SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número1Depressão no bebéAbordagens familiares face ao autismo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.21 n.1 Lisboa jan. 2003

 

Preparar o nascimento

 

MARIA JOÃO NASCIMENTO (*)

 

 

RESUMO

A promoção da saúde mental da mulher grávida traz benefícios directos para a saúde mental do futuro bebé. A depressão pós-parto é um dos alvos da preocupação dos técnicos de saúde mental. Assim, neste artigo, descreve-se uma experiência de intervenção em grupos de preparação para o parto, onde a partilha de preocupações e ansiedades pode ser o veículo de detecção precoce de perturbações na futura díade mãe-bebé.

Palavras-chave: Intervenção precoce, gravidez, promoção da saúde mental.

 

 

ABSTRACT

Mental health promotion in pregnancy has direct positive benefits for the mental health of the baby-to-be. Post-partum depression is a concern of mental health professionals. This paper presents an intervention program with groups of pregnant women in which the facilitation work of sharing worries and anxieties is a vehicle for early detection of mother-infant perturbations.

Key words: Early intervention, pregnancy, mental health promotion.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Ammaniti, M., Candelori, C., Pola, M., & Tambelli, R. (1999). Maternité et grossesse - Étude des représentations maternelles. Paris: Presses Universitaires de France.         [ Links ]

Ariès, P. (1988). A criança e a vida familiar no Antigo Regime. Lisboa: Relógio d´Água. (Obra original publicada em 1973).         [ Links ]

Cox, J. (1995). Troubles psychiatriques du post-partum: Aspects socioculturels de la «maladie mentale sévère». Trabalho não publicado. Comunicação oral. Colóquio Internacional de Psiquiatria Périnatal, Marrocos.         [ Links ]

Figueiredo, B. (1997). Depressão pós-parto, interacção mãe-bebé e desenvolvimento infantil. Trabalho não publicado. Dissertação de Doutoramento. Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho, Minho.         [ Links ]

Gonçalves, M. J. (1988). Avaliação clínica e terapêutica na 1.ª infância - Semiologia da interacção. Trabalho não publicado. Comunicação oral, Simposium de Psiquiatria do Desenvolvimento, «Do nascimento aos processos de individuação», Lisboa.

Guédeney, N., & Jeammet, P. (2001). Dépressions postnatales (DPN) et décisions d´orientation thérapeutique. Devenir, 13 (3), 51-64.         [ Links ]

Mazet, P., & Rosenblum, O. (2002). Bébés et mères déprimées. Soins Pédiatrie, 205, 31-34.         [ Links ]

Namora, A. (1989). O enfermeiro especialista e a saúde mental infantil. Trabalho não publicado. Comunicação oral, 1.º Encontro Luso-Espanhol de Psiquiatria Comunitária, Lisboa.

O´Hara, M. W. (2001). La dépression du post-partum: les études de l´Iowa. Devenir, 13 (3), 7-20.         [ Links ]

Shorter, E. (1975). A formação da família moderna. Lisboa: Terramar.        [ Links ]

Zimerman, D. E., & Osório, L. C. (1997). Como trabalhamos com grupos. Porto Alegre: Artes Médicas.         [ Links ]

 

 

(*)Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiátrica.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons