SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número1Um método eficiente para a detecção de Phytophthora cinnamomi associada com a Doença da Tinta do Castanheiro na rizosfera de Castanheiro (Castanea sativa Mill.)Fases portadoras do arsénio em solos da área mineira de São Domingos e em solos não contaminados do Pomarão e Serra do Caldeirão índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Ciências Agrárias

versão impressa ISSN 0871-018X

Rev. de Ciências Agrárias v.32 n.1 Lisboa jan. 2009

 

Distribuição de estanho em solos e em estevas da área envolvente das minas de Neves Corvo

Tin distribution in soils and plants, Cistus ladanifer L., in Neves Corvo mining area

M. J. Batista1, M. M. Abreu2 & M. Serrano Pinto3

 

RESUMO

A área mineira de Neves Corvo inclui a Mina de Neves Corvo (MNC) cuja exploração teve início em 1988 para Cu e Sn e outras seis minas de Mn e Cu já abandonadas. Na região ocorrem formações geológicas do Complexo Vulcano-Sedimentar (CVS) hospedeiras dos sulfuretos maciços portadores das mineralizações e formações do grupo do Flysch compostas de xistos e grauvaques.

Neste trabalho, estudou-se a distribuição do estanho nos solos e a sua capacidade de absorção e translocação pelas plantas (Cistus ladanifer L.) na área mineira de Neves Corvo. As amostras foram colhidas em duas campanhas, entre 1971-72, cerca de 27 anos antes da laboração na MNC, e numa 2ª campanha (1998), 10 anos após o inicio da laboração desta mina, onde nos mesmos locais foram colhidos solos e plantas. As amostras de solos (horizonte superficial), de ambas as campanhas, e de plantas da 2ª campanha foram sujeitas a digestão com quatro ácidos para análise total dos elementos por ICP-AES.

Os solos das duas campanhas, desenvolvidos no Flysch, apresentam as mesmas concentrações médias de Sn (2,9 mg kg -1), contrariamente ao que acontece nos solos que cobrem as formações do CVS cujas concentrações na 2º campanha são cerca do dobro das da primeira (4,5 e 10,4 mg kg-1 , respectivamente na 1ª e 2ª campanhas), notando-se assim a influência da actividade mineira nestas formações que são hospedeiras da mineralização de estanho. No entanto, em ambos os casos, os solos apresentam concentrações médias de Sn consideradas de fundo geoquímico.

Em geral, as plantas apresentam concentrações de Sn mais elevadas nas raízes do que na parte aérea. Os solos apresentam teores de Sn inferiores aos das plantas indicando que estas têm capacidade para acumular aquele elemento. Este facto, pode estar relacionado com a presença de estanho nos solos quase neutros, sob a forma de estanite, também observada nas mineralizações. Nas plantas próximas da exploração da MNC, onde o pH do solo é mais ácido, os teores de Sn podem ser devidos à deposição de material particulado rico em Sn que será adsorvido via estomas.

O pH e as fases sólidas nas quais o estanho se encontra nos solos são determinantes para a sua disponibilidade no solo e capacidade para ser absorvido e translocado pelas plantas.

 

ABSTRACT

The Neves Corvo mining area includes the Mina de Neves Corvo (MNC) that started exploitation in 1988 for Cu and Sn and six abandoned Mn and Cu mines.

The Volcano Sedimentary Complex (VSC) which hosts the massive sulphide deposits and the Flysch formations of schist and greywacke dominates the regional geology.

The aim of this study was to evaluate tin distribution in soils as well as the capacity to absorb and translocate this element for plants (Cistus ladanifer L.) growing in the MNC area. Samples were collected in two campaigns: the first, for soils, in 1971-72 before MNC existence; and the second campaign (1998), 10 years after mining exploitation began in MNC, for soils and plants in the same places sampled in the first campaign. Soil and plant samples were digested with four acids for total elements extraction and analysed by ICP-AES.

The soils developed from Flysch formations have the same average Sn concentrations in both campaigns (2.9 mg kg -1). In contrast, the Sn concentration in soils developed on VSC in the second campaign were twice those (10.4 mg kg-1) from soils of the first campaign (4.5 mg kg-1), reflecting mining. However, tin content in soils developed on both lithologies was considered as a background concentration. Generally, plant roots have higher Sn concentrations than leaves. C. ladanifer plants presented highest Sn concentration than soils suggesting tin accumulation by these plants.

The soil pH and solid phases where tin was present were determinant factors for tin uptake and translocation from roots to shoots in C. ladanifer plants.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Adriano, D. C. 1986. Trace Elements in the Terrestrial Environment. Springer-Verlag New York Inc.

Alloway, B. J. 1995. Heavy metals in soils. Blackie Academic e Professional, Sec ed.

Alves, A.M.; Sarmento, P.; Rosário, L.; Cruz, S.C.; Branquinho, C.; Catarino, F.; Jones, M.; Graça, M.; Santos, L. & Coimbra, C.N. 1994. Habitats e comunidades Naturais do Campo Branco, elencos riquezas e situações sensíveis. Relatório produzido para o Departamento de Ambiente da Empresa SOMINCOR.

Anónimo 1994. Actualização do Plano de Lavra da Mina de Neves Corvo SOMINCOR Arquivo do Instituto Geológico e Mineiro.

Bulten, E. J. & Meinema H. A. 1991. Tin. In: E Merian (ed) Metals and Their Compounds in the Environment: Occurrence, Analysis and Biological Relevance pp. 1243-1256. VCH. The Netharlands.

Carta de Solos de Portugal 1964. Classificação e caracterização dos solos de Portugal -Região a Sul do Rio Tejo. Ministério da Economia, Secretaria de Estado da Agricultura, Serviço de Reconhecimento e de Ordenamento Agrário.

Carvalho, P. & Ferreira, A. 1993. Geologia de Neves Corvo: Estado Actual do Conhecimento. Simpósio de Sulfuretos Polimetálicos da Faixa Piritosa Ibérica, APIMINERAL, Évora, Portugal Mineral, 33: 1.11-1 -1.11-21.

Garrett, R.G. 1969. The determination of sampling and analytical errors in exploration geochemistry. Economic Geology, 64: 568-574.

Gaspar, O. 1991. Paragenesis of the Neves-Corvo volcanogenic massive sulphides. Comun. Serv. Geol. Portuga, 77: 27-52.         [ Links ]

Kabata-Pendias, A. & Pendias, H. 1985. Trace elements in soils and plants. 1st edition, CRC Press, Inc.

Kovalevskii, A L. 1979. Biogeochemical Exploration for Mineral Deposits. Oxonian Press PVT, Nova Deli.

Leca, X., Ribeiro, A., Oliveira, J. T., Brandão Silva, J., Albouy, L.; Carvalho, P. & Merino, H. 1983. Cadre Geologique des Mineralisations de Neves Corvo, Baixo-Alentejo, Portugal, Litostratigraphie, Paleogeographie et Tectonique. Mémoire du B. R. G. M., 121.

Michie, U. M. & Garrett, R. G. 1972. Discussions: The determination of sampling and analytical errors in exploration geochemistry. Economic Geology, 68: 281-284.

Millman, A.P. 1957. Biogeochemical investigations in areas of copper-tin mineralizations in south-west England. Geochimica et Cosmochimica Acta,12: 85-93.

Oliveira, J.T; Carvalho, P.; Pereira, Z.; Pacheco, N.; Fernandes, J. P. & Korn, D. 1997. Stratigraphy of the Neves Corvo Mine Region. SEG Neves Corvo Field Conference Abstracts, pp. 86-87. Lisboa.

Ramsey, M.H.; Thompson, M.; Hale, M. 1992. Objective evaluation of precision requirements for geochemical analysis using robust analysis of variance. Journal of Geochemical Exploration, 44: 23-36.

Relvas, J.M.R.S. 2000. Geology and Metallogenesis at the Neves Corvo Deposit, Portugal. Tese de Doutoramento pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Richards, D.G. 1995. Environmental Geochemistry of Heavy Metals in a Portuguese River Basin. M. Phil. Thesis, University of Liverpool.

Rüdel, H. 2003. Case study: bioavailability of tin and tin compounds. Ecotoxicology and Enviromental Safety, 56:180-189.

Séby, F.; Potin-Gautier, M.; Giffaut, & Donars, F. X. 2001. A critical review of termodynamic data for inorganic tin species. Geochimica et Cosmochimica Acta, 65 (18): 3041-3053.

Thompson, M. 1992. Data quality in applied geochemistry: the requirements, and how to achieve them. Journal of Geochemical Exploration, 44:2-22.

 

1 Dept. de Prospecção de Minérios Metálicos, INETI, Estrada da Portela, Zambujal Apartado 7586, 2721-866 Alfragide, e-mail: joao.batista@ineti.pt;

2 Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa (TULisbon), Tapada da Ajuda, 1349-017 Lisboa, e-mail: manuelaabreu@isa.utl.pt;

3 Departamento de Geociências, Campus de Santiago, Universidade de Aveiro, 3810-193, Universidade de Aveiro, Aveiro, e-mail: mpinto@geo.ua.pt

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons