SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 suppl.3Doença de Kawasaki: casuística de 10 anosPerturbações paroxísticas do movimento numa família índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Nascer e Crescer

versão impressa ISSN 0872-0754

Nascer e Crescer vol.23  supl.3 Porto nov. 2014

 

COMUNICAÇÕES ORAIS

 

CO-2

Gonalgia: diagnóstico diferencial em oncologia

 

 

Isabel Serra NunesI; Filipa LeiteII; Catarina SousaII; Cristiana CoutoII; Tereza OlivaII; Armando PintoII

ICentro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, E.P.E.
IIInstituto Português de Oncologia do Porto – Francisco Gentil, E.P.E.

 

 

Introdução:As queixas musculo-esqueléticas são frequentes em idade pediátrica e implicam muitas vezes recurso ao médico assistente ou ao serviço de urgência. A gonalgia pode, ocasionalmente, estar associada a patologia oncológica ou mesmo ser a sua primeira manifestação.

Neste trabalho são apresentados 4 casos clínicos cuja causa é do foro oncológico. Todos os casos apresentaram clínica inicial semelhante, no entanto com diferentes etiologias e, consequentemente, orientação e prognóstico díspares.

Casos clínicos: Caso 1: Adolescente de 12 anos de idade com gonalgia direita com 3 meses de evolução, sem outras queixas. Após investigação etiológica, concluiu tratar-se de Sarcoma de Ewing da tíbia direita sem evidência de doença metastática. Realizou quimioterapia e excisão cirúrgica (com reconstrução com enxerto vascularizado), conforme protocolo EURO-EWING 99 até Agosto de 2014. Atualmente já deambula, com apoio.

Caso 2: Adolescente de 11 anos com queixas de gonalgia à esquerda com 11 meses de evolução, desencadeada por traumatismo. Diagnosticado como Linfoma difuso de células B do joelho esquerdo, após realização de exames imagiológicos e artroscopia. Atualmente, cumpre quimioterapia segundo o protocolo LMB 2001, desde Abril de 2014.

Caso 3: Adolescente de 17 anos de idade com queixas de difi      na mobilidade progressiva com 5 meses de evolução. O estudo realizado revelou Osteossarcoma de superfície no fémur direito, pelo que iniciou tratamento de acordo com o protocolo EURAMOS 2004 em fevereiro de 2014, que ainda cumpre atualmente. Caso 4: Adolescente de 16 anos com gonalgia e incapacidade funcional direitas com duração de 3 meses, cuja investigação revelou tratar-se de Linfoma Anaplásico ALK+, estadio IA, extraganglionar. Realizou quimioterapia segundo o protocolo ALCL 99, que terminou em Maio de 2011. Atualmente, apenas em vigilância clínica.

Discussão: A gonalgia é manifestação de uma variedade enorme de patologias que incluem alterações ortopédicas ou patologia tumoral benigna ou maligna. A doen ça oncológica maligna é rara em pediatria. No entanto, quando presente as queixas iniciais s ão geralmente inespecíficas e o diagnóstico pode ser difícil. Este trabalho visa sublinhar a import ância de uma avaliação clínica completa e da necessidade de colocar como hipótese a patologia oncológica quando as queixas se prolongam, são resistentes à terapêutica e a investigação não é esclarecedora.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons