SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número2O consumo de tabaco numa instituição universitária: Prevalência e características do fumadorA consulta no setting odontopediátrico: A percepção subjectiva do medo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.26 n.2 Lisboa abr. 2008

 

Psicologia Pediátrica e seus desafios actuais na formação, pesquisa e intervenção (*)

 

Marina Menezes (**)

Carmen Ocampo Moré (**)

Luísa Barros (***)

 

RESUMO

O presente artigo visa apresentar os desafios actuais da psicologia pediátrica no âmbito da formação, pesquisa e intervenção. Após breve resgate histórico das diferentes áreas que se conjugam na psicologia pediátrica, enquanto campo teórico-científico, analisa-se a formação nessa área, observando-se o constante processo de “desconstrução de saberes tradicionais”, não os renegando enquanto conhecimentos já instituídos cientificamente, mas integrando-os na intervenção e ou pesquisa, a partir das demandas que se impõem ao profissional no contexto infantil. Nessa perspectiva, aponta-se a necessidade do mesmo desenvolver, durante sua formação, as habilidades e competências necessárias para actuar de forma contextualizada com crianças, suas famílias e equipe de saúde. Assim as acções do profissional de psicologia pediátrica devem ser necessariamente orientadas pelos pressupostos da humanização, integralidade e promoção da saúde, visto que não se concebe mais a dissociação das acções da esfera físico-mental-social, no atendimento à saúde infantil.

Palavras-chave: Psicologia pediátrica, formação, pesquisa, intervenção.

 

ABSTRACT

The present article aims to present the current challenges of pediatric psychology in the scope of the training, research and intervention. After a brief historical description of the different areas that are gathered in pediatric psychology as a theoretical-scientific field, we analyze the training of professionals in this area, observing the constant process of de-constructing traditional knowledge though not denying it as instituted scientific knowledge, and integrating it in the intervention and or research to respond to the challenges that are faced by the professional in the pediatric context. From this perspective, we point out the necessity to develop the abilities and competencies needed to the intervention with children, their families and the health team. The actions of the pediatric psychologist must necessarily be endorsed by the goals of humanization, integrity and the promotion of the health, since, in pediatric health intervention the dissociation of interventions directed toward the physical, mental and social sphere is not any long accepted.

Key words: Pediatric psychology, training, research, intervention.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

Barros, L. (2003). Psicologia Pediátrica: perspectiva desenvolvimentista (2.ª ed.). Lisboa: Climepsi.         [ Links ]

Black, M. M., & Krishnakumar, A. (2003). International pediatric psychology. In M. C. Roberts (Org.), Handbook of pediatric psychology (3.ª ed., pp. 747-755). New York: The Guilford Press.

Brasil, Ministério da Saúde (2004). Política nacional de humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasil, 2004.

Brasil, Ministério da Educação MEC (2004b). Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em psicologia. Brasil, 2004. Acesso em 05/05/2007, http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces062.pdf. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/index.php

Brown, R. T. (2003). Introduction to the special issue: training in pediatric psychology. Journal of Pediatric Psychology, 28 (2), 81-83. Acesso em 05/05/2007, http://jpepsy.oxfordjournals.org/cgi/reprint/28/2/81.pdf

Castro, E. K. (2007). Psicologia pediátrica: a atenção à criança e ao adolescente com problemas de saúde. Psicologia Ciência e Profissão, 27 (3), 396-405. Acesso em 12/12/2007, http://pepsic.bvs-psi.org.br/pdf/pcp/v27n3/v27n3a03.pdf

Ceccim, R. B. (1997). Criança hospitalizada: a atenção integral como uma escuta à vida. In R. B. Ceccim, & A. Carvalho (Org.), Criança hospitalizada: atenção integral como escuta à vida (pp. 27-41). Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS.

Crepaldi, M. A. (1999). Bioética e interdisciplinaridade: direitos de pacientes e acompanhantes na hospitalização. Paidéia, 0 (0), 89-94.

Crepaldi, M. A., Rabuske, M. M., & Gabarra, L. M. (2006). Modalidades de atuação do psicólogo em psicologia pediátrica. In M. A. Crepaldi, B. M. Linhares, & G. B. Perosa (Org.), Temas em Psicologia Pediátrica (pp. 13-55). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Cummings, E. M., Davies, P. T., & Campbell, S. B. (2000). Developmental psychopathology and family process: theory, research and clinical implications. New York: Guilford.

Czeresnia, D. (2003). O conceito de saúde e a diferença entre prevenção e promoção. In D. Czeresnia, & C. M. Freitas (Eds.), Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências (pp. 39-53). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Cohen, L. L., La Greca, A. M., Blount, R. L., Kazak, A. E., Holmbeck, G. N. & Lemanek, K. L. (2006). Introduction to special issue: evidence-based assessment in pediatric psychology. Journal of Pediatric Psychology, 1-5. Acesso em 05/05/2007, http://jpepsy.oxfordjournals.org/cgi/reprint/jsj115v1.pdf

Dias, M. R., Duque, A. F., Silva, M. G., & Durá, E. (2004). Promoção da saúde: o renascimento de uma ideologia? Análise Psicológica, 22 (3), 463-473. Acesso em 05/05/2007, http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/aps/v22n3/v22n3a04.pdf

Drotar, D., Spirito, A., & Stancin, T. (2003). Professional roles and practice patterns. In M. C. Roberts (Org.), Handbook of pediatric psychology (3.ª ed., pp. 50-66). New York: The Guilford Press.

Fleuri, R. M.(1993). Interdisciplinaridade: meta ou mito? Revista Plural, 4 (3): 0-0. Disponível em: http://www.mover.ufsc.br/pdfs/FLEURI93_Interdisciplinaridade.pdf

Goldenstein, E. (2006). Um estudo preliminar sobre humanização hospitalar: dando voz a médicos de UTI pediátrica sobre suas vivências em um hospital humanizado. Dissertação de Mestrado não-publicada. Curso de Pós-Graduação em Psicologia Clínica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP.

Martins, M. C. F. N. (2004). Humanização das relações assistenciais: a formação do profissional de saúde. São Paulo: Casa do Psicólogo.

McKechnie, J., & Hobbs, S. (2004). Childhood studies. In S. Fraser, V. Lewis, S. Ding, M. Kellet, & C. Robinson (Org.), Doing research with children and young people (pp. 270-285). London: Sage Publications.

Miyazaki, M. C. O. S., Domingos, N. A. M., Valerio, N. I., Santos, A. R., & Rosa, L. T. B. (2002). Psicologia da Saúde: Extensão de Serviços à Comunidade, Ensino e Pesquisa. Psicologia USP, 13 (1), 29-53.

Moré, C. L. O. O., Crepaldi, M. A., Queiróz, A. H. de, Wendt, N. C., & Cardoso, V. S. (2004). As representações sociais do psicólogo entre os residentes do programa de saúde da família e a importância da interdisciplinaridade. Psicologia Hospitalar, 1 (1), 59-75. Acesso em 20/03/2006, http://www.labsfac.ufsc.br/documentos/representacoesSociaisPsicologoResidentes.pdf

Moré, C. L. O. O., & Macedo, R. M. S. (2006). A psicologia na comunidade: uma proposta de intervenção. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Nina, D. M. (1995). A equipe de trabalho interdisciplinar no âmbito hospitalar. In M. F. P. Oliveira, & S. M. C. Ismael (Eds.), Rumos da psicologia Hospitalar em cardiologia (pp. 39-47). Campinas, SP: Papirus.

Oliveira, B. R. G., Collet, N., & Viera, C. S. (2006). A humanização na assistência à saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 14 (2), 277-284. Acesso em 12/09/2007, http://www.scielo.br/pdf/rlae/v14n2/v14n2a19.pdf

Perrenoud, P. (1997). Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas.

Pedromônico, M. R. M. (2006). A relevância da avaliação psicológica na clínica pediátrica. In M. A. Crepaldi, B. M. Linhares, & G. B. Perosa (Org.), Temas em Psicologia Pediátrica (pp. 83-107). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Roberts, M. C., Mitchell, M. C., & McNeal, R. (2003). The evolving field of pediatric psychology: critical issues and future challenges. In M. C. Roberts (Org.), Handbook of pediatric psychology (3.ª ed., pp. 3-18). New York: The Guilford Press.

Silva, P. C., Eira, C., Vicente, M. G., & Guerreiro, R. (2003). Promoção do desenvolvimento psicossocial das crianças através dos serviços de cuidados de saúde primários. Análise Psicológica, 21 (1), 59-76. Acesso em 12/03/2006, http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/aps/v21n1/v21n1a09.pdf

Spirito, A., Brown, R. T., D’Angelo, E. J., Delamater, A. M., Rodrigue, J. R., & Siegel, L. J. (2003a). Training pediatric psychologists for the 21st century. In M. C. Roberts (Org.). Handbook of pediatric psychology (3.ª ed., pp. 19-31). New York: The Guilford Press.

Spirito, A., Brown, R. T., D’Angelo, E. J., Delamater, A. M., Rodrigue, J. R., & Siegel, L. J. (2003b). Society of pediatric psychology task force report: recommendations for the training of pediatric psychologists. Journal of Pediatric Psychology, 28 (2), 85-98. Acesso em 05/05/2007, http://jpepsy.oxfordjournals.org/cgi/reprint/28/2/85.pdf

Tonetto, A. M., & Gomes, W. B. (2007b). Competências e habilidades necessárias à prática psicológica hospitalar. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 59 (1), 0-0. Acesso em 23/09/2007, http://seer.psicologia.ufrj.br/seer/lab19/ojs/viewarticle.php?id=80&layout=html

Vilela, E. M., & Mendes, I. J. M. (2003). Interdisciplinaridade e saúde: estudo bibliográfico. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 11 (4), 525-531. Acesso em 23/09/2007, http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n4/v11n4a16.pdf

Zannon, C. M. L. C. (2004). Grupo de Trabalho: Pesquisa em Psicologia Pediátrica. In Relatório do X Simpósio de Pesquisa e Intercâmbio Científico. Praia Formosa, Aracruz, ES. Disponível em: http://www.anpepp.org.br/XSimposio/Pesquisa%20em%20psicologia%20pedi%C3%A1trica.doc

Zimerman, D. E. (1992). A formação psicológica do médico. In J. Mello Filho (Ed.), Psicossomática hoje (pp. 64-69). Porto Alegre: Artes Médicas.

 

(*) Toda a correspondência respeitante a este artigo deve ser endereçada a Marina Menezes, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Bairro Trindade, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, CEP 88040-970. E-mail: mamenezes@terra.com.br

(**) Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil.

(***) Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Lisboa, Portugal.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons