Campina Grande – PB - BRASIL. Enfermeira. Professora da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande. [anarita.pb@hotmail.com]

***** FCM, Campina Grande – PB - BRASIL. Enfermeira. Professora da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande. [aleksandra_costa@yahoo.com.br]

****** UFPB, João Pessoa – PB - BRASIL. Fisioterapeuta. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFPB. [leila_bustorff@yahoo.com]

 

Resumo

O câncer de mama é um dos graves problemas de saúde pública pela sua alta incidência, importância epidemiologia e magnitude social. Este trabalho investigou o conhecimento das mulheres acerca do autoexame, através da detecção daquelas que o fazem e a sua periodicidade. Tratou-se de um estudo quantitativo, realizado na Estratégia Saúde da Família Pedreira I, em Campina Grande/PB. Direcionou-se às mulheres entre 30 e 39 anos, utilizando-se uma amostra de 20% do total de mulheres cadastradas na referida unidade. O material empírico foi obtido através de questionário, o qual foi submetido a uma análise temática e estatística. Os resultados apontaram que 94,59% das entrevistadas conhecem o câncer de mama, 83,7% relataram saber como se prevenir, 67% afirmaram realizar o autoexame, das quais apenas 16 % o fazem regularmente. Após a análise dos dados, observou-se que a maioria das mulheres ainda apresenta dúvidas em relação ao período de realização do autoexame, daí a importância de se fazer uma prevenção adequada. É primordial investir em políticas de saúde pública que informem e incentivem a prática do autocuidado, no período adequado, objetivando a prevenção e, consequentemente, a diminuição dos dados estatísticos notificados de câncer de mama.

Palavras-chave: neoplasias da mama; prevenção e controlo; autoexame; autocuidado.

 

Women´s basic knowledge about breast self-examination

Abstract

Breast cancer is one of the most serious public health problems because of its high incidence, epidemiological importance and social magnitude. This study investigated women’s knowledge about self-examination by identifying those who do it and how often they do so. This was a quantitative study, conducted in the Health Strategy of Pedreira Family I, in Campina Grande / PB. It was directed at women aged between 30 and 39 years, using a sample of 20% of women enrolled in the unit. The empirical data were obtained by questionnaire, which was subjected to thematic and statistical analysis. The results showed that 94.59% of the women knew about breast cancer, 83.7% reported knowing how to prevent it, and 67% reported doing breast self-examination, of whom only 16% did so regularly. After analyzing the data, we found that most women still had questions about the timing of self-examination, hence the importance of appropriate prevention programmes. It is essential to invest in public health policies that inform and encourage the practice of self-care at the right time, aiming at prevention and consequently decreasing the statistics reported for breast cancer.

Keywords: breast neoplasms; prevention and control; self-examination; self care.

 

Conocimiento de las mujeres sobre el autoexamen de mamas en la atención Basic

Resumen

El cáncer de mama es uno de los graves problemas de salud pública dada su alta incidencia, importancia epidemiológica y magnitud social. Este trabajo investigó el conocimiento de las mujeres acerca del autoexamen, mediante la detección de aquellas que lo hacen y su periodicidad. Se trató de un estudio cuantitativo, realizado en la Estrategia de Salud de la Familia Pedreira I, en Campina Grande, Paraíba. Se orientó hacia mujeres entre 30 y 39 años, utilizando una muestra de 20% del total de las mujeres registradas en la referida unidad. El material empírico fue obtenido a través de un cuestionario, el cual fue sometido a análisis temático y estadístico. Los resultados mostraron que 94,59% de las entrevistadas conocen el cáncer de mama, 83,7% relataron saber como prevenirlo, 87% afirmaron realizar el autoexamen, de las cuales solamente 18% lo hacen regularmente. Después del análisis de los datos, se observó que la mayoría de las mujeres todavía tiene dudas en cuanto al período de realización del autoexamen, por lo que es necesaria una adecuada prevención. Es primordial invertir en políticas de salud pública que informen e incentiven la práctica del autocuidado, en el período adecuado, objetivando la prevención y, consecuentemente, la disminución de los datos estadísticos notificados de cáncer de mama.

Palabras clave: neoplasias de la mama; prevención y control; autoexamen; autocuidado.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format

 

Referências bibliográficas

BARROS, D. D. (2005) - Imagem corporal: a descoberta de si mesmo. História, Ciências, Saúde. Vol. 12, nº 2, p. 547-554.        [ Links ]

BERGMANN, A. (2000) - Prevalência de linfedema subseqüente a tratamento cirúrgico para câncer de mama no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro : [s.n.]. Tese de mestrado.

BITTENCOURT, J. F. V. ; CADETE, M. M. (2002) - O apoio familiar: presença incondicional à mulher na possibilidade de vir a ser mastectomizada. Nursing. São Paulo. Vol. 5, nº 50, p. 25-28.

BRASIL. Ministério da Saúde (2002) - Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino–serviço. 2ª ed. Rio de Janeiro : Instituto Nacional Câncer.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (2002) - Resolução 196/96 e suas complementações. Brasília : MS.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer (2008) - Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero e de Mama - Viva Mulher[Em linha]. [Consult. 22 Out. 2008]. Disponível em WWW:<URL:http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=140>.

CAMPOS, S. (2003) - Mulheres que trabalham morrem mais de câncer de mama [Em linha]. [Consult. 08 Nov. 2008]. Disponivel emWWW:< URL://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/7930>.

CRESPO, A. S. ; SILVA, A. M. ; KOBAYASHI, R. M. (2007) - Prevenção, rastreamento e detecção precoce do cancer. In Enfermagem Oncológica. São Paulo : Manole.

DAVIN, R. M. B. [et al.] (2003) - Auto-exame das mamas: conhecimento de usuárias atendidas no ambulatório de uma maternidade escola. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol. 11 nº 1, p. 21-27.

DOLTO, F. (2001) - A imgem inconsciente do corpo. São Paulo : Editora Perspectivas. Vol. 1.

DUARTE, T. P. ; ANDRADE, A. N. (2003) - Enfrentando a mastectomia: análise dos relatos de mulheres mastectomizadas sobre questões ligadas a sexualidade. Estudos de Psicologia. Vol. 8, nº 1, p. 155-163.

FERREIRA, M. L. S. M. ; MAMEDE, M. V. (2003) - Representação do corpo consigo mesma após a mastectomia. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol. 11, nº 3, p. 299-304.

LINARD, A. ; AMORI, F. ; MACHADO, F. (2003) - Detecção precoce do câncer de mama na cidade do Crato-CE. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. Vol. 16, Nº 1-2, p. 3-9.

MARINHO, L. A. B. [et al.] (2003) - Conhecimento, atitude e prática do auto-exame das mamas em Centros de Saúde. Revista de Saúde Publica. Vol. 37, nº 5, p. 576-582.

NOGUEIRA, S. M. B. ; DIÓGENES, M. A. R. ; SILVA, A. R. V. (2006) - Auto-exame das mamas: as mulheres conhecem? Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. Vol. 7, nº 1, p. 84-90.

REZENDE, M. C. R. [et al.] (2009) - Causas do retardo na confirmação diagnóstica de lesões mamárias em mulheres atendidas em um centro de referência do Sistema Único de Saúde do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Ginecologia & Obstétricia. Vol. 31, nº 2, p. 75-81.

SCHILDER, P. (1999) - A imagem do corpo: as energias construtivas da psique. São Paulo : Martins Fontes.

SIMÕES, I. M. H. (2002) - Auto-exame da mama. Referência [Em linha]. No 8, p. 75-78. Disponível em WWW:<URL: http://www.esenfc.pt/rr/rr/index.php?pesquisa=mama&id_website=3&target=DetalhesArtigo&id_artigo=2086. Acesso em: 19/10/2010>.

SMELTZER, S. C. ; BARE, B. G. (2005) - Histórico e tratamento de pacientes com distúrbio de mama. In BRUNNER L. S. ; SUDDARTH, D. S. - Tratado de enfermagem medica cirúrgico. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan.

TESSARO, S. (1999) - Epidemiologia do câncer de mama. In BASEGIO, D. L. - Câncer de mama: abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro : Revinter. Cap. 1.

 

Recebido para publicação em: 23.09.09

Aceite para publicação em: 15.10.10

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons