SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número1Peso corporal e comorbilidade são indicadores da mortalidade em doentes com DPOC sob oxigenioterapia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Pneumologia

versão impressa ISSN 0873-2159

Rev Port Pneumol v.13 n.1 Lisboa jan. 2007

 

Evitar o efeito da vacinação BCG na detecção de infecção por Mycobacterium tuberculosis com um teste sanguíneo 1

Avoiding the effect of BCG vaccination in detecting Mycobacterium tuberculosis infection with a blood test 1

 

R. Diel

M Ernst

G Doscher

L Visuri-Karbe

U Greinert

S Niemann

A Nienhaus

C Lange

 

Uso de um teste baseado em células T para detecção de tuberculose infecção em doentes imunocomprometidos 2

Use of a T-cell-based test for detection of tuberculosis infection among immunocompromised patients 2

 

F Piana

L Codecasa

P Cavallerio

M Ferrarese

G Migliori

L Barbarano

E Morra

D. Cirillo

 

Resumo

O risco de progressão da infecção por Mycobacterium tuberculosis para tuberculose-doença é sobretudo elevado nos primeiros anos após a infecção, estimando-se que 50% dos casos de tuberculose-infecção desenvolvem doença nos dois anos seguintes.

A investigação precoce dos contactos baseia-se neste facto, e o teste cutâneo de tuberculina tem sido largamente utilizado como a prova de rastreio, apesar da sua limitação na população vacinada com BCG, nas reacções cruzadas com micobactérias não tuberculosas e na anergia cutânea em grupos específicos.

Nos presentes estudos avalia-se a maior especificidade (no primeiro) e a maior sensibilidade (no segundo) de um novo teste sanguíneo na detecção de tuberculose- infecção.

Este teste laboratorial feito em uma única amostra de sangue do doente baseia-se na libertação de gama-interferão das células T CD4 do indivíduo infectado quando expostas a antigenes micobacterianos. A libertação de interferão é fortemente estimulada por antigenes do Mycobacterium tuberculosis ausentes no M. bovis e na grande maioria das restantes micobactérias – conferindo especificidade ao teste.

Estes antigenes ESAT-6/ CFP10 (early secretory antigenic target 6/ culture filtrated protein 10) reagem com o sangue do indivíduo infectado, levando à libertação de gama-interferão medido pelos métodos ELISA ou ELISPOT, dependendo do fabricante, respectivamente – Quantiferon Gold; Cellestis Limited, Austrália; e T-Spot.TB, Oxford Immunotec, UK.

No primeiro estudo referenciado, 369 pessoas da academia de Polícia alemã foram avaliadas para o risco de tuberculose-infecção após o contacto com militar a quem foi diagnosticada tuberculose pulmonar com presença de bacilos ácido-alcool resistentes 3+ em exames de expectoração, com posterior cultura positiva para Mycobacterium tuberculosis.

Foi efectuado teste de Mantoux a todos os contactos, e aos que apresentavam o teste positivo (induração = 5mm) foi efectuada radiografia de tórax e doseamento de interferão pelo teste ELISPOT. O grupo de controlo foi seleccionado aleatoriamente dos contactos com Mantoux negativo.

Registou-se vacinação BCG prévia em 158 (42,8%) militares.

A concordância dos 2 testes (tuberculina /ELISPOT) nos não vacinados foi de 100% nos casos de tuberculina negativa (todos apresentavam ELISPOT negativo) e de 50% nos casos de tuberculina positiva (apenas metade apresentava ELISPOT positiva).

Nos casos vacinados, apenas 4 dos 38 contactos com tuberculina positiva apresentavam ELISPOT positivo (concordância de 10,5% entre os 2 testes). Também neste grupo todos os casos negativos ao teste de tuberculina testados com ELISPOT se mantiveram negativos.

Usando para limite de positividade do teste de tuberculina a induração = a 10 mm, obtém-se um maior índice de concordância entre os 2 testes.

Os autores concluem que o ELISPOT é superior ao teste de tuberculina na detecção de tuberculose-infecção latente e deverá ser escolhido quando se considera o início de quimioprofilaxia em indivíduos com vacinação BCG ou cujo contacto é duvidoso.

O segundo estudo compara a eficácia do doseamento de gama interferão pelo teste T-Spot.TB com a prova cutânea de tuberculina no diagnóstico de tuberculose-infecção num grupo de doentes imunocomprometido. O estudo foi efectuado na unidade de hematologia e quimioterapia de um hospital de Milão, envolvendo 138 doentes com exposição nosocomial a um caso de tuberculose pulmonar.

O teste de tuberculina foi positivo (induração = 5mm) em 24 contactos, enquanto o T-Spot.TB o foi em 61 casos, demonstrando maior sensibilidade do TSpot. TB e falsos negativos do teste de tuberculina por anergia neste grupo de doentes.

Além disso, verificou-se que os contactos com maior tempo de exposição ao caso apresentavam maior probabilidade de T-Spot.TB positivo, correlação que não se verificou com o Mantoux.

Por outro lado, o resultado da prova de Mantoux mostrou-se influenciado pelo grau de imunodepressão, (queda de positividade de 25,9% para 14,5% nos casos com maior imunodepressão). Esta relação não se verificou com o T-Spot.TB.

O autores concluem que os resultados deste estudo sugerem que o T-Spot.TB mantém a sua sensibilidade e eficácia nos doentes imunocomprometidos, podendo identificar casos de infecção em contactos com anergia à tuberculina, demonstrando assim maior sensibilidade do que o teste de tuberculina.

Palavra- chave: Tuberculose-infecção, gama interferão.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

Bibliografia

Fietta A, Meloni F, et al. Comparision of a whole blood interferon gamma assay and tuberculine skin testing in patients with active tuberculosis and individuals at high or low risk of Mycobacterium tuberculosis infection. Am J Infect Control 2003; 31:347-353.        [ Links ]

Mori T, Sakatani M et al. Specific detection of tuberculosis infection: an interferon gamma based assay using new antigens. Am J Respir Crit Care Med 2004; 170:59-64.

Wrighton-Smith P, Zellweger J-P. Direct costs of three models for screening of latent tuberculosis infection. Eur Respir J 2006; 28:45-50.

Diel R, Nienhaus A et al. Cost-optimisation of screening for latent tuberculosis in close contacts. Eur Respir J 2006; 28:35-44.

Recommendations from the National Tuberculosis Controllers Association and CDC Guidelines for the Investigation of Contacts of Persons with Infectious Tuberculosis. December 16, 2005. www.cdc.gov/mmwr/preview/mmwrhtml/rr5415a1.htm

 

1 Eur Respir J 2006,28:16-23

2 Eur Respir J 2006;28: 31-34

 

Lourdes Carvalho 06.07.30