SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número2Filho do coração...: Adopção e comportamento parental índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.2 Lisboa jun. 2004

 

«Maternidade atrás das grades»

Comportamento parental em contexto prisional (*)

 

DINORA SERRAS (**)

ANTÓNIO PIRES (***)

 

RESUMO

O objectivo deste estudo é construir uma teoria sobre o comportamento parental de mães que têm junto de si os seus filhos, enquanto cumprem penas judiciais. Entrevistaram-se seis mães detidas no Estabelecimento Prisional de Tires, com idades entre os vinte e três e os quarenta e um anos, cujas crianças têm idades entre um e dois anos. Utilizaram-se entrevistas semi-estruturadas com questões abertas, que abordavam principalmente as experiências vivenciadas por estas mães, as dificuldades do seu quotidiano e a forma como eram ultrapassadas. As entrevistas foram gravadas, posteriormente transcritas e analisadas de acordo com o método Grounded Theory. Verificou-se que estas mães se centram e focalizam na criança, desenvolvendo relações bastantes dependentes, tornando-se, simultaneamente uma relação mais próxima e adequada. Em parte, esta centração resulta de sentirem alguma culpabilidade por manterem os filhos na prisão e de recearem bastante a reacção futura da criança.

Palavras-chave: Comportamento parental, mãe, prisão, criança, Grounded Theory.

 

ABSTRACT

The purpose of this essay is to develop a theory about the parental behavior of incarcerated mothers who have their children near them while they have their time in prison. We interviewed six incarcerated mothers in Estabelecimento Prisional de Tires, with ages between twenty three and forty one years old. Their children have ages between one and two years old. We used semi-structured interviews with open questions about the life experiences of these mothers, their daily life difficulties and how they are oversteped. The interviews were recorded, and than transcribed and analysed according to the Grounded Theory method. We verified that these mothers put their children in the center of their lives and this becomes a very dependent relationship between both of them. Simultaneously, this relationship is also more near and suitable. The mothers center their lives in the children, in part because they feel some culpability for keeping the children in prison and also they fear their children reaction in the future.

Key words: Parental behavior, mother, prison, child, Grounded Theory.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Belsky, J. (1984). The determinants of parenting. A process model. Child Development, 55, 83-89.

        [ Links ]

Bentes, M. H. (1999). Comportamento parental em situação de risco: mães adolescentes. Monografia de Licenciatura em Psicologia Clínica. Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada.

        [ Links ]

Browne, D. C. (1989). Incarcerated mothers and parenting. Journal of Family Violence, 4 (2), 211-221.

        [ Links ]

Cunha, M. I. (1989). Prisão feminina como ilha de Lesbos e escola do crime. Discursos, representações, práticas. Cadernos do Centro de Estudos Judiciários: Do Desvio à Instituição Total, 2, 163-184.

        [ Links ]

Cunha, M. I. (1994). Malhas que a reclusão tece: questões de identidade numa prisão feminina. Lisboa: Centro de Estudos Judiciários.

        [ Links ]

Dormoy, O. (1992). L' Enfant et le Prison. Enfance, 46 (3), 251-263.

        [ Links ]

Glaser, B., & Strauss, A. (1967). The discovery of grounded theory: Strategies for qualitative research. New York: Aldine.

        [ Links ]

Machado, M. J. (1997). Os meninos reclusos: uma avaliação do seu desenvolvimento através da escala de Griffiths. Monografia de Licenciatura em Psicologia Clínica. Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada.

        [ Links ]

Osofsky, J., Hann, D., & Peebles, C. (1993). Adolescent parenthood: Risks and opportunities for mothers and infants. In C. H. Zeanah Jr. (Ed.), Handbook of infant mental health (pp. 106-119). New York: Guilford Press.

        [ Links ]

Pires, A. (1990). Determinantes do comportamento parental. Análise Psicológica, 8 (4), 439-444.

        [ Links ]

Pires, I. (2001). Relação mãe-criança, ambiente prisional e irritabilidade materna. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica. Lisboa: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

        [ Links ]

Rufo, M., Pioli, M., & Pons, C. (1994). Entre la mère et l'enfant, la prison. Neuropsychiatrie de l'Enfance, 42 (8-9), 616-617.

        [ Links ]

Strauss, A., & Corbin, J. (1990). Basics of qualitative research: Grounded theory procedures and techniques. London: Sage.

        [ Links ]

Wooldredge, J. D., & Masters, K. (1993). Confronting problems faced by pregnant inmates in state prisons. Crime and Delinquency, 39 (2), 195-203.

        [ Links ]

 

 

(*) Agradecimentos: Agradecemos ao Estabelecimento Prisional de Tires - Casa das Mães, nomeadamente às mães e à Dr.ª Florbela Ferreira, pela disponibilidade e apoio prestado.

(**) Santa Casa da Misericórdia de Mação.

(***) Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa.

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons