SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número1O factor cliente como determinante estratégicoEvolução recente da situação social no Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Economia Global e Gestão

versão impressa ISSN 0873-7444

Economia Global e Gestão v.13 n.1 Lisboa abr. 2008

 

O estado da alterglobalização em Portugal*

 

Marinús Pires de Lima e Cristina Nunes

 

RESUMO: O Fórum Social Mundial é o expoente máximo do encontro mundial da diversidade social e cultural. É um local onde os movimentos sociais e as Organizações Não Governamentais podem, ao mesmo tempo, dar a conhecer as suas lutas nacionais e regionais por uma globalização solidária e estabelecer ligações. Em Portugal, a alterglobalização ainda não atingiu a significação de movimento social, porque não se passou da função crítica das manifestações ao seu possível significado positivo.

Palavras-chave: Globalização, Movimentos Sociais, Fórum Social Mundial, Fórum Social Português

 

TITLE: “Alterglobalisation” in Portugal

ABSTRACT: The World Social Forum stands for the peak of world’s social and cultural diversity meeting. It is a place where social movements and Non Governmental Organizations may, at the same time, spread their national and regional struggles for a solidary globalisation and make connections. In Portugal, the «alterglobalisation» still has not reached the status of a social movement, due to the fact that it is yet at the stage of criticising through public demonstrations instead of pointing out positive aspects.

Key words: Globalisation, Social Movements, World Social Forum, Portuguese Social Forum

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CASTELLS, M. (2002), A Sociedade em Rede. Fundação Gulbenkian, Lisboa.         [ Links ]

DUBET, F. (1994), Sociologie de l’Expérience. Seuil, Paris.

FARRO, A. (2000), Les Mouvements Sociaux. Presses de l’Université de Montreal, Quebéc.

FARRO, A. (2003), «Le tournant italien». In M. Wieviorka (Ed.), Un Autre Monde... Éditions Balland, Paris, pp. 177-194.

GOHN, G., org. (2003), Movimentos Sociais no Início do Século XXI – Antigos e Novos Atores Sociais. Vozes, Petropólis.

HELD, D. e MCGREW, A., eds. (2001), The Global Transformations Reader. Blackwell Publishers, Cambridge.

LIMA, M. P. et al. (1992), A Acção Sindical e o Desenvolvimento. Salamandra, Lisboa.

LIMA, M. P. e NUNES, C. (2003), «Movimentos colectivos na era da globalização». Janus 2004 – Anuário de Relações Exteriores, Público/UAL, Lisboa, pp. 40-41.

MCDONALD, Kevin (2002), «From Solidarity to Fluidarity: social movements beyond collective identity – the case of globalisations conflicts». XIV Congresso Mundial de Sociologia, Brisbane, Julho.

MENDES, J. M. e SEIXAS, A. M. (2005), «Acção colectiva e protesto em Portugal: os movimentos sociais ao espelho dos media (1992-2002)». Revista Crítica de Ciências Sociais, vol. 72, pp. 99-127. NUNES, C. (2004), «Movimentos Alterglobalização: A Emergência de Novas Formas de Acção Colectiva?». Tese de licenciatura não publicada, Lisboa, ISCTE.

PUREZA, J. M. e FERREIRA, A. C., orgs. (2002), A Teia Global – Movimentos Sociais e Instituições. Edições Afrontamento, Porto.

REBELO, J., coord. (2003), Novas Formas de Mobilização Popular. Campo das Letras, Porto.

SANTOS, B. S., org. (2001), Globalização: Fatalidade ou Utopia? Edições Afrontamento, Porto.

SANTOS, B. S. (2005), «A crítica da governação global: o Fórum Social Mundial como política e legalidade cosmopolita subalterna». Revista Crítica de Ciências Sociais, vol. 72, pp. 7-44.

SEOANE, J. e TADDEI, E., orgs. (2001), Resistências Mundiais – De Seattle a Porto Alegre. Vozes, Petropólis.

TILLY, C. (1978), From Mobilization to Revolution. Random House, New York.

TOURAINE, A. (1984), O Retorno do Actor. I. Piaget, Lisboa.

TOURAINE, A. (1992), Critique de la Modernité. Fayard, Paris.

TOURAINE, A. e KHOSROKHAVAR, F. (2000), La Recherche de Soi. Dialogue sur le Sujet. Fayard, Paris.

TOURAINE, A. (2005), Un Nouveau Paradigme. Pour Comprendre le Monde d’Aujourd´hui. Fayard, Paris.

WIEVIORKA, M. (2003a), «Os movimentos antimundialização». In José Rebelo (Ed.), Novas Formas de Mobilização Popular. Campo das Letras, Porto, pp. 17-38.

WIEVIORKA, M., dir. (2003b), Un Autre Monde... Éditions Balland, Paris.

WIEVIORKA, M., org. (2007), Le Printemps du Politique. Pour en Finir avec le Déclinisme. Robert Laffont, Paris.

 

Marinús Pires de Lima

marinus.pires.lima@ics.ul.pt

Investigador Principal – Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; Professor – ISCTE.

Researcher – Instituto de Ciências Sociais of Universidade de Lisboa; Professor at ISCTE.

 

Cristina Nunes

cristina.nunes@ics.ul.pt

Colaboradora de Investigação – Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Research Assistant – Instituto de Ciências Sociais of Universidade de Lisboa.

 

* Este artigo será também publicado, em Itália, no livro Una Altra Europa, coordenado pelo Prof. Antimo Farro (Universidade de Roma La Sapienza).