SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número1Percepções do ensino pelos alunos: Uma proposta de instrumento para o Ensino SuperiorPercursos de empregabilidade dos licenciados: Perspectivas europeias e nacional índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.24 n.1 Lisboa jan. 2006

 

Vivências e percepções do estágio pedagógico: Contributos para a compreensão da vertente fenomenológica do “Tornar-se professor”

 

 

SUSANA CAIRES (*)

 

 

RESUMO

Correspondendo o estágio pedagógico ao último ano do curso de formação inicial de professores, e ao momento em que os candidatos a professores se estreiam na profissão, são múltiplos os desafios e tarefas desenvolvimentais associados a esta etapa. Deste, decorre um conjunto de cognições e afectos cuja diversidade, riqueza e intensidade, fazem do estágio um momento marcante do percurso destes jovens, com um significativo impacto no seu processo de capacitação e integração pessoal e profissional no mundo da docência e no mundo adulto. No presente trabalho é explorada a dimensão fenomenológica deste “Tornar-se professor”, dando-se a conhecer as vivências e percepções de um grupo de 229 professores-estagiários da Universidade do Minho relativamente a algumas das dimensões mais importantes da sua experiência de estágio. O estudo confronta, no início e no final do estágio, o repertório experiencial destes sujeitos, tomando as variáveis área do curso (Ciências vs. Letras e Humanidades) e sexo. As análises dão, também, particular destaque aos ganhos percebidos pelos sujeitos como decorrendo do seu primeiro ano de contacto com a docência. Verificou-se a influência destas duas variáveis sobre algumas das dimensões avaliadas, e a presença de percepções muito satisfatórias relativamente aos ganhos decorrentes da experiência de estágio, afectando várias esferas do desenvolvimento destes candidatos a professores.

Palavras-chave: Transição Universidade-Mundo do Trabalho, vivências e percepções do estágio, desenvolvimento dos professores-estagiários.

 

 

ABSTRACT

In Portugal, the teaching practice corresponds to the last year of the Initial Teacher Education Program, and to the moment when the teaching candidates have their first contact with the profession. In this stage of the Learning to teach process, there are several challenges and developmental tasks that the student teachers have to deal with, from which results a wide array of feelings and cognitions that have a significant impact on the student teachers’ professional and personal integration and development. Focused on the phenomenological dimension of the teacher training process, this study explores the main experiences and perceptions of a group of 229 student teachers of the University of Minho concerning their practical experience. The study assessed, at the beginning and at the end of the practice, the students’ experiential repertoire, considering two variables: course area (Sciences vs. Arts and Humanities) and gender. The analysis also emphasized the gains that subjects perceive as resulting from their first year of contact with the teaching profession. The influence of those two variables on the variations occurred in student teachers’ answers was verified, as well as the presence of highly satisfactory perceptions in terms of the gains resulting from their practical experience, affecting several dimensions of these teacher candidates’ development.

Key words: University-Work transition, experiences and perceptions during Teaching Practice, student teachers’ development.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

Admiraal, W. F., Korthagen F. A. J., & Wubbels, T. (2000). Effects of student teachers’ coping behavior. British Journal of Educational Psychology, 70, 33-52.

Alarcão, I., & Sá-Chaves, I. (1994). Supervisão de professores e desenvolvimento humano. Uma perspectiva ecológica. In J. Tavares (Org.), Para intervir em educação: Contributos dos colóquios CIDInE (pp. 203-232). Aveiro: Edições CIDInE.

Alarcão, I., & Tavares, J. (2003). Supervisão da prática pedagógica: Uma perspectiva de desenvolvimento e aprendizagem (2.ª ed.). Coimbra: Livraria Almedina.

Almeida, L. S., Gonçalves, A., Salgueira, A. P., Soares, A. P., & Machado, J. C. (2002). Percursos e expectativas de estudantes universitários: Estudo com alunos do 1.º ano da Universidade do Minho. Relatório de investigação. Braga: Universidade do Minho, Instituto de Educação e Psicologia.

Alves, N. (2001). Da Universidade para o Mundo do Trabalho: Uma inserção rápida mas na precaridade. In A. P. Soares, A. Osório, J. V. Capela, L. S. Almeida, R. M. Vasconcelos, & S. M. Caires (Eds.), Da Universidade para o Mundo do Trabalho: Desafios para um diálogo (pp. 107-130). Braga: Universidade do Minho, Conselho Académico.

Bastos, A. C. (1998). Desenvolvimento pessoal e mudança em estudantes do Ensino Superior: Contribuições da teoria, investigação e intervenção. Dissertação de Doutoramento, Universidade do Minho, Braga.

Berliner, D. C. (1987). Ways of thinking about students and classrooms by more less and experienced teachers. In J. Calderhead (Ed.), Exploring teachers’ thinking (pp. 60-83). London: Cassell Education.

Borralho, A. M. A. (2001). Didáctica da Matemática e formação inicial: Um estudo com três futuros professores. Dissertação de Doutoramento, Universidade de Évora, Évora.

Bullough, R. V., Jr., Knowles, J. G., & Crow, N. A. (1991). Emerging as a teacher. London: Routledge.

Caires, S. (2001). Vivências e percepções do estágio no Ensino Superior. Braga: Universidade do Minho, Grupo de Missão para a Qualidade do Ensino/Aprendizagem – Apontamentos U.M..

Caires, S. (2003). Vivências e percepções do estágio pedagógico: A perspectiva dos estagiários da Universidade do Minho. Dissertação de Doutoramento, Universidade do Minho, Braga.

Caires, S., & Almeida, L. (2004). Inventário de Vivências e Percepções do Estágio – Versão para as Licenciaturas em Psicologia. Braga: Universidade do Minho, Instituto de Educação e Psicologia.

Cameron-Jones, M., & O’Hara, P. (1999). Student perceptions of the way that they are supervised during work experience: An instrument and some findings. Assessment and Evaluation in Higher Education, 24 (1), 91-103.

Cardoso, F. (1999). A articulação entre as práticas de orientação de estágio dos orientadores de escola e as dos orientadores da universidade. Dissertação de Mestrado, Universidade de Aveiro, Aveiro.

Cavaco, M. H. (1990). Retrato do professor enquanto jovem. Revista Crítica de Ciências Sociais, 29, 121-138.

Chickering, A., & Reisser, L. (1993). Education and identity (2nd ed.). San Francisco: Jossey-Bass.

Diniz, A. M. (2001). Crenças, escolha de carreira e integração universitária. Dissertação de Doutoramento, Universidade do Minho, Braga.

Doyle, W. (1986). Classroom organization and management. In M. C. Wittrock (Ed.), Handbook of research on teaching (3rd ed., pp. 392-431). New York: MacMillan.

Estanque, E., & Nunes, J. A. (2001). A Universidade perante a transformação social e as orientações dos estudantes: O caso da Universidade de Coimbra. In A. P. Soares, A. Osório, J. V. Capela, L. S. Almeida, R. M. Vasconcelos, & S. M. Caires (Eds.), Da Universidade para o Mundo do Trabalho: Desafios para um diálogo (pp. 297-321). Braga: Universidade do Minho, Conselho Académico.

Ferreira, J. A. (2000). O desenvolvimento psicológico do jovem adulto em contexto universitário. Lição de Síntese. Coimbra: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

Flores, M. A. (2001). Person and context in becoming a new teacher. Journal of Education for Teaching, 27 (2), 135-148.

Freire, A. M. (2000). Aprender a ensinar nos estágios pedagógicos: Estudo sobre mudanças nas concepções de ensino e na prática instrucional de estagiários de Física e Química. Dissertação de Doutoramento, Universidade de Lisboa, Lisboa.

Fuller, F. F. (1969). Concerns of American teachers: A developmental conceptualization. American Educational Research Journal, 29, 325-349.

Fuller, F. F., & Bown, O. H. (1975). Becoming a teacher. In K. Ryan (Ed.), Teacher education: The seventy-fourth yearbook of the National Society for the Study of Education (pp. 25-52). Chicago: University of Chicago Press.

Galvão, C. (1993). Profissão: Professor – Concepção e expectativas de futuros professores. Revista de Educação, 3 (2), 47-57.

Gonçalves, A. (2001). As asas do diploma: A inserção profissional dos licenciados pela Universidade do Minho. Braga: Universidade do Minho, Grupo de Missão para a Qualidade do Ensino/Aprendizagem – Apontamentos U.M..

Grilo, J. M. A. (2002). Portfolios reflexivos na formação inicial de professores: Um estudo na formação de professores de Biologia e Geologia ao nível do estágio pedagógico integrado. Dissertação de Mestrado, Universidade de Évora, Évora.

Head, J., Hill, F., & Maguire, M. (1996). Stress and the postgraduate secondary school trainee teacher: A British case study. Journal of Education for Teaching, 22 (1), 71-84.

Hollingsworth, S. (1989). Prior belief and cognitive change in learning to teach. American Education Research Journal, 9 (2), 160-189.

Kagan, D. M. (1992). Professional growth among pre-service and beginning teachers. Review of Educational Research, 62 (2), 129-169.

Lacey, C. (1977). The socialization of teachers. London: Methuen.

Lortie, D. (1975). Schoolteacher. Chicago: University of Chicago Press.

Machado, C. G. (1996). Tornar-se professor: Da idealização à realidade. Dissertação de Doutoramento, Universidade de Évora, Évora.

Martins, A. M., Arroteia, J. C., & Gonçalves, M. M. B. (2002). Sistemas de (des)emprego: Trajectórias de inserção. Aveiro: Universidade de Aveiro.

McNally, J., Cope, P., Inglis, B., & Stronach, I. (1997). The student teacher in school: Conditions for development. Teaching and Teacher Education, 13 (5), 485-498.

Mendes, P. S. (2002). A formação inicial de professores e o choque da realidade: Expectativas e vivências sobre o ano de estágio. Dissertação de Mestrado, Universidade de Évora, Évora.

Moreira, M. A. (2001). A investigação-acção na formação reflexiva do professor-estagiário de Inglês. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

Morton, L. L., Vesco, R., Williams, N. H., & Awender, M. A. (1997). Student teacher anxieties related to class management, pedagogy, evaluation, and staff relations. British Journal of Educational Psychology, 67, 69-89.

Nóvoa, A. (1991). Concepções e práticas de formação contínua dos professores. In J. Tavares (Org.), Formação contínua de professores: Realidades e perspectivas (pp. 15-38). Aveiro: Universidade de Aveiro.

Nóvoa, A. (1992). Formação de professores e profissão docente. In A. Nóvoa (Org.), Os professores e a sua profissão (pp. 15-33). Lisboa: Publicações Dom Quixote, Colecção Temas de Educação.

Oliveira-Formosinho, J. (1997). Em direcção a um modelo ecológico de supervisão de educadores de infância. Inovação, 10 (1), 89-110.

Paulino, M., Caires, S., & Almeida, L. (2003). Inventário de Vivências e Percepções do Estágio – Versão para as Licenciaturas em Enfermagem. Guarda: Escola Superior de Enfermagem.

Pereira, A. M. S. (1997). Helping students cope: Peer counseling in Higher Education. Doctoral dissertation, University of Hull, Hull, UK.

Rosário, P. (1999). Variáveis cognitivo-motivacionais na aprendizagem: As abordagens ao estudo em alunos do Ensino Secundário. Dissertação de Doutoramento, Universidade do Minho, Braga.

Ryan, G., Toohey, S., & Hughes, C. (1996). The purpose, value and structure of the practicum in the Higher Education: A literature review. Higher Education, 31, 355-377.

Sá-Chaves, I. (2002). Formação de professores: Modelos de referência na Universidade de Aveiro. Revista de Educação, 11 (1), 150-153.

Schön, D. A. (1987). Educating the reflective practitioner: Toward a new design for teaching and learning in the professions. San Francisco, CA: Jossey-Bass.

Serow, R. C. (1998). Called to teach: A study of highly motivated preservice teachers. The Journal of Research and Development in Education, 27 (2), 65-72.

Shulman, L. (1987). Knowledge and Teaching: Foundations of the new reform. Harvard Educational Review, 57 (1), 1-22.

Silva, M. C. M. (1994). De aluno a professor: Um salto no “desconhecido”. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, Lisboa.

Simões, C. (1996). O desenvolvimento do professor e a construção do conhecimento pedagógico. Aveiro: Fundação João Jacinto de Magalhães.

Soares, I. M. C. (1995). Supervisão e inovação numa perspectiva construtivista do desenvolvimento. In I. Alarcão (Ed.), Supervisão de professores e inovação educacional (pp. 135-147). Aveiro: CIDInE.

Soares, A. P. (2003). Transição e adaptação ao Ensino Superior: Construção e validação de um modelo multidimensional de ajustamento de jovens ao contexto universitário. Dissertação de Doutoramento, Universidade do Minho, Braga.

Stones, E. (1984). Supervision in teacher education: A counselling and pedagogical approach. London: Methuen.

Tavares, J., Santiago, R., Taveira, M. C., Lencastre, M. L., & Gonçalves, J. (2000). Factores de sucesso/insucesso no 1.º ano dos cursos de Licenciatura em Ciências e Engenharia do Ensino Superior. In A. P. Soares, A. Osório, J. V. Capela, L. S. Almeida, R. M. Vasconcelos, & S. M. Caires (Eds.), Transição para o Ensino Superior (pp. 189-214). Braga: Universidade do Minho, Conselho Académico.

Taveira, M. C. (2001). Preparação para a inserção sócio-profissional: Análise do observatório de emprego dos diplomados em Psicologia da Universidade do Minho. In A. Gonçalves, L. S. Almeida, R. M. Vasconcelos, & S. Caires (Eds.), Da Universidade para o Mundo do Trabalho: Desafios para um diálogo (pp. 281-296). Braga: Universidade do Minho, Conselho Académico.

Toohey, S., Ryan, G., & Hughes, C. (1996). Assessing the practicum. Assessment & Evaluation in Higher Education, 21 (3), 215-227.

Wideen, M., Mayer-Smith, J., & Moon, B. (1998). A critical analysis of the research on learning to teach: Making the case for an ecological perspective on inquiry. Review of Educational Research, 68 (2), 130-178.

Zeicnher, K. (1993). A formação reflexiva de professores: Ideias e práticas. Lisboa: Educa.

 

 

(*) Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho.

Toda a correspondência relativa a este artigo deverá ser enviada para caires@iep.uminho.pt

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons