SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número3Promoção da saúde: O renascimento de uma ideologiaIntervenção desenvolvimentista em psicologia da doença índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.3 Lisboa set. 2004

 

Significações leigas de saúde e de doença em adultos

 

JOAQUIM REIS (*)

FERNANDO FRADIQUE (**)

 

 

RESUMO

As pessoas leigas em Medicina apresentam significações ou explicações alternativas acerca dos processos de saúde e de doença, que coexistem e competem com as dos profissionais de saúde. Neste artigo descre-ve-se uma pesquisa qualitativa efectuada com 67 adultos, leigos em Medicina, com os seguintes objectivos (1) aceder às significações sobre saúde e sobre doença dessas pessoas; (2) comparar as significações obtidas através do questionamento e através da exposição a narrativas e, (3) analisar a prevalência das significações sobre saúde e doença na população estudada, no sentido de avaliar se existem concepções, quer de saúde quer de doença, que possam ser consideradas como características deste grupo.

Palavras-chave: Concepções leigas, saúde e doença.

 

 

ABSTRACT

Laypersons in Medicine present alternative meanings or explanations on health and illness processes. These explanations coexist and compete with those of endorsed by health professionals. This paper describes a qualitative research that was carried with 67 lay adults. The study objectives were: 1) to assess lay conceptions about health and disease; 2) to compare those conceptions after an open question and after the exposition of the participant to a narrative; 3) to analyse the prevalence of lay conceptions on these group of subjects.

Key words: Lay conceptions, health and disease.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Antonovsky, A. (1979). Health, stress and coping. San Francisco: Jossey Bass.        [ Links ]

Bandura, A. (1997). Self-efficacy and health behavior. In A. Baum, S. Newman, J. Weinman, R. West, & C. McManus (Orgs), Cambridge Handbook of Psychology, Health and Medicine (pp. 160-162). United Kingdom: Cambridge University Press.         [ Links ]

Blaxter, M. (1990). Health and Lifestyles. London: Tavistock/Routledge.         [ Links ]

Bradley, L. A., & Kay, R. (1985). The role of cognition in Behavioral Medicine. Advances in Cognitive-Behavioral Research, 4, 137-213.         [ Links ]

Calnan, M. (1987). Health and Illness: The lay perspective. London: Tavistock.         [ Links ]

Cornwell, J. (1984). Hard-Earned Lives: Accounts of health and illness from East London. London: Tavistock.         [ Links ]

Fischer, K. W. (1980). A theory of cognitive development: the control and construction of hierarchies of skills. Psychological Review, 87 (6), 477-531.         [ Links ]

Flick, U. (Org.) (1992). La perception quotidienne de la santé et de la maladie. Théories subjectives et representations sociales. Paris: L'Harmattan.         [ Links ]

Flick, U. (2000). Qualitative Inquiries into Social Representations of Health. Journal of Health Psychology, 5 (3), 315-324.         [ Links ]

Fradique, F. (1993). Programa desenvolvimentista preventivo da depressão pós-parto. Dissertação de doutoramento em Psicologia. Universidade Clássica de Lisboa.         [ Links ]

Helman, C. (1978). Feed a cold and starve a fever. Folk models of infection in an English suburban community, and their relation to medical treatment. Culture, Medicine and Psychiatry, 2, 107-137.         [ Links ]

Herzlich, C. (1969/1973). Health and Illness: A social psychological analysis. London: Academic Press.         [ Links ]

Inhelder, B., Sinclair, H., & Bovet, M. (1974). Apprentissage et Structures de la Connâssance. Paris: PUF.         [ Links ]

Joyce-Moniz, L. (1993). Psicopatologia do desenvolvimento do adolescente e do adulto. Lisboa: McGraw-Hill.         [ Links ]

Joyce-Moniz, L., & Reis, J. (1991). Desenvolvimento e dialéctica de significações de doença e confronto em Psicologia da Saúde. Psychologica, 6, 105-127.         [ Links ]

Justice, B. (1998). A different kind of health. Houston: Peak Press.         [ Links ]

Kobasa, S. C., Maddi, S. R., & Kahn, S. (1982). Hardiness and Health: A prospective study. Journal of Personality and Social Psychology, 42 (1), 168-177.         [ Links ]

Mechanic, D. (1986). The Concept of Illness Behavior: Culture, Situation and Personal Predisposition. Psychological Medicine, 16, 1-7.         [ Links ]

Piaget, J. (1926). La Représentation du Monde chez l'Enfant. Paris: PUF.         [ Links ]

Radley, A., & Green, R. (1985). Styles of adjustment to coronary graft surgery. Social Science and Medicine, 20 (5), 461-464.         [ Links ]

Reis, J. C. (1992). Metodologia construtivista e desenvolvimentista para prevenção de reacções ansiogéneas, depressogéneas e dolorosas em pacientes de cirurgia cardíaca. Dissertação de doutoramento em Psicologia. Trabalho não publicado. Universidade Clássica de Lisboa.         [ Links ]

Reis, J. C. (1994). Importância do método clínico ou de exploração crítica no estudo da personalidade. Intervenção Social, 10 (4), 9-23.         [ Links ]

Reis. J. C. (1998). O Sorriso de Hipócrates: a integração biopsicossocial dos processos de saúde e doença. Lisboa: Veja.         [ Links ]

Reis, J. C. (1999). Modelo metateórico da Psicologia da Saúde para o séc. XXI: interacção ou integração biopsicossocial? Análise Psicológica, 17 (3), 415-433.         [ Links ]

Reis, J. (2001). Educação para a saúde: construção autónoma e reflexiva de estilos de vida. Anais Científicos da Universidade Independente, 2 (4), 131-144.         [ Links ]

Reis, J. C., & Fradique, F. (2000). Desenvolvimento sociocognitivo de representações subjectivas de saúde e doença: implicações na educação para a saúde. Relatório do Projecto n.º PCSH/C/PSI/89/96. Programa PRAXIS. Lisboa: Fundação para a Ciência e Tecnologia.         [ Links ]

Reis, J., & Fradique, J. (2002). Desenvolvimento sociocognitivo de significações leigas em adultos: causas e prevenção das doenças. Análise Psicológica, 20 (1), 5-26.         [ Links ]

Reis, J., & Fradique, J. (2003). Significações sobre causas e prevenção das doenças em jovens adultos, adultos de meia-idade e idosos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19 (1), 47-57.         [ Links ]

Skelton, J., & Croyle, R. (Orgs.) (1991). Mental Representations in Health and Illness. New York: Springer-Verlag.         [ Links ]

Smith, J. A., Jarman, M., & Osborn, M. (1999). Doing Interpretative Phenomenological Analysis. In M. Murray, & K. Chamberlain (Orgs.), Qualitative Health Psychology (pp. 218-240). London: Sage.         [ Links ]

Snow, L. F. (1974). Folk medical beliefs and their implications for care of patients. Annals of Internal Medicine, 81, 82-96.         [ Links ]

Stacey, M. (1988). The Sociology of Health and Healing. London: Unwin Hyman.         [ Links ]

Taylor, S. (1990). Health Psychology: the science and the field. American Psychologist, 45, 40-50.        [ Links ]

Turk, D., & Meichenbaum, D. (1991). Adherence to Self-Care Regimens. The Patient's Perspective. In J. J. Sweet, R. H. Rozensky, & S. M. Tovian (Orgs.), Handbook of Clinical Psychology in Medical Settings (pp. 249-266). New York: Plenum.         [ Links ]

 

(*) Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade Independente, Lisboa.

(**) Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Lisboa.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons