SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número2Condutas agressivas na adolescência: Factores de risco e de protecçãoComportamentos de consumo de haxixe e saúde mental em adolescentes: Estudo comparativo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.23 n.2 Lisboa abr. 2005

 

Os técnicos de saúde e a sexualidade dos doentes oncológicos: Atitudes, crenças e intenções comportamentais

SANDRA SERRANO (*)

 

RESUMO

Nos dias de hoje, a sexualidade ainda constitui um tema controverso e polémico, principalmente, quando associada a pessoas debilitadas e/ou incapacitadas, como é o caso dos doentes oncológicos. Desta forma, estes doentes continuam sem receber a devida informação e esclarecimento acerca desta temática, vinda dos profissionais que lhes prestam os cuidados de saúde.

Esta investigação trata-se de um estudo exploratório, que visa descrever as atitudes, crenças e intenções comportamentais dos técnicos de saúde face à sexualidade dos doentes oncológicos. Os participantes (85% do sexo feminino) formam uma amostra de 46 sujeitos que acederam participar. Foi construído um questionário anónimo e confidencial, constituído por 28 itens, a que os sujeitos respondiam numa escala tipo Likert e, três questões de carácter aberto. A análise dos resultados evidencia que os técnicos de saúde apresentam atitudes e crenças favoráveis perante a sexualidade dos doentes em questão e intenções comportamentais neutras face ao mesmo objecto de estudo.

Palavras-chave: Doentes oncológicos, técnicos de saúde, sexualidade.

ABSTRACT

In current days sexuality still remains a controversial and a “hard to approach” issue, specially when related to unhealthy individuals like oncological patients. These patients expect to be given information and enlightenment from health professionals about their sexual problems.

The aim of this study is to describe the attitudes, beliefs and behaviour intentions of Portuguese health professionals towards oncological patient’s sexuality. A sample with 46 nurses and medical doctors gave answers to a questionnaire with 28 items and three open questions about sexuality in oncological patients. The results analysis shows that the health professionals present favourable attitudes and beliefs towards these patient’s sexuality and neutral behaviour intentions towards the same object at study.

Key words: Oncological patients, health professionals, sexuality.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Auchincloss, S. (1990). Sexual dysfunction in cancer patients: Issues in evaluation and treatment. In J. C. Holland, & J. H. Rowland (Eds.), Handbook of psychooncology – Psychological care of the patient with cancer (pp. 383-413). New York: Oxford University Press.

Black, J. M., & Matassarin-Jacobs, E. (1993). Luckmann & Sorensen – Enfermagem medico-cirúrgica: Uma abordagem psicofisiológica (4.ª ed.). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Bishop, G. D. (1994). Health psychology: Integrating mind and body. Needham Heights: Allyn and Bacon.         [ Links ]

Dias, M. R. (1994). Informar os doentes oncológicos: Uma perspectiva de intervenção. In T. C. McIntyre (Ed.), Psicologia da saúde: Áreas de intervenção e perspectivas futuras (pp. 139-155).         [ Links ]

Estapé, T. (2001). Disfunciones sexuales en pacientes de cáncer. In M. R. Dias, & E. Durá (Eds.), Territórios da psicologia oncológica (pp. 481-492). Lisboa: Climepsi Editores.         [ Links ]

Fallowfield, L., & Jenkins, V. (2002). Can communication skills training alter physician’s beliefs and behavior in clinics? Journal of Clinical Oncology, 20 (3), 765-769.

Kaplan, H. S. (1992). A neglected issue: The sexual side effects of current treatments for breast cancer. Journal of Sex and Marital Therapy, 18 (1) Spring, 3-20.         [ Links ]

Lopez, F. S., & Fuertes, A. (1999). Para compreender a sexualidade. Lisboa: Associação para o Planeamento da Família.         [ Links ]

McKee Jr., A. L., & Schover, L. R. (1999). Sexuality rehabilitation [Supplement]. Cancer: Cancer Rehabilitation in the New Millennium, 92 (4), 1008-1010.         [ Links ]

Schover, L. R., Montague, D. K., & Schain, W. S. (1993). Sexual problems. In V. T. DeVita, S. Hellman, & S. A. Rosenberg (Eds.), Cancer: Principles & practice of oncology (4th ed., vol. 2, pp. 2464-2477). Philadelphia: J. B. Lippincott Company.         [ Links ]

Stayton, W. R. (1998). A Curriculum for training professionals in human sexuality using the Sexual Attitude Restructuring (SAR) Model. Journal of Sex Education and Therapy, 23 (1), 26-32.         [ Links ]

Stead, M. I., Fallowfield, L., Brown, J. M., & Selby, P. (2001). Communication about sexual problems and sexual concerns in ovarian cancer: Qualitative study. British Medical Journal, 323 (7317), 836-837.         [ Links ]

 

(*) Psicóloga Clínica. Consultora da Dynargie Portugal.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons