SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número3Psicologia da SaúdePromoção da saúde: O renascimento de uma ideologia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.3 Lisboa set. 2004

 

Psicologia da Saúde, saúde pública e saúde internacional (*)

 

MARGARIDA GASPAR DE MATOS (**)

 

 

RESUMO

A Psicologia da Saúde é um campo da Psicologia cada vez mais valorizado no campo da Saúde em áreas como a relação das pessoas, no dia a dia, com a Saúde e com a Doença, a comunicação e cooperação com os restantes técnicos de Saúde e a investigação e inovação no Sistema de Saúde. Este facto tem a ver com a evolução histórica do conhecimento, da intervenção e da investigação nesta área, que ocasionou uma convergência “histórica”, entre o âmbito da Psicologia da Saúde, o âmbito da Saúde Pública e ainda o âmbito da emergente Saúde Internacional, com benefícios para essas três áreas.

Uma outra consequência foi o aumento da formação específica na área da Psicologia da Saúde por parte da maior parte das Escolas Superiores de Psicologia, com inclusão de conteúdos ligados à Saúde Pública e Saúde Internacional, o mesmo acontecendo na formação nas áreas da Saúde Pública e Saúde Internacional, que em geral passam a incluir conteúdos ligados à Psicologia da Saúde. Durante este trabalho serão revistas estas mudanças históricas bem como a sua repercussão na formulação de questões relativas à promoção da saúde/bem-estar dos indivíduos e da comunidade.

Palavras-chave: Psicologia da Saúde, Saúde Pública, Saúde Internacional.

 

 

ABSTRACT

The relevance of Health Psychology in the health field is increasing, including areas such as daily relationship of people with health and disease, communication and cooperation with other health professionals and research and innovation in the Health System.

This fact has to do with an historical evolution of knowledge and research in this area whose consequence was an “historical” convergence among Health Psychology, Public Health and the more recent International Health, and had important benefits for those three areas.

Another consequence had to do with academic training. Most of Superior Psychology Schools include now a specific training in Health Psychology, with contents in Public Health and International Health, and in the same way, most Public Health Schools and International Health Schools include now contents in Health Psychology.

This work will review these historical changes and their consequences on this new understanding about health/well- being promotion in individuals and in the community.

Key words: Health Psychology, Public Health, International Health.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Argyle, M. (1997). Is happiness a cause of health?. Psychology and Health, 12, 769-781.         [ Links ]

Buesco, J. (2003). Da falsificação de euros aos pequenos Mundos. Lisboa: Gradiva.         [ Links ]

Campos, A. C. (1995). Normativismo e Incentivos: Contributo da economia para a Administração da saúde. In S. Piola, & S. Vianna (Eds.), Economia da Saúde: Conceitos e Contribuição para a gestão da saúde (pp. 69-98). Brasilia: IPEA.         [ Links ]

Coie, J., Watt, N., West, S., Hawkin, D., Asernow, D., Makmer, H., Remey, S., Shure, M., & Long, B. (1993). The Science of prevention. American Psychologist, 10, 1013-1022.         [ Links ]

Csikszentmihalyi, M. (1990). Flow: the Psychology of Optimal Experience. New York: Harper & Row Publishers.         [ Links ]

Csikszentmihalyi, M. (1990). Finding Flow: the Psychology of engagement with everyday life. New York: Basic Books.         [ Links ]

DGS (1999). Saúde um compromisso: as estratégias da saúde para o virar do século (1998-2002). Lisboa: DGS, Ministério da Saúde.         [ Links ]

DGS (2002). Relatório de Primavera do OPSS. Lisboa: DGS, Ministério da Saúde.         [ Links ]

Durenberger, D., & Foote, S. (1993). Beyond Incrementalism. American Psychologist, 48 (3), 277-282.         [ Links ]

Egger, G., Spark, R., Lawson, J., & Donovan, R. (1999). Health promotion strategies and methods. Sydney: McGraw-Hill.         [ Links ]

Ewart, C. (1991). Social Action theory for public health Psychology. American Psychologist, 46 (9), 931-944.         [ Links ]

Ford, D. (1990). Positive health and living systems framework. American Psychologist, 45 (8), 980-981.         [ Links ]

Lalonde, M. (1974). A new perspective on the health of Canadians. Ottawa: Information Canada.         [ Links ]

Lancet (1991). What’s new in public health?, Lancet editorial, 337 (8), 1381-1383.

Lorion, R. (1991). Prevention and Public health. American Psychologist, 46 (5), 516-519.         [ Links ]

Maslow (1954). Motivation and personality. New York: Harper and Row.         [ Links ]

Maslow (1968). Towards a Psychology of Being (2nd ed.). New York: UN.         [ Links ]

Matos, M. (1998). Comunicação e Gestão de Conflitos na Escola. Lisboa: Edições FMH.         [ Links ]

Matos, M. (2000). La promotion de competènces chez des mineurs delinquents. International Conference on Probation, CEJ, Lisboa.         [ Links ]

Matos, M. (2002). Prevenir o mal-estar pessoal e o desajustamento pessoal. Cidade Solidária, 8 (5), 38-45.         [ Links ]

Matos, M. (2004). Social adventure in the community. In Reducing inequities in health, European meeting, Copenhaga.         [ Links ]

Matos, M. et al. (2003). A saúde dos adolescentes portugueses (4 anos depois). Lisboa: FCT/CNLCSI DA/FMH/IHMT.         [ Links ]

Matos, M., Gaspar, T., Vitoria, P., & Clemente, M. (2003). Adolescentes e o tabaco: Rapazes e raparigas. Lisboa: FMH, CPT, Ministério da Saúde.         [ Links ]

Matos, M., & Gaspar, T. (2002). Gender and smoking in young people in Portugal. In M. Lambert, A. Hublet, P. Verduyckt, L. Maes, & S. Broucke (Eds.), Gender differences in smoking in young people (pp. 107-120). Brussels: Flemish Institute for Health Promotion, ENYPAT, ECC.         [ Links ]

Matos, M., Simões, C., & Carvalhosa, S. (2000). Desenvolvimento de Competências de Vida na Prevenção do Desajustamento Social. Lisboa: FMH/IRS-MJ.         [ Links ]

McGinnis, J. (1991). Health objectives for the nation. American Psychologist, 46 (5), 520-524.         [ Links ]

Nichols, D., & Gobble, D. (1990). On the importance of disregulatory processes in the models of health. American Psychologist, 45 (8), 981-982.         [ Links ]

OMS (1986). Carta de Ottawa para a promoção da saúde. Versão portuguesa “Uma Conferência Internacional para a Promoção da Saúde com vista a uma nova Saúde Pública”, 17-21 Novembro, Ottawa, Canada. Lisboa: Direcção Geral de Saúde.         [ Links ]

OMS (2002). Rapport sur la santé dans le monde “Réduire les risques et promouvoir une vie saine”. Genéve: OMS.         [ Links ]

Ramos, V. (1988). Prever a medicina das próximas décadas: que implicações para o planeamento de educação médica. Acta Médica Portuguesa, 2, 171-179.         [ Links ]

Ribeiro, J. L. P. (1998). Psicologia e Saúde. Lisboa: ISPA.         [ Links ]

Richmond, J. (1979). Healthy people: The surgeon general's report on health promotion and disease prevention, (doc. 017 001-0041602) USA Dept of health. Education and welfare. Washinghton DC: US Gov Printing Office.         [ Links ]

Russell, L. (1986). Is prevention better than cure? Washington: The Brooking Institute.         [ Links ]

Stokols, D. (1992). Establishing and maintaining healthy environements towards a social ecology of health promotion. American Psychologist, 47 (1), 6-22.         [ Links ]

Tobal, J. J. M. (2004). Lifestyle, psychological factors and health. In The future of Mind and behaviour Sciences, Torre do Tombo, Lisboa.         [ Links ]

WHO (1978). Primary health care. Report of the International Conference of primary health care. Alma-Ata: USSR; Geneve: WHO.         [ Links ]

WHO (2001). Mental health: New understanding, new hope. Geneve: WHO.         [ Links ]

 

 

(*) Agradecimentos: O estudo HBSC 2002 foi financiado pela FCT/MCES/POCT1 37486 / PSI / 2001 / FSE /FEDER. A autora agradece à equipa Aventura Social & Saúde.

(**) Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa e Centro da Malária e Outras Doenças Tropicais, Universidade Nova de Lisboa.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons