SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número4Desenvolvimento do auto-conceito físico nas crianças e nos adolescentesEstela, a psicose, um caminho entre pedras índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.23 n.4 Lisboa out. 2005

 

Importância da entreajuda no apoio a pais em luto (*)

 

 

JOSÉ EDUARDO REBELO (**)

 

 

RESUMO

Partindo do acompanhamento de um grupo de entreajuda a pais em luto, pretendeu-se sensibilizar todos os intervenientes sobre o meio de suporte social na evolução individual do processo de luto.

Entre Janeiro de 2002 e Janeiro de 2003 foi feita a observação dos encontros mensais de duas horas de um grupo de entreajuda a pais em luto. Os encontros foram temáticos, sobre as fases de progressão do luto, moderados por dois pais com lutos muito experientes, e realizaram-se em Aveiro. A recolha de dados incluiu a história de vida e os textos observacionais. Participaram vinte e um pais, variando entre oito e catorze nos diferentes encontros, maioritariamente mulheres, com uma idade média de 52,5 anos. As idades dos filhos perdidos variaram entre 1 e 35 anos, e a causa de morte foi, maioritariamente, o acidente rodoviário.

Os pais com lutos menores do que um ano encontraram no grupo um suporte social de apoio bastante eficaz. Os pais com lutos superiores registaram sentimentos contraditórios em relação ao grupo, abandonando-o ou permanecendo nele. Os pais que recorreram a medicação anti-depressiva, desde o início ou no curso do processo de luto, apresentaram traços comuns de conflito no desenvolvimento do luto saudável com tendência para luto não resolvido.

Palavras-chave: Luto, pais em luto, entreajuda.

 

 

ABSTRACT

Starting from the accompaniment of a self-helping group for bereavement parents, we intended to encourage the participants through a social support to the individual evolution of grief.

Between January 2002 and January 2003 several bereavement parents were observed in monthly meetings of two hours. The discussion was centred in themes about the grieving phases, moderated by two parents with very experienced grief. The meetings occurred in Aveiro. The data collected included the history of life and the texts from observation. Twenty-one parents participated in the group, varying between eight and fourteen in the different meetings, mostly women, with an average age of 52,5 years old. The ages of the lost children varied between 1 and 35 years old, and the cause of death was mostly the accident in road.

The parents with recent grief, less than one year, found in the support group an adequate social help. The parents with long grief, more than one year, showed contradictory feelings towards the support group, abandoning or remaining in it. The parents that used anti-depressive medication since the beginning or in the grieving course showed evidences of conflict in the development of the healthy grief with tendency for pathological deviations.

Key words: Grief, bereavement parents, support group.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bowlby, J. (1985). Apego e Perda; Vol. III. Perda – Tristeza e Depressão. São Paulo: Martins Fontes.

Driver, R., & Easley, J. (1978). Pupils and paradigms: a review of literature related to concept development in adolescent science students. Studies in Sci. Educ., 5, 61-84.         [ Links ]

Freitas, N. K. (2000). Luto materno e psicoterapia breve. São Paulo: Summus Editorial.        [ Links ]

Freud, S. (1987). Obras psicológicas completas: edição standard brasileira. 23 volumes. Rio de Janeiro: Imago.        [ Links ]

Grawitz, M. (2000). Méthode des sciences sociales. Paris: Dalloz.         [ Links ]

Greaves, C. C. (1983). Death in the family: a multifamily therapy approach. International Family Physician, 33, 185-190.         [ Links ]

Grinberg, L. (2000). Culpa e Depressão. Lisboa: Climepsi Editores.         [ Links ]

Kaplan, H. I., & Sadock, B. J. (1996). Pocket handbook of clinical psychiatry (2nd ed.). Baltimore: Williams & Wilkins.         [ Links ]

Klass, D. (1988). Parental grief: Solace and resolution. New York: Springer Publishing Company.         [ Links ]

Kübler-Ross, E. (2000). Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes.         [ Links ]

Levine, M., & Perkins, D. V. (1987). Principles of Community Psychology: Perspectives and applications. New York: Oxford University Press.         [ Links ]

Parkes, C. M. (1998). Luto: estudos sobre a perda na vida adulta. São Paulo: Summus editorial.         [ Links ]

Rebelo, J. E. (2003). Contributos para o estudo do processo de luto. Dissertação de mestrado não publicada, Universidade Fernando Pessoa, Porto.         [ Links ]

Rebelo, J. E. (2004). Desatar o nó do luto: silêncios, receios e tabus. Lisboa: Notícias Editoral.        [ Links ]

Rojas, G. (2001). Luto patológico?: a propósito de um caso. Psiquiatria Clínica, 22 (2), 205-207.        [ Links ]

Sánchez-Vidal, A. (1991). Psicología Comunitaria. Barcelona: PPU.         [ Links ]

Walter, T. (2003). Ajuda aos agonizantes e indivíduos de luto. In C. Parkes, P. Laungani, & B. Young (Coord.), Morte e luto através das culturas. Lisboa: Climepsi.         [ Links ]

Worden, J. W. (1998). Terapia do luto. Porto Alegre: Artes Médicas.         [ Links ]

Young, B., & Papadatou, D. (2003). Infância, morte e luto através das culturas. In C. Parkes, P. Laungani, & B. Young (Coord.), Morte e luto através das culturas. Lisboa: Climepsi.         [ Links ]

 

 

(*) Agradecimentos: Expresso o meu reconhecimento aos pais em luto do GEA de Aveiro da Apelo – Associação de Apoio à Pessoa em Luto.

(**) Universidade de Aveiro, Departamento de Biologia. E-mail: erebelo@bio.ua.pt.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons