SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número4Ética nas decisões sobre o fim da vida: a importância dos cuidados paliativosCaso hematológico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Nascer e Crescer

versão impressa ISSN 0872-0754

Nascer e Crescer vol.22 no.4 Porto dez. 2013

 

QUAL O SEU DIAGNÓSTICO? / WHAT IS YOUR DIAGNOSIS?

 

Caso dermatológico

 

 

Maria Inês MonteiroI; Ana Luísa LeiteI; Joana RodriguesI; Miguel CostaI; Teresa OliveiraI; Cristina RochaI

ICH Entre o Douro e Vouga, 4520-211 Santa Maria da Feira, Portugal. monteiro.mines@gmail.com; ana.luisa20@gmail.com; jcdmr@hotmail.com; cliromi@gmail.com; teresapoliveira@gmail.com; cristinamsrocha@gmail.com

Endereço para correspondência

 

 

ABSTRACT

Kerion Celsi is an inflammatory presentation of tinea capitis, caused by a hypersensitivity reaction mediated by T lymphocytes of the dermatophyte in hair follicles. The early clinical recognition avoids invasive procedures. Hyperleukocytosis/ leukemoid reactions are hematologic reactional responses that may result. The most frequently involved agents are Trichophyton verrucosum, Trichophyton mentagrophytes, Microsporum canis and Microsporum gypseu. The clinical spectrum is widely variable.

Key-words: Dermatophyte hypersensitivity reaction, Kerion Celsi, tinea capitis.

 

 

Criança de três anos, previamente saudável, observada no serviço de urgência por apresentar desde há quatro semanas lesões em crosta no couro cabeludo, acompanhadas de febre intermitente. Ao 7º dia de doença tinha sido medicada com corticoide oral e tópico, sem melhoria. História de contacto esporádico com cão de rua. Ao exame objetivo apresentava massa inflamatória dolorosa no couro cabeludo com exsudado, associada a zonas de lesões descamativas com consequente alopécia. No tronco apresentava também lesões crostosas e pruriginosas. Sem outras alterações, nomeadamente adenopatias. Analiticamente apresentava hiperleucocitose de 47.5 x 10^9/L, 80% neutrófilos (com granulações tóxicas), plaquetas e restante hemograma normal, proteína C reativa 77.4 mg/L. Foi avaliada por Cirurgia Pediátrica, tendo-se procedido a tricotomia alargada do couro cabeludo, drenagem das lesões que apresentavam flutuação e limpeza local. Evolução clínica favorável após início de tratamento, com normalização dos parâmetros analíticos (Figura 1).

 

 

Qual o seu diagnóstico?

 

DIAGNÓSTICO

Kerion celsi.

O exame cultural revelou-se positivo para Trichophyton mentagrophytes.

 

COMENTÁRIOS

O Kerion Celsi é uma forma inflamatória de tinea capitis causado por uma reação de hipersensibilidade mediada por células T do dermatófito nos folículos capilares. O reconhecimento clínico precoce evita procedimentos invasivos.

A hiperleucocitose que pode resultar é um reflexo do processo inflamatório. Estas reações tipo leucemóide são uma alteração hematológica reacional benigna, que desaparece quando é corrigida a condição subjacente.

Os agentes mais frequentemente envolvidos são o Trichophyton verrucosum, o Trichophyton mentagrophytes, o Microsporum canis e o Microsporum gypseum. O espectro clínico é muito variável.

Esta forma exuberante de tinha do couro cabeludo que pode atingir a criança com lesão tipo “colmeia de abelha”, é muito dolorosa, com lesões supurativas profundas. O diagnóstico precoce e terapêutica adequada podem prevenir complicações a longo prazo.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Proudfoot LE, Morris-Jones R. images in clinical medicine. Kerion Celsi. N Engl J Med 2012; 366:1142.         [ Links ]

2. Pomeranz AJ, Sabnis SS. Tinea capitis: epidemiology, diagnosis and management strategies. Paediatr Drugs 2002; 4:779-83.         [ Links ]

3. Patel GA, Schwartz RA. Tinea capitis: still an unsolved problem?. Mycoses 2011; 54:183-8.         [ Links ]

4. Michaels BD, Del Rosso JQ. Tinea capitis in infants: recognition, evaluation and management suggestions. J Clin Aesthet Dermatol 2012; 5:49-59.         [ Links ]

 

 

ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA

Maria Inês Monteiro

Rua do Crasto, 611 - 2

4150-247 Porto, Portugal

e-mail: monteiro.mines@gmail.com

Recebido a 12.09.2013 | Aceite a 28.10.2013

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons