SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número1Prevenção das toxicodependências: Porquê eu? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.1 Lisboa mar. 2004

 

A intervenção autárquica no campo educativo: Estudo de caso num Municípioda Área Metropolitana de Lisboa

 

PAULO LOURO (*)

PEDRO AIRES FERNANDES (**)

 

 

RESUMO

Numa altura em que se assiste, um pouco por todo o mundo, ao desenrolar de processos de descentralização de competências do Estado Central, resultantes da crise do Estado Providência Keynesiano (Gonzalez, 1994) e que ocorrem também ao nível da Educação, a descentralização educativa em Portugal dá actualmente os primeiros passos.

O papel das autarquias portuguesas, bem como o dos estabelecimentos de educação e ensino, tem vindo a ser reforçado, de modo a que começam a ter uma crescente importância em matéria educativa, que importa analisar.

Ao mesmo tempo que se verifica uma uniformidade legislativa, as práticas parecem demonstrar a existência de alguma diversidade na intervenção educativa das autarquias portuguesas, quer no que diz respeito às competências legalmente atribuídas, quer no trabalho desempenhado por sua iniciativa própria (Louro, 1999).

Com este artigo, pretende-se fazer a apresentação de um estudo realizado entre Outubro de 2000 e Março de 2002, no qual se procurou abordar a questão da descentralização educativa, e que consistiu num estudode caso de um Município da Área Metropolitana de Lisboa, ao nível da sua intervenção em matéria educativa.

Pretendeu-se inferir quais as linhas orientadoras de acção, de modo a aquilatar da existência ou não de um desempenho específico, por parte da Câmara Municipal, na construção de uma política local de educação. Atendendo ao objectivo de estudo e à metodologia adoptada, considera-se que esta é uma investigação de tipo descritivo.

Palavras-chave: Autarquias, descentralização, educação.

 

 

ABSTRACT

At a time when all over the world there are processes of decentralisation of the competences of the Central State, resulting from the crisis of the Keynesian Welfare State (Gonzalez, 1994), and which take place also at the level of Education, the educational decentralisation in Portugal is currently taking its first steps.

The role of the Portuguese regional authorities, as well as of the educational institutions, has been reinforced, and their increasing importance must be analysed.

Despite the trends for legislative uniformity, practices seem to demonstrate the existence of some diversity in educational intervention at the level of regional authorities in Portugal, both in terms of legally ascribed competences and of measures which result from their own initiative (Louro, 1999).

This article presents a study undertaken between October 2000 and March 2002, focusing on the issue of educational decentralisation. It is a case study of educational intervention in a municipal district in the area of Lisbon. The aim of the study was to analyse guidelines of action, in order to characterise the specific performance of the municipal council in the configuration of local educational policy. Due to the aims of the study and the chosen methodology, we consider that this is a descriptive study.

Key words: Local authorities, decentralisation, education.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Barroso, J. (1992). Fazer da escola um projecto. In R. Canário (Ed.), Inovação e projecto educativo de escola (pp. 17-55). Lisboa: Educa.         [ Links ]

Barroso, J. (1997). Autonomia e gestão das escolas. Lisboa: Ministério da Educação.         [ Links ]

Cabrito, B. (1995). Pensar a escola como instrumento de/ao serviço do desenvolvimento local. In Actas do V Colloque National de L'AIPELF/AFIRSE, A escola. Um objecto de estudo (pp. 133-147). Lisboa: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Universidade de Lisboa.         [ Links ]

Candeias, A. (1993). Políticas Educativas Contemporâneas: Críticas e Alternativas. Inovação, 6, 257-286.         [ Links ]

Candeias, A. (1995). Cultura escrita e escola no ocidente: Passado e futuro. Revista Portuguesa de Educação, 8 (2), 197-209.         [ Links ]

Gonzalez, S. (1994). Una nueva agenda para la descentralización educativa. Revista IberoAmericana de Educacion, 4, 11-27.         [ Links ]

Lima, L. C. (1994). Modernização, racionalização e optimização. Perspectivas neo-taylorianas na organização e administração da educação. Cadernos de Ciências Sociais, 14, 119-139.         [ Links ]

Louro, P. (1999). Educação e autarquias: Da legislação às práticas. Análise Psicológica, 1, 153-162.         [ Links ]

Pinhal, J. (1995). Estudar o «Local». In Actas do V Colloque National de L'AIPELF/AFIRSE, A escola. Um objecto de estudo (pp. 217-228). Lisboa: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Universidade de Lisboa.         [ Links ]

Pinhal, J. (1997). Os municípios e a descentralização educacional em Portugal. In A. Luís, J. Barroso, & J. Pinhal (Eds.), A administração da educação: Investigação, formação e práticas (pp. 177-195). Lisboa: Forum Português de Administração Educacional.         [ Links ]

Silva, A. (2000). Educação e autarquias, as práticas e as tendências: Estudo exploratório num Município (Monografia de Licenciatura em Psicologia Educacional). Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada.        [ Links ]

Van Zanten (1994). Les politiques éducatives municipales: un exemple de mobilisation locale des acteurs de l'éducation. In B. Charlot (Ed.), L'école et le territoire (pp. 69-87). Paris: Armand Colier.         [ Links ]

 

 

(*) Psicólogo. Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa. Câmara Municipal da Azambuja.

(**) Psicólogo.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons