SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número4Profiling: Uma técnica auxiliar de investigação criminalReactividade infantil e a qualidade da interacção mãe-filho índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.25 n.4 Lisboa out. 2007

 

Marte: Da agressividade ao amor

A compreensão da agressividade nas pessoas com Lesão Vertebro-Medular

 

João Galhordas (*)

Paula Lima (*)

Tânia Encarnação (*)

RESUMO

O presente trabalho tem como objectivo a compreensão dos sentimentos e comportamentos agressivos, em sujeitos com Lesão Vertebro-Medular.

Para este efeito, realiza-se um estudo exploratório, tendo como referência o quadro teórico psicanalítico. Inicialmente é realizada uma revisão geral sobre o conceito de agressividade, destacando-se a sua definição, as suas origens e funções, a forma de lidar com a agressividade e a sua manifestação nas situações de Lesão Vertebro-Medular. De seguida procede-se à apresentação e análise de dois casos clínicos do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão.

Do material analisado, chegou-se a aspectos conclusivos que nos permitem considerar que a expressão da agressividade se encontra muitas vezes ligada a situações de perda e frustração, podendo não ter apenas uma conotação negativa, sendo até construtiva e essencial para a saúde mental.

Saliente-se ainda nestes casos a intervenção do psicólogo através da relação terapêutica e a pertinência da compreensão destas situações por parte de todos os profissionais de reabilitação.

Palavras-chave: Agressividade, Lesão Vertebro-Medular, perda, frustração, relação terapêutica.

 

ABSTRACT

The present study aims to understand the feelings and aggressive behaviour in subjects with spinal cord injury.

For this effect, a exploratory study is out carried, having as reference the psychoanalytic theoretical framework.

Initially a general review is conducted on the concept of aggression, highlighting its definition, its origins and functions, how to deal with aggression and its manifestation in situations of spinal cord injury.

From followed it is proceeded to the presentation and analysis of two clinical cases of the Medical Rehabilitation Centre of Alcoitão. Of the analyzed material, it was arrived to conclusive aspects that allow to consider that the expression of the aggressiveness is often linked to situations of loss and frustration, being able not to have only one negative connotation, but also a constructive connotation that is essential for the mental health.

Salient in these cases is the intervention of the psychologist through the therapeutic relation and the pertinence of the comprehension of these situations on the part of all of the professionals of rehabilitation.

Key words: Aggressiveness, spinal cord injury, loss, frustration, therapeutic relation.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bowlby, J. (1982). Formação e rompimento de vínculos afectivos. In J. Bowlby (Ed.), Formação e Rompimento dos Laços Afectivos (pp. 119-150). São Paulo: Livraria Martins Fontes. (Obra original publicada em 1979).

        [ Links ]

Bowlby, J. (1984). Raiva, angústia e apego. In J. Bowlby (Ed.), Apego e Perda: Vol. 2. Separação (pp. 265-276). São Paulo: Livraria Martins Fontes. (Obra original publicada em 1973).

Cardoso, J. (2000). Adaptação psicológica à lesão vertebro medular: da centralidade da doença à centralidade do sujeito. In J. L. P. Ribeiro, I. Leal, & M. R. Dias (Eds.), Actas do 3.º Congresso Nacional de Psicologia da Saúde (pp. 401-408). Lisboa: ISPA.

Coid, J. (2000). A entrevista com doentes agressivos. In R. Corney (Coord.), O Desenvolvimento das perícias de comunicação e aconselhamento em medicina (2.ª ed., pp. 131-150). Lisboa: Climepsi Editores. (Obra original publicada em 1991).

Glória, J. (1981). Frustração e Agressão I – O leito de procusta: a hipótese frustração-agressão. Psicologia, 2 (4), 265-284.

Kernberg, O. F. (1995). A Psicopatologia do Ódio. In O. F. Kernberg (Ed.), Agressão nos transtornos de personalidade e nas perversões (pp. 24-35). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1992).

Laplanche, J., & Pontalis, J.-B. (1990). Vocabulário de Psicanálise (7.ª ed.). Lisboa: Editorial Presença. (Obra original publicada em 1967).

Matos, A. C. (2001). A deflexão da agressividade. In A. C. Matos (Ed.), A Depressão: Episódios de um percurso em busca do seu sentido (pp. 81-92). Lisboa: Climepsi Editores.

Matos, A. C. (2002). Violência inconsciente. In A. C. Matos (Ed.), O Desespero: Aquém da depressão (pp. 383-387). Lisboa: Climepsi Editores.

Monteiro, M., & Ribeiro dos Santos, M. (1999). Motivação. In M. Monteiro, & M. Ribeiro dos Santos (Eds.), Psicologia (pp. 248-275). Porto: Porto Editora.

Mueller, A. (1962). Psychologic Factors in Rehabilitation of Paraplegic Patients. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, April, 131-159.

Scharfetter, C. (1997). Agressão. In C. Scharfetter (Ed.), Introdução à Psicopatologia Geral (pp. 281-296). Lisboa: Climepsi Editores. (Obra original publicada em 1996).

Winnicott, D. W. (1993). Agressão e a sua relação com o desenvolvimento emocional. In D. W. Winnicott Textos Selecionados da Pediatria à Psicanálise (trad. Russo) (pp. 355-374). Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora.

 

(*) Centro de Medicina de Reabilitação do Alcoitão, Portugal.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons