SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número1Públicos e (des)vantagens em educação: escolas e famílias em interacçãoA formação inicial de professores do 1º CEB nas últimas três décadas do séc. XX: transformações curriculares, conceptualização educativa e profissionalização docente índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Educação

versão impressa ISSN 0871-9187

Rev. Port. de Educação v.20 n.1 Braga jan. 2007

 

Currículos da escola brasileira: elementos para uma análise discursiva

 

Marildes Marinho

Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil

 

Resumo

Este artigo se organiza em torno de alguns elementos teórico-metodológicos orientadores de uma análise de textos educacionais, numa perspectiva discursiva. Tomando como objeto os currículos de Língua Portuguesa e os Parâmetros Curriculares Nacionais, produzidos no Brasil, nas duas últimas décadas do século XX, contextualiza-se a discursividade no campo dos estudos curriculares. Em seguida, propõe-se uma análise dos currículos a partir das representações autor-leitor inscritas nas suas estratégias enunciativas. Além de uma inovação no conteúdo pedagógico, esses textos inauguram também uma nova retórica do gênero curricular, evidenciando as marcas da sua relação com o discurso cientifico: lingüística e ciências da educação.

Palavras-chave

Currículo; Língua Portuguesa; Discurso

 

Brazilian School Curricula: Elements for a Discoursive Analysis

 

Abstract

This text is organised according to some theoretical-methodological basic principles in order to give support to the analyses of educational texts from a discursive perspective. It takes as its object the Portuguese Language Curriculum and the National Curricular Parameters published in Brazil in the last two decades of the 20th century. By placing discourse in the field of curriculum studies, the curriculum is analysed through the author/reader’s representations inscribed in its discourse strategies. Besides the pedagogical innovations that these documents propose they also introduce a new rhetoric in the curricular genre, emphasising its own features in connection to the scientific discourses: linguistics and educational sciences.

Keywords

Curriculum; Portuguese Language; Discourse

 

Curricula Bresilien: Elements pour une Approche Discursive

 

Résumé

Cet article présente quelques éléments théoriques et méthodologiques susceptibles d’apporter une contribution à une approche discursive des textes éducationnels. Il comprend deux objets d’analyse, à savoir, les programmes de la discipline Langue Portugaise, et les Paramètres Curriculaires Nationaux, des documents concernant aux deux dernières décennies du XXème siècle. L’ enjeu étant la discursivité dans le champ des études sur le curriculum, nous proposons une analyse de ces programmes à partir des représentations auteur-lecteur inscrites dans les stratégies énonciatives. Outre les innovations pédagogiques proposées, ces documents inaugurent aussi une nouvelle rhétorique de ce genre discursif que sont les programmes scolaires, ce qui met en relief les marques du rapport établit entre ceux-ci et le discours scientifique: linguistique et sciences de l’éducation.

Mots-clé

Curriculum; Langue Portugaise; Discours

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências

APPLE, Michael W. (1979). Ideology and curriculum. Boston: Routledge        [ Links ]

APPLE, Michael W. (1982). Education and power. Boston: Routledge.

APPLE, Michael W. (1997). Conhecimento Oficial: a Educação Democrática numa Era Conservadora. Petrópolis: Vozes.

AUTHIER-REVUZ, J. (1984). Hetérogéneité(s) énonciative(s). Langages, n. 73, pp. 98-111.

BAKHTIN, Michail (1997). Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes.

BATISTA, Antônio Augusto G. (1999). Os parâmetros, os professores e as formas brandas de exclusão. In E. Marcuschi (Org.), Formação do Educador, Avaliação e Currículo. Recife: Editora da UFPE, pp. 53-78.

BRASIL-MEC, Ministério da Educação e do Desporto (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa (1a. a 4a. série). Brasília.

BRASIL-MEC, Ministério da Educação e do Desporto (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa (5a. a 8a. série). Brasília.

BRASIL-MEC, Ministério da Educação e do Desporto (2001). Histórias e Histórias. Guia do Usuário do Programa Nacional Biblioteca da Escola — PNBE/99 — Literatura Infanto-Juvenil. Brasília.

BOURDIEU, Pierre (1996). A leitura: uma prática cultural. Debate entre Pierre Bourdieu e Roger Chartier. In R. Chartier (Org.), Práticas da Leitura. São Paulo: Estação Liberdade.

CASTILHO, Ataliba T. (1990). Português falado e ensino da gramática. Letras Hoje, vol. 25, n. 1, pp. 103-136.

CASTRO, Rui V. de (1995). Para a Análise do Discurso Pedagógico. Constituição e Transmissão da Gramática Escolar. Braga: Universidade do Minho.

CERTEAU, Michel de (1990 [1996]). A Invenção do Cotidiano: Artes de Fazer, 2ª ed. Petrópolis: Vozes.

CHERRYHOLMES, Cleo H. (1988). Power and Criticism. Poststructural Investigations in Education. Nova York: Teachers College Press.

COMPAGNON, Antoine (1996). O Trabalho da Citação. Belo Horizonte: Editora UFMG.

CURY, Carlos R. J. (1996). Os Parâmetros Curriculares Nacionais e o Ensino Fundamental. Revista Brasileira de Educação, n. 2, mai./jun./jul./ago, pp. 4-17.

DUCROT, Oswald (1987). O Dizer e o Dito. Campinas: Pontes.

ECO Umberto (1986 [1979]). Lector in Fabula. São Paulo: Perspectiva, pp. 35-47.

GEERTZ, Clifford (1978). A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar.

GENETTE, Gerard (1982). Palimpsestes: la Littérature au Second Degré. Paris: Éditions du Seuil.

GERALDI, João W., Org. (1984). O Texto na Sala de Aula: Leitura e Produção. Cascavel: Assoeste.

GIROUX, Henri A. (1993). O pós-modernismo e o discurso da crítica educacional. In T. T. Silva (Org.), Teoria Educacional Crítica em Tempos Pós-modernos. Porto Alegre: Artes Médicas.

GRAFTON, Anthony (1998). Les Origines Tragiques de l’Érudition: une Histoire de la Note en Bas de Page. Paris: Seuil.

ILARI, Rodolfo (1985). A Lingüística e o Ensino da Língua Portuguesa. São Paulo: Martins Fontes.

LAJOLO, Marisa (1996). Análise da Versão Preliminar dos PCN. Campinas (inédito).

LOPES, Alice Casimiro (2004). Políticas curriculares: continuidade ou mudança de rumos. Revista Brasileira de Educação, n. 26, Maio /Jun /Jul /Ago, pp. 109-118.

MAINGUENEAU, Dominique (1976). Initiation aux Méthodes de l’Analyse du Discours: Problèmes et Perspectives. Paris: Hachette.

MAINGUENEAU, Dominique & CONSSUTTA, Frédéric (1995). L'Analyse des discours constituants. Langages n. 117, mars, pp. 112-125.

MARINHO, Marildes (1998). A Língua Portuguesa nos currículos de final de século. In E. S. Barreto (Org.), Os Currículos do Ensino Fundamental para as Escolas Brasileiras. Campinas: Autores Associados/São Paulo: Fundação Carlos Chagas, pp. 43-90.

MARINHO, Marildes (2001). A oficialização de novas concepções para o ensino de Português no Brasil. Tese de doutorado, Universidade de Campinas, São Paulo.

MARINHO, Marildes (2003). Ciência e divulgação em currículos de Língua Portuguesa. Revista Brasileira de Educação, v. 24, pp. 126-139.

MCLAREN, Peter (1993). Pós-modernismo, pós-colonialismo e pedagogia. In T. T. Silva (Org.), Teoria Educacional Crítica em Tempos Pós-modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, pp. 9-40.

MOIRAND, Sophie (1988). Une Histoire de Discours... une Analyse des Discours de la Revue "Le Français dans le Monde" 1961-1981. Paris: Hachette.

MOREIRA, Antônio F. B. (1995). Neoliberalismo, currículo nacional e avaliação. In L. H. Silva & J. C. Azevedo (Orgs.), Reestruturação Curricular: Teoria e Prática no Cotidiano da Escola. Petrópolis: Vozes, pp. 94-107.

MOREIRA, Antônio F. B. (1996a). Os Parâmetros Curriculares Nacionais em questão. Educação e Realidade, v. 21(1), pp. 9-22.

MOREIRA, Antônio F. B. (1996b). Parâmetros Curriculares Nacionais: críticas e alternativas. In T. T. Silva & P. Gentili (Orgs.), Escola S. A.: Quem Ganha e Quem Perde no Mercado Educacional do Neoliberalismo. Brasília: CNTE, pp. 128-149.

MOREIRA, Antônio F. B. (1997). Currículo, utopia e pós-modernidade. In A. F. B. Moreira (Org.), Currículo: Questões Atuais. Campinas: Papirus, pp. 9-28.

MUSSALIM, Fernanda (2001). Análise do discurso. In F. Mussalim & A. C. Bentes (Orgs.), Introdução à Lingüística: Domínios e Fronteiras, v. 2. São Paulo: Cortez Editora, pp. 101-142.

NÓVOA, António (1997). La nouvelle histoire américaine de l’éducation. Histoire de l’Éducation, n. 73, jan., pp. 3-48.

ORLANDI, Eni Pulcinelli (1990). Discurso do Confronto: Velho e Novo Mundo. São Paulo: Cortez-Unicamp.

PECHEUX, Michel (1990). Análise automática do discurso (AAD-69). In F. Gadet & T. Hak (Orgs.), Por uma Análise Automática do Discurso: uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, pp. 61-105.

POPKEWITZ, Thomas S. (1997). Reforma Educacional: uma Política Sociológica; Poder e Conhecimento em Educação. Porto Alegre: Artes Médicas.

POPKEWITZ, Thomas S. (1994). História do currículo, regulação social e poder. In T.T. Silva (Org.), O Sujeito da Educação: Estudos Foucaultianos. Petrópolis: Vozes, pp. 173-210.

POPKEWITZ, Thomas S. (1995). The denial of change in the process of change: systems of ideas and the construction of national evaluations. Nyvagenm (mimeo).

POSSENTI, Sírio (2002a). O discurso não é uma camada. In S. Possenti, Os Limites do Discurso. Curitiba: Criar, pp. 15-25.

POSSENTI, Sírio (2002b). Pragmática na análise do discurso. In S. Possenti, Os Limites do Discurso. Curitiba: Criar, pp. 137-153.

SANTOS, Lucíola L. C. P. (1990). História das disciplinas escolares: perspectiva de análise. Teoria & Educação, n. 2, pp. 27-32.

SILVA, Tomás T. (1993). Sociologia da educação e pedagogia crítica em tempos pós-modernos. In T. T. Silva (Org.), Teoria Educacional Crítica em Tempos Pós-modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, pp. 122-142.

SILVA, Tomás T. (1994). O adeus às metanarrativas educacionais. In T. T. Silva (Org.), O Sujeito da Educação: Estudos Foucaultianos. Petrópolis: Vozes, pp. 247-258.

SILVA, Tomás T. (1996). Análise do documento "Parâmetros Curriculares Nacionais". In T. T. Silva & P. Gentili (Orgs.), Escola S. A.: Quem Ganha e Quem Perde no Mercado Educacional do Neoliberalismo. Brasília: CNTE, pp. 106- 127.

SOARES, Magda (1988). Linguagem, Escola e Classe Social. São Paulo: Ática

SOARES, Magda (1996). Português na escola, história de uma disciplina curricular. Revista da Educação da AEC, n. 101, out./dez., pp. 9-26.

SOARES, Magda (2001). Para quem pesquisamos, para quem escrevemos. In R. Leite Garcia (Org.), Para Quem Pesquisamos, para Quem Escrevemos. São Paulo: Cortez, pp. 65-90.

ZILBERMAN, Regina, Org., (1982). Leitura em Crise na Escola. Porto Alegre: Mercado Aberto.

 

Recebido em Julho, 2006

Aceite para publicação em Dezembro, 2006

 

Toda a correspondência relativa a este artigo deve ser enviada para: Marildes Marinho, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. E-mail: marildesmarinho@gmail.com