SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número1Depressão materna e representações mentaisRepresentações mentais maternas: um caso de trigémeos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.21 n.1 Lisboa jan. 2003

 

O outro lado das birras

Alterações de comportamento na 1.ª infância

 

OTÍLIA QUEIRÓS (*)

TERESA GOLDSCHMIDT (*)

SARA ALMEIDA (**)

MARIA JOSÉ GONÇALVES (*)

 

 

RESUMO

As alterações de comportamento são um sintoma, que pela disrupção que provocam na dinâmica familiar constituem um dos principais motivos de consulta pedopsiquiátrica na 1.ª infância (cerca de 1/3 do total dos casos). Trata-se contudo de um sintoma que é comum a diversos quadros clínicos e que corresponde a diferentes situações do ponto de vista psicopatológico, cuja compreensão é fundamental para uma adequada intervenção terapêutica e prognóstico.

Na 1.ª infância, a delimitação clara dos quadros clínicos coloca algumas dificuldades devido às modificações rápidas do desenvolvimento, à falta de especificidade dos factores causais e ao contributo das perturbações relacionais para a patologia da criança. Mais importante do que as manifestações clínicas, é o nível de funcionamento das estruturas psíquicas, nomeadamente da organização do Self e do desenvolvimento do Eu, que é importante avaliar nestas situações.

Neste trabalho, os autores fazem uma revisão da casuística da UPI relativamente às crianças referenciadas por alterações de comportamento durante um período de três anos (1996-1999), sendo apresentados os seus diagnósticos segundo a classificação DC: 0-3 (Diagnostic Classification of Mental health and development disorders of Infancy and Early Childhood), nos eixos I - diagnóstico primário - e II - perturbação da relação. Os autores apresentam também vinhetas clínicas ilustrativas da psicopatologia que pode estar subjacente a este sintoma.

 

Palavras-chave: Birras, classificação diagnóstica, psicopatologia da primeira infância.

 

 

ABSTRACT

One of the principle causes of toddler psychiatry consultation are the behaviour disorder, which are a symptom that brings up a huge disturbance in the familiar dynamics. It's about a symptom that is common to a several clinical boards, whose comprehension is fundamental for a proper therapeutic intervention and diagnosis.

At the toddler, the straight delimitation of the clinical boards becomes difficult by the quick changes in the development, by the lack of specificity of the causal factors and by the contribution of the relationship disorders, for the child pathology.

More important than the symptoms is the level of the internal structures functioning, namely the self organization which is important to evaluate at this circumstances.

In this work, the authors made a revision of the UPI cases, relatively to the behaviour disorders, during a three year period, and being presented their diagnosis by a DC: 0-3 (Diagnostic Classification of Mental Health and Developmental Disorders of Infancy and Early Childhood), axis I - primary diagnosis and II - relationship disorders. The authors also present clinical figures cases from the psychopathology that could underlying this symptom.

 

Key words: Obstinacy, DC: 0-3, toddler psychopathology.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Cordeiro, M. (1999). Clinical assessment of infant psychopathology: Challenges and methods. In J. Osofsky, & H. Fitzgerald (Eds.), WAIMH Handbook of Infant Mental Health (2nd ed. pp. 242-269). New York: Wiley.         [ Links ]

Fonagy, P. (1998). Prevention, the appropriate target of infant psychotherapy. Infant Mental Health Journal, 19 (2), 124-150.         [ Links ]

Thomas, J. P., & Clark, R. (1998). Disruptive behaviour in the very young child: diagnostic classification: 0-3. Guides for identification of risk factors and relational interventions. Infant Mental Health Journal, 19 (2), 229-244.         [ Links ]

Zero to Three/National Center for Clinical Infant Programs (1994). Diagnostic Classification of Mental Health and Developmental Disorders of Infancy and Early Childhood. Arlington.         [ Links ]

 

(*)Pedopsiquiatra.

(**)Psicóloga estagiária.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons