SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número1Programa clínico para o tratamento das perturbações da relação e da comunicação, baseado no Modelo D.I.R.Preparar o nascimento índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.21 n.1 Lisboa jan. 2003

 

Depressão no bebé

 

MARGARIDA FORNELOS (*)

EDUARDA RODRIGUES (**)

MARIA JOSÉ GONÇALVES (**)

 

 

RESUMO

Os autores apresentam uma revisão critica do conceito de depressão na primeira infância com referência a sintomatologia, etiopatogenia e prognóstico.

O estudo baseia-se na análise de 20 casos com o diagnóstico de depressão, que tiveram seguimento terapêutico na UPI nos anos de 1994 e 1995.

Em todos os acaso foram estudados os seguintes parâmetros: Motivo da consulta, Idade da criança, Início do sintoma, Perturbação do meio/parentalidade, Origem do pedido da consulta.

Identificaram-se dois subgrupos que diferiam entre si pelo carácter agudo ou crónico da perturbação do meio, pelo tipo de associação de sintomas e pela idade da criança na altura do pedido de consulta.

A diferente evolução terapêutica nestes dois subgrupos é ilustrada com a apresentação de dois casos clínicos.

 

Palavras-chave: Depressão do bebé, intervenção terapêutica, psicopatologia.

 

 

ABSTRACT

The authors present a review of the concept of infancy depression, with reference to symptoms, ethiology and prognosis.

The paper is based on the analysis of 20 cases with the diagnosis of infant depression who received therapeutic intervention in UPI.

In all cases the following items were collected: Motive of consultation, Age, Symptom onset, Environment/parenting problems, Source of referral.

Two sub-groups were identified that differed by the presence or absence of chronicity in environment perturbation, symptom constelation and age of child at first consultation.

Different therapeutic evolution in these two subgroups is illustrated with presentation of two clinical vignettes.

 

Key words: Infant depression, therapeutic intervention, psychopathology.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Coimbra de Matos, A. (1996). Conferência de abertura. Trabalho não publicado. 7.º Encontro Nacional de Pedopsiquiatria - A Depressão na Infância e Adolescência, Beja.

Field, T., Healy, B., Goldstein, S., Perry, B., Bendel, D., Shanberg, S., Zimmerman, E., & Kuhn, C. (1988). Infants of depressed mothers show «depressed» behavior even with non-depressed adults. Child Development, 59, 1569-1579.         [ Links ]

Kazdin, A. (1990). Childhood depression. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 31 (1), 121-160.         [ Links ]

Kovacks, M. (1997). Depressive disorders in childood: An impressionistic landscape. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 38 (3), 287-298.         [ Links ]

Spitz, R. (1946). Anaclitic depression. In Psychoanalitical study of the child (Vol. 2, pp. 113-117). New York: International University Press.         [ Links ]

Zero to Three / National Center for Clinical Infant Programs (1994). Diagnostic Classification of Mental Health and Developmental Disorders of Infancy and Early Childhood. Arlington, VA.         [ Links ]

 

(*) Psicóloga.

(**)Pedopsiquiatra.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons