SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número41Violência na escola: das políticas aos quotidianosIdentidades juvenis e dinâmicas de escolaridade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Sociologia, Problemas e Práticas

versão impressa ISSN 0873-6529

Sociologia, Problemas e Práticas  n.41 Oeiras jan. 2003

 

LITEREXCLUSÃO NA VIDA QUOTIDIANA

Maria do Carmo Gomes *

 

Resumo Compreender de que modo as pessoas com baixas qualificações escolares formais lidam com a informação escrita no seu dia-a-dia, constitui o principal objectivo deste artigo. Para tal, e a partir de um estudo de caso sobre o fenómeno da literacia, no contexto dos cursos de educação de adultos, do ensino básico recorrente do 1.º ciclo, analisam-se as dimensões processuais da utilização da leitura, da escrita e do cálculo na vida quotidiana. Exploram-se as práticas de literacia desenvolvidas, as situações em que são accionadas as competências básicas, os obstáculos encontrados e as soluções adaptativas preconizadas. Por fim, apresenta-se o conceito de literexclusão como uma das dimensões processuais das situações de exclusão social.

Palavras-chave Literexclusão, literacia, competências básicas, exclusão social.

 

Abstract The main objective of this article is to understand how people with low levels of formal scholastic qualifications deal with written information in their daily lives. Basing herself on a case study on the phenomenon of literacy in the context of primary-school-level adult education courses, the author looks at the procedural aspects of the day-to-day use of reading, writing and arithmetic. She explores the literacy practises that are employed, the situations in which basic skills are used, the obstacles that people come up against and the adaptive solutions that are recommended. Finally she puts forward the concept of literexclusion as one of the procedural faces of social exclusion.

Keywords Literexclusion, literacy, basic skills, social exclusion.

 

Résumé Cet article a pour principal objectif d’essayer de comprendre de quelle manière les populations ayant de faibles qualifications scolaires formelles perçoivent l’information écrite dans leur vie quotidienne. A cet effet, et à partir d’une étude de cas sur le phénomène de la littératie, dans le contexte des cours pour adultes de l’enseignement de base récurrent du 1er cycle, l’article analyse les différentes dimensions de l’utilisation de la lecture, de l’écriture et du calcul dans la vie quotidienne. Il étudie les pratiques de lettrisme développées, les situations qui font appel aux compétences de base, les obstacles rencontrés et les solutions d’adaptation préconisées. Enfin, il présente le concept de littérexclusion en tant que dimension associée aux situations d’exclusion sociale en général.

Mots-clés Littérexclusion, littératie, compétences de base, exclusion sociale.

 

Resúmene Comprender de que manera las personas con bajas calificaciones escolares se manejan con la información escrita en el día a día, es el objetivo principal de este artículo. Para ello, y partiendo de un estudio de caso sobre la literacia, en el contexto de los cursos de educación para adultos, de la enseñanza básica del primer ciclo, se analizan las dimensiones de la utilización de la lectura, de la escritura y del cálculo en la vida cotidiana. Se investigan las prácticas de literacia desarrolladas, las situaciones en las que se ponen en marcha las competencias básicas, los obstáculos encontrados y las soluciones adaptativas preconizadas. Por fin, se presenta el concepto de “literexclusión” como una de las dimensiones procesales de las situaciones de exclusión social.

Palabras-clave Literexclusión, literacia, competencias básicas, exclusión social.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

Referências bibliográficas

Benavente, Ana (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa, e Patrícia Ávila (1996), A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação.         [ Links ]

Carey, Siobhán (org.), Ann Bridgwood, Margaret Thomas, e Patrícia Ávila (2000), Measuring Adult Literacy: The International Adult Literacy Survey (IALS) in the European Context, Londres, Office for National Statistics.         [ Links ]

Castells, Manuel (1998), The Information Age: Economy, Society and Culture, vol. III, Oxford, Blackwell.         [ Links ]

Castro-Caldas, A., K. M. Petersson, A. Reis, S. Stone_elander e M. Ingvar (1998), “The illiterate brain: learning to read and write during childhood influences the functional organization of the adult brain”, em Brain, 121, pp. 1053-1063.         [ Links ]

Costa, António, e Patrícia Ávila (1998), “Problemas da/de literacia: uma investigação na sociedade portuguesa contemporânea”, Ler História, 35, pp. 127-150.         [ Links ]

Delgado-Martins, Maria Raquel; Armanda Costa, e Glória Ramalho (2000), Literacia e Sociedade: Contribuições Pluridisciplinares, Lisboa, Caminho.        [ Links ]

Dias, Helena Caninhas (1996), “Agricultores e literacia: relação com a informação institucional e vida quotidiana no Centro Litoral”, em Ana Benavente (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa e Patrícia Ávila, A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 357-392.         [ Links ]

Gomes, Maria do Carmo (2002), Literacia e Educação de Adultos: Percursos, Processos e Efeitos. Um Estudo de Caso, Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, dissertação de mestrado.         [ Links ]

Goody, Jack (1988), A Domesticação do Pensamento Selvagem, Lisboa, Editorial Presença.        [ Links ]

Hoggart, Richard (1957, 1981), The Uses of Literacy, Harmondsworth, Penguin Books.        [ Links ]

Iturra, Raul (1990), A Construção Social do Insucesso Escolar: Memória e Aprendizagem em Vila Ruiva, Lisboa, Editora Escher.        [ Links ]

Lévi-Strauss, Claude (1908, 1976), O Pensamento Selvagem, São Paulo, Companhia Editora Nacional.        [ Links ]

Machado, Fernando Luís, (1996), “Minorias e literacia: imigrantes guineenses em Portugal”, em Ana Benavente (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa e Patrícia Ávila, A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 171-238.        [ Links ]

Mansinho, Maria Inês (1999), “Saber ler e escrever: comunicar com os agricultores”, Sociologia, Problemas e Práticas, 30, pp. 165-192.        [ Links ]

Mónica, Maria Filomena (1977), “’Deve-se ensinar o povo a ler?’: a questão do analfabetismo (1926-39)”, Análise Social, XIII (50), pp. 321-353.        [ Links ]

Mónica, Maria Filomena (1980), “Ler e poder: debate sobre a educação popular nas primeiras décadas do século XX”, Análise Social, XVI (63), pp. 499-518.         [ Links ]

Mosenthal, Peter, e Irwin Kirsch (1998), “A new measure for assessing document complexity: the PMNOSE/IKIRSCH document readability formula”, Journal of Adolescent and Adult Literacy, 41 (8), pp. 638-657.        [ Links ]

OECD, e Statistics Canada (2000), Literacy in he Information Age: Final Report of the International Literacy Study, Paris/Otava, OECD and Minister of Industry.        [ Links ]

Pike, Kenneth L. (1990), “On the emics and etics of Pike and Harris”, Thomas N. Headland, Kenneth L. Pike e Marvin Harris, Emic and Etics, Londres, Sage Publications, pp. 28-48.        [ Links ]

Ramos, Rui (1988), “Culturas da alfabetização e culturas do analfabetismo em Portugal: uma introdução à história da alfabetização no Portugal contemporâneo”, Análise Social, XXIV (103-104), pp. 1067-1145.        [ Links ]

Reis, Filipe (1995), Saberes e Contextos de Aprendizagem: Práticas Escolares e Usos Quotidianos da Escrita, PAPCC, Lisboa, ISCTE.        [ Links ]

Reis, Filipe (1997), “Da antropologia da escrita à literacia: algumas reflexões sobre o estudo nacional de literacia”, Educação, Sociedade e Culturas, 8, pp. 105-120.        [ Links ]

Sebastião, João (1996), “Relações dos jovens com a literacia: contextos de socialização em meio operário”, em Ana Benavente (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa e Patrícia Ávila, A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 239-265.         [ Links ]

Teixeira, Leonor, e Miguel Fontes (1996a), “A literacia na vida quotidiana dos idosos: duas freguesias do centro histórico de Lisboa”, em Ana Benavente (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa e Patrícia Ávila, A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 267-310.         [ Links ]

Teixeira, Leonor, e Miguel Fontes (1996b), “Literacia numa vila do interior: trabalhadores fabris e do pequeno comércio”, em Ana Benavente (org.), Alexandre Rosa, António Firmino da Costa e Patrícia Ávila, A Literacia em Portugal: Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 311-355.        [ Links ]

Todd, Emmanuel (1990), L’Invention de l’Europe, Paris, Éditions du Seuil.         [ Links ]

Vincent, David (2000), The Rise of Mass Literacy: Reading and Writing in Modern Europe, Cambridge, Polity Press.         [ Links ]

 

*Maria do Carmo Gomes. Socióloga. Investigadora do CIES/ISCTE. E-mail: carmo.gomes@iscte.pt

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons