SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 suppl.3Como dormem as nossas crianças?Plataforma informativa online: a solução para um problema índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Nascer e Crescer

versão impressa ISSN 0872-0754

Nascer e Crescer vol.23  supl.3 Porto nov. 2014

 

COMUNICAÇÕES ORAIS

 

CO-12

Sesta em crianças em idade pré-escolar nos infantários não públicos da região de Coimbra

 

 

Muriel FerreiraI,III; Inês DiasII,III; Lívia FernandesIII; Núria MadureiraI

ILaboratório do Sono, Hospital Pediátrico, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
IIServiço de Pediatria, Centro Hospitalar de Leiria
IIIPediatria, Centro de Saúde São Martinho do Bispo

 

 

Introdução: A sesta desempenha um papel importante no desenvolvimento cognitivo das crianças pré-escolares, dependendo a idade em que deixam de dormir de factores individuais e ambientais. Estudos populacionais mostram que dormem sesta 50% das crianças de 3 anos (A), 26% de 4A e 15% de 5A. Actualmente, a regra nos infantários públicos é não dormir sesta a partir dos 3A. Este estudo pretende caracterizar os hábitos de sesta de crianças entre 3 e 5A em infantários IPSS (IIPSS) e privados (IP) da região de Coimbra.

Metodologia: Foram aplicados questionários às educadoras de cada sala dos IIPSS e IP de Coimbra. Analisaram-se os dados em SPSS.

Resultados: Obtivemos 65 questionários de 31 infantários (24 IIPSS, 7 IP), correspondendo a 1361 crianças. Destas, 68,6% dormiam sesta (IIPSS 65,2%, IP 78,1%, p=0.290). Nos infantários com salas por idades, 100% das crianças de 3A, 73,5% de 4A e 42,3% de 5A dormiam sesta. Nos que têm salas mistas, dormiam sesta 61,1% das crianças. Nos motivos para deixar de dormir, todos referiam a preparação para o 1º ciclo, 48,4% o pedido dos pais e 29% a decisão da educadora. Dois infantários referiram respeitar as necessidades individuais. Foram analisadas outras características da sesta, destacando-se: duração média-1,8 h; 59% dormiam em sala comum; 46,7% dormiam na obscuridade.

Conclusão: Cerca de 68% das crianças dos IIPSS e IP de Coimbra dormem sesta. Nestes estabelecimentos, parece respeitar-se a necessidade da sesta, ao contrário do que é regra nos infantários públicos. Prevalecem, no entanto, como determinantes para a sesta, as regras do infantário. Dada a importância da sesta em idade pré-escolar, a necessidade de sono diurno de cada criança deve ser respeitada.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons