SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número1Falar para lembrar: Tipo de discurso e recordação de intervençãoDyslexie: Le retour índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.1 Lisboa mar. 2004

 

Cientistas de palmo e meio

Uma brincadeira muito séria

 

PAULINA MATA (*)

CONCEIÇÃO BETTENCOURT (**)

MARIA JOSÉ LINO (***)

MARÍLIA SOUSA PAIVA (****)

 

 

RESUMO

À semelhança do que acontece noutros países a promoção da cultura científica tem sido uma preocupação em Portugal, em particular na última década. A nossa participação, ao longo de 10 anos, em projectos que visam a introdução do estudo experimental da ciência e tecnologia no ensino pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico permitiu-nos reflectir com um grande número de professores sobre o significado do ensino experimental da ciência e tecnologia nestes graus de ensino, adquirir experiência neste domínio e recolher inúmeros testemunhos de professores e crianças. É desta experiência que damos conta neste artigo.

No mundo em que vivemos a cultura científica tem que estar presente na escola se se pretende formar cidadãos intervenientes, esclarecidos, responsáveis e com competências profissionais adaptadas à realidade. Sendo a escolaridade obrigatória de apenas 9 anos, e dado que é neste período que a generalidade das pessoas vai adquirir a sua formação científica básica, é importante que esta comece tão cedo quanto possível.

Um longo caminho há ainda a percorrer para se alcançar uma integração efectiva e generalizada do ensino experimental da ciência e tecnologia no pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico em Portugal. Para que se consiga alcançar este objectivo consideramos fundamental o investimento num extenso e profundo processo de formação de professores.

Palavras-chave: Literacia em ciência, educação em ciência, ensino experimental de ciência.

 

 

ABSTRACT

As in many other countries, the promotion of scientific culture has been a major concern in Portugal, particularly during the last decade. Our involvement with and participation in several projects that, in the past ten years, have aimed to introduce the experimental study of science and technology in pre-school and primary education has made it possible for us to discuss its meaning and relevance with a vast number of teachers, gain experience in this area and collect teachers' and pupils' opinions of and attitudes towards this particular way of teaching / learning science and technology. This experience is discussed in this article.

Scientific culture must be present in schools and pupils must engage actively with it in order to become responsible, conscious and involved citizens, with adequate and relevant professional skills. Considering that compulsory education is only nine years long and that it is during this period that basic scientific knowledge is acquired, the experimental study of science and technology must begin as early as possible.

The effective and generalized integration of the experimental study of science and technology in pre-school and primary education in Portugal is far from complete and it will only be achieved through the development of and investment in an extensive and thorough process of teacher training.

Key words: Science literacy, primary science, experimental science teaching.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bettencourt, C., & Mata, P. (1998). Mais Cientistas de Palmo e Meio - Partilha de uma Experiência. Lisboa: Ministério da Educação, Cadernos PEPT 2000.        [ Links ]

Fiolhais, C. (2002). A Coisa Mais Preciosa que Temos. Lisboa: Gradiva.         [ Links ]

Harlen, W. (1993). Teaching and Learning Primary Science. London: Paul Chapman Publishing Ltd.         [ Links ]

Harlen, W., & Jelly, S. (1989). Developing Science in the Primary Classroom. London: Oliver & Boyd.         [ Links ]

 

 

(*) Departamento de Química e Centro de Química Fina e Biotecnologia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa.

(**) Formadora e Coordenadora de Projectos Ciência Viva.

(***) Professora do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

(****) Educadora de Infância.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons