SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número2Transições e Metamorfoses: Um contributo para o debate sobre os desafios do sindicalismo no contexto das globalizaçõesO cálculo do custo do capital nas decisões de investimento em activos reais em Portugal: uma análise empírica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Economia Global e Gestão

versão impressa ISSN 0873-7444

Economia Global e Gestão v.13 n.2 Lisboa  2008

 

Inefficient utilization of resources - An anti-commons view in the fishing sector: the aquaculture problem

José António Filipe*, Manuel Alberto M. Ferreira** e Manuel Pacheco Coelho***

 

 

ABSTRACT: Anti-Commons Theory is a very recent development in the area of property rights. It intends to explain why an “anti-commons” emerges and why resources may be prone to underuse. In an anti-commons situation there are too many exclusion rights that lead to the under--use of resources. In Portugal, too many people (and institutions) have been involved in the approval processes of aquaculture projects. They may be involved in reaching a decision about the approval of a project which gives rise to the under-utilization of the resources promoters aimed to exploit. In fact, it takes so long to approve a project that the time required for its implementation is excessively delayed.

Key-words: Anti-commons, Anti-commons Tragedy, Property Rights, Exclusion Rights

 

 

TÍTULO: Utilização ineficiente de recursos. O sector pesqueiro numa perspectiva de anti-comuns: O problema da aquacultura

RESUMO: A Teoria dos Anti-Comuns constitui um desenvolvimento muito recente na área dos direitos de propriedade. Pretende explicar a emergência de anti-comuns e por que os recursos tem tendência a serem subutilizados. Numa situação de anti-comuns há excessivos direitos de exclusão que conduzem à subutilização de recursos. Em Portugal, demasiadas individualidades (e instituições) têm estado envolvidas em processos de aprovação de projectos de aquacultura. Podem estar empenhadas em chegar a uma decisão que conduza à subutilização dos recursos que os promotores pretendem explorar. De facto, o tempo dispendido na aprovação do projecto é tão longo que a sua implementação acaba por ser excessivamente retardada.

Palavras-chave: Anti-comuns, Tragédia dos Anti-comuns, Direitos de Propriedade, Direitos de Exclusão

 

 

Full text only available in PDF format.

Texto completo disponível apenas em PDF.

 

 

REFERENCES

Buchanan & Yoon (2000), «Symmetric Tragedies: Commons and Anticommons». Journal of Law and Economics, vol. 43, n.º1, pp.1-13.        [ Links ]

Filipe, J. A. (2006), «O Drama dos Recursos Comuns. Um caso de Aplicação da Teoria dos Jogos aos Comuns da Pesca. Estudo da Cooperação aplicada à pesca da sardinha nas Divisões VIIIc e IXa do ICES». PhD Thesis presented at ISCTE. Lisboa.

Filipe, J. A., Coelho, M. & Ferreira, M.A.M. (2006a), «A Tragédia dos Anti-Comuns: um novo problema na gestão da pesca?». ISEG. UTL. Seminário do Departamento de Economia (Nº15/2005/2006). Working paper.

Filipe, J. A., Coelho, M. & Ferreira, M.A.M. (2006b), «The Drama of the Commons: an application of Cournot-Nash Model to the sardine in Portuguese Waters». Thirteen Annual International Conference on Advances in Management (ICAM 2006). Proceedings. http://icam2006.eg.iscte.pt/. Lisboa. 19-22 de Julho de 2006.

Filipe, J. A., Coelho, M. & Ferreira, M.A.M. (2007), O Drama dos Recursos Comuns. À Procura de Soluções para os Ecossistemas em Perigo. Sílabo. Lisboa.

Hardin (1968), «The Tragedy of the Commons». Science,162, pp.124-148.

Heller, M. A. (1998), «The tragedy of the anticommons: property in the transition from Marx to markets». Harvard Law Review, vol. 111.

Michelman, F. I. (1982), «Ethics, economics and the law of property», In J. R. Pennock & J. W. Chapman (Eds.) Nomos XXIV: Ethics, Economics and the Law, New York University Press, New York.

Parisi, F., Depoorter, B., & Schulz, N. (2005), «Duality in Property: commons and anti-commons». International Review of Law and Economics 25(4), pp. 1-25.

DGPA (2007), Programa Operacional da Pesca 2007-2013, versão provisória, http://www.dg-pescas.pt/pls/portal/docs/FOLDER/DGPA_CONTENT_AREA/NOTICIAS/DESTAQUES/PO_PESCA_22_5_07.PDF.

 

 

*José António Filipe

jose.filipe@iscte.pt

Doutor em Métodos Quantitativos. Professor Auxiliar do Departamento de Métodos Quantitativos do ISCTE. Investigador na UNIDE/ISCTE.PhD in Quantitative Methods (ISCTE). Assistant Professor in Quantitative Methods Departament at ISCTE. Researcher of UNIDE/ISCTE.

 

**Manuel Alberto M. Ferreira

manuel.ferreira@iscte.pt

Doutor em Gestão (ISCTE). Professor Catedrático com Agregação na Área de Metódos Quantitativos do ISCTE. Foi Presidente do Conselho Directivo e Vice-Presidente do ISCTE. Investigador na UNIDE/ISCTE.PhD in Management (ISCTE). Full Professor with an Aggregation in Quantitative Methods Area of ISCTE. Former chairman of the board of the Directors and Vice-President of ISCTE. Researcher of UNIDE/ISCTE.

 

***Manuel Pacheco Coelho

coelho@iseg.utl.pt

Doutor em Economia (ISEG/UTL) Investigador do CIRIUS, CISEP e SOCIUS/ISEG.PhD in Economics (ISCTE/UTL). Reseacher of CIRIUS, CISEP and SOCIUS/ISEG.