SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número2Práticas de letramento em sala de aula: uma análise de ações letradas como construção socialFazer investigação usando uma abordagem metodológica mista índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Educação

versão impressa ISSN 0871-9187

Rev. Port. de Educação v.20 n.2 Braga  2007

 

A comunicação nas práticas de jovens professores de Matemática

João Pedro da Ponte, António Guerreiro, Helena Cunha, José Duarte, Helena Martinho, Cristina Martins, Luís Menezes, Hugo Menino, Hélia Pinto, Leonor Santos, José Manuel Varandas, Luciano Veia & Floriano Viseu*

 

Resumo

Este artigo visa conhecer o modo como jovens professores, de diversos níveis de ensino, recém diplomados por instituições de formação inicial, orientam a comunicação nas suas aulas, a que aspectos tendem a dar atenção, que dificuldades sentem. Na sua base está um trabalho colectivo realizado por formadores de instituições de ensino superior em Portugal, preocupados em melhorar a qualidade da formação inicial dos professores, em especial no que se refere à Didáctica da Matemática. A metodologia, de natureza qualitativa e interpretativa, envolveu a realização de 12 estudos de caso. Os resultados mostram que a comunicação é vista pelos jovens professores como um suporte de um ambiente geral que poderá favorecer, em termos globais, a aprendizagem. No entanto, são relativamente poucos aqueles que identificam a comunicação como um objectivo curricular importante da disciplina de Matemática e que apontam estratégias consistentes para a promover, tanto na sua vertente oral como na sua vertente escrita. São ainda menos os que apontam a comunicação como um processo fundamental para o desenvolvimento de significados matemáticos por parte dos alunos. Estes resultados sugerem que as instituições de formação podem ter interesse em reflectir sobre as suas práticas de formação neste domínio.

Palavras-chave: Formação inicial de professores; Matemática; Comunicação; Currículo

 

Communication in the practices of young mathematics teachers

Abstract

This article aims to know the way how new teachers, at several teaching levels, recently graduated by pre-service teacher education institutions, view and conduct communication in their classrooms, to which aspects they tend to pay attention and which difficulties they feel. The text is based on a collective work carried out by teacher educators of teacher education institutions in Portugal that are concerned in improving the quality of the pre-service teacher education, especially in what refers to mathematics education. The methodology is qualitative and interpretative and involved the realization of 12 case studies. The results show that communication is seen by the new teachers as a support of a general environment that must favour learning. However, only relatively few teachers point out communication as an important curriculum objective in the discipline of mathematics and indicate consistent strategies to promote it, both in oral and written forms. There are still less teachers who view communication as a basic process for the development of mathematical meanings by students. These results suggest that teacher education institutions may have interest in reflecting about their teaching practices in this regard.

Keywords: Pre-service teacher education; Mathematics; Communication; Curriculum

 

La communication dans les pratiques de jeunes enseignants de mathématiques

Résumé

Cet article a l’intention de savoir la voie comment de nouveaux enseignants, à plusieurs niveaux d’enseignement, récemment diplômés par les institutions de formation initiale des maîtres, voient et la communication et la conduisent dans ses classes, auxquels les aspects ils font attention et que difficultés ils 72 João Pedro da Ponte et al. sentent. L’article est fondé sur un travail collectif réalisé par des formateurs d’institutions des universités et écoles d’éducation au Portugal qui sont concernées dans l’amélioration de la qualité de la formation initiale des maîtres, surtout dans ce qui s’attend à l’éducation de mathématiques. La méthodologie est qualitative et interprétative et a impliqué la réalisation de 12 études de cas. Les résultats montrent que la communication est vue par les nouveaux professeurs comme appui d’un environnement général qui doit favoriser l’apprentissage. Cependant, seulement relativement peu de professeurs précisent la communication comme objectif important de programme d’études dans la discipline des mathématiques et indiquent à stratégies consistantes pour la favoriser, sous la forme oral et écrite. Ils sont moins de professeurs qui regardent la communication comme un procédé de base pour le développement des significations mathématiques par des étudiants. Ces résultats suggèrent que les établissements de formation de maîtres puissent avoir l’intérêt à réfléchir sur ses pratiques de formation à cet égard.

Mots-clé: Formation initiale de maîtres; Mathématiques; Communication; Curriculum

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências

ALMEIDA, Rosário (2000). Imagens sobre o ensino e a aprendizagem da Estatística Dissertação de Mestrado. Lisboa: Universidade de Lisboa.        [ Links ]

ALMIRO, João (1998). O Discurso na Aula de Matemática e o Desenvolvimento Profissional. Dissertação de Mestrado. Lisboa: APM (manuscrito policopiado).

BISHOP, Alan J. & GOFFREE, Fred (1986). Classroom organization and dynamics. In B. Christiansen, A. Howson & M. Otte (Eds.), Perspectives on Mathematics Education. Dordrecht: D. Reidel, pp. 309-365.

BUSCHMAN, Larry (1995). Communicating in the language of mathematics. Teaching Children Mathematics, 1(6), pp. 324-329.

GODINO, Juan D. & LLINARES, Salvador (2000). El interaccionismo simbólico en educación matemática. Revista Educación Matemática, 12(1), pp. 70-92.

MARTINHO, Maria H. & PONTE, João P. da (2005). Comunicação na sala de aula de matemática: práticas e reflexão de uma professora de Matemática. Actas do XVI Seminário de Investigação em Educação Matemática. Lisboa: APM, pp. 273-293.

MATOS, José M. & SERRAZINA, Maria L. (1996). Didáctica da Matemática. Lisboa: Universidade Aberta.

MENEZES, Luís (1995). Concepções e práticas de professores de matemática: Contributos para o estudo da pergunta. Dissertação de Mestrado. Lisboa: Universidade de Lisboa.

MENEZES, Luís (2004). Investigar para ensinar Matemática: Contributos de um projecto de investigação colaborativa para o desenvolvimento profissional de professores. Tese de Doutotamento em Educação, Lisboa: Universidade de Lisboa.

PONTE, João P. da (1992). Concepções dos professores de Matemática e processos de formação. In M. Brown; D. Fernandes; J. F. Matos & J. P. Ponte, Educação Matemática: Temas de Investigação. Lisboa: IIE, pp. 185-239.

PONTE, João P. da & SERRAZINA, Maria L. (2000). Didáctica da Matemática do 1º ciclo do ensino básico. Lisboa: Universidade Aberta.

ROMÌO, Margarida M. (1998). O papel da comunicação na aprendizagem da matemática: Um estudo realizado com quatro professores no contexto das aulas de apoio de Matemática. Dissertação de Mestrado. Lisboa: APM (manuscrito policopiado).

SIERPINSKA, Anna (1998). Three epistemologies, three views of classroom commu-nication: Constructivism, sociocultural approaches, interactionism. In H. Stein-bring; M. G. B. Bussi & A. Sierpinska (Eds.), Language and Communication in the Mathematics Classroom. Reston, VA: NCTM, pp. 30-62.

SFEZ, Lucien (1991). A Comunicação. Lisboa: Instituto Piaget.

THOMPSON, Alba G. (1992). Teachers' beliefs and conceptions: A synthesis of the research. In D. A. Grouws (Ed.), Handbook of Research in Mathematics Teaching and Learning. New York: Macmillan, pp. 127-146.

WOOD, Terry (1998). Alternative patterns of communication in mathematics classes: funneling or focusing? In H. Steinbring; M. Bussi & A. Sierpinska (Eds.), Lan-guage and Communication in the Mathematics Classroom. Reston, VA: NCTM, pp. 167-178.

 

 

* São as seguintes as afiliações institucionais dos Autores: João Pedro da Ponte e Leonor Santos, Universidade de Lisboa; António Guerreiro e Luciano Veia, Universidade do Algarve; Helena Cunha e José Manuel Varandas, Escola Básica 2,3 e Secundária Engº Dionísio A. Cunha e Escola Sec. José Saramago, respectivamente; José Duarte, Cristina Martins, Luís Menezes, Hugo Menino e Hélia Pinto, Institutos Politécnicos de Setúbal, Bragança, Viseu e Leiria, respectivamente; Helena Martinho e Floriano Viseu, Universidade do Minho. Os Autores agradecem ainda a colaboração de Darlinda Moreira, Isolina Oliveira e Marina Rodrigues em diversas fases do trabalho que conduziu à elaboração deste artigo.

Toda a correspondência relativa a este artigo deve ser enviada para: João Pedro da Ponte, E-mail: jponte@fc.ul.pt.

Recebido em Outubro, 2006

Aceite para publição em Setembro, 2007