SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número4Selectividade atencional e predisposição emocional face a estímulos do comportamento alimentar: dimensões transculturaisNeuroticismo: algumas variáveis diferenciais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.20 n.4 Lisboa nov. 2002

 

Delinquência juvenil: Da disfunção social à psicopatologia

RENATA BENAVENTE (*)

 

RESUMO

No presente artigo fazemos uma revisão de literatura acerca da Delinquência Juvenil, analisando o fenómeno à luz das interpretações sociológicas e psicológicas, nomeadamente no que concerne à sua etiologia, prevenção e tratamento. Consideram-se as várias dimensões do problema, contemplando as relações normativas entre a adolescência e os comportamentos de transgressão enquanto estratégias de resolução de conflitos no sentido da adaptação. Discriminamos os comportamentos delinquentes normativos dos patológicos, analisando-os segundo os modelos de controlo social, da identidade/subcultura e da teoria psicanalítica. Reforça-se a necessidade de intervenção preventiva primária, partindo da identificação de factores de risco que tornam determinados grupos vulneráveis. Expõem-se algumas das principais estratégias de tratamento: institucional (ligado ao sistema de justiça) e não institucional (ligado aos serviços de saúde). Por fim, fazemos algumas propostas de investigação sobre a Delinquência Juvenil em Portugal.

Palavras-chave: Delinquência, adolescência, transgressão, psicopatologia.

 

ABSTRACT

Juvenile Delinquency is the subject of the present papper, considering the sociologic and psychologic interpretations about it's ethiology, prevention and treatment. Several dimensions of delinquency are exposed, such as the normative relations between non-normative behaviors and adolescence as a way to achieve adaptation in conflit resolution situations. Pathological and normative behaviors are identified according to sociological and psychoanalitical theories. The need for primary prevention in vulnerable groups is underscored. Two of the main treatment strategies are discussed: institutionalization (promoted by the legal system) and non institutionalization (promoted by health services). Finally, future investigation pathways in Portugal are suggested.

Key words: Delinquency, adolescence, transgression, psychopathology.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Aguilar, B., Sroufe, A., Egeland, B., & Carlson, E. (2000). Distinguishing the early-onset/persistent and adolescence-onset antisocial behavior types: from birth to 16 years. Development and Psychopathology, 12, 109-132.

        [ Links ]

American Psychiatric Association (1987). Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 3rd edition, revised (DSM-III-R). Washington, DC: American Psychiatric Association.

        [ Links ]

Braconnier, A., & Marcelli, D. (2000). As mil faces da adolescência. Lisboa: Climepsi.

        [ Links ]

Capaldi, D., & Stoolmiller, M. (1999). Co-occurrence of conduct problems and depressive symptoms in early adolescent boys: III. Prediction to young-adult adjustment. Development and Psychopathology, 11, 59-84.

        [ Links ]

Chartier, J. (1991). L' adolescent incasable: bourreau ou martyr? Marseille: Editions Hommes et Perspectives.

        [ Links ]

Costa, J. (1999). Delinquência juvenil. Que política? Actas do Congresso Crimes Ibéricos. Instituto de Educação e Psicologia. Centro de Estudos em Educação e Psicologia. Universidade do Minho.

        [ Links ]

Digneffe, F. (1989). Ethique et délinquance. Genève: Editons Médecine et Hygiène.

        [ Links ]

Esman, A. (1990). Les troubles de l'humeur a l' adolescence. Psychiatrie de l' Enfant, 33 (1), 93-111.

        [ Links ]

Ferreira, P. (1997). Delinquência Juvenil, família e escola. Análise Social, 32 (4-5), 913-924.

        [ Links ]

Ferreira, P. (2000). Controlo e identidade: a não conformidade durante a adolescência. Sociologia: Problemas e Práticas, 33, 55-85.

        [ Links ]

Jardim, H. (1993). Seminário de sociologia urbana. Instituo Superior do Trabalho e da Empresa. Não publicado.

        [ Links ]

Kammerer, P. (1992). Delinquance et narcissisme à l' adolescence. Paris: Collection Païdos/Adolescence.

        [ Links ]

Kernberg, O. (1995). Transtornos graves de personalidade - Estratégias psicoterapêuticas. Porto Alegre: Artes Médicas.

        [ Links ]

Kernberg, O. (1995). Agressão nos transtornos de personalidade e perversões. Porto Alegre: Artes Médicas.

        [ Links ]

Klein, M. (1982). Essais de Psychanalyse (1921-1945). Paris: Payot.

        [ Links ]

Lebovici, S., Diatkine, R., & Soulé, M. (1985). Traité de psychiatrie de l' enfant et de l' adolescent. Paris: PUF.

        [ Links ]

Malpique, C., & Queirós, J. (1984). Fim da adolescência: avaliação do nível de identidade, um indicador de saúde mental. Revista de Psiquiatria, IIª Série, 6 (4), 37-51.

        [ Links ]

Marques, M. (1995). Adoldescência e transgressão: entre a transgressão dos limites e os limites da transgressão. Congresso: Os Jovens e a Justiça. Lisboa: Associação dos Psicólogos Portugueses.

        [ Links ]

Matos, A. C. (1977). Delinquência juvenil e psiquiatria da adolescência. Escritos 4. Artigos publicados nas revistas Jornal do Médico e Médico, 73-75.

        [ Links ]

Matos, A. C. (1978). Notas sobre a delinquência juvenil. Escritos 6. Artigos publicados nas revistas Jornal do Médico e Médico, 33-36.

        [ Links ]

Pais, J. (1996). Levantamento bibliográfico de pesquisas sobre a juventude portuguesa - Tradições e mudanças (1985-1995). Sociologia: Problemas e Práticas, 21, 197-121.

        [ Links ]

Paiva, F., & Sousa, J. (1983). A adolescência e as formas pseudo-neuróticas da esquizofrenia. Revista de Psiquiatria, IIª Série, 5 (4), 45-50.

        [ Links ]

Perelberg, R. (1997). La violence chez les enfants et les jeunes adultes: un fantasme central. Psychiatrie de l' Enfant, 11 (1), 5-63.

        [ Links ]

Pingeon, D. (1982). La delinquance juvénile stigmatisée. Genève: Université de Genève.

        [ Links ]

Pólvora, F. (1986). Tratamento psicoterápico da delinquência juvenil. III Jornadas de Psiquiatria S. João de Deus. Lisboa: Editorial Hospitalidade.

        [ Links ]

Rodrigues, M., & Machado, C. (1999). Perfis sócio-familiares e risco de delinquência. Actas do Congresso Crimes Ibéricos. Instituto de Educação e Psicologia. Centro de Estudos em Educação e Psicologia. Universidade do Minho.

        [ Links ]

Rae-Grant, N., McConville, B., Kenned, J., Vaug, W., & Steiner, H. (1999). Violent behavior in children and youth: preventive intervention from a psychiatric perspective. Journal of the American Academy of Child & Adolescent Psychiatry, 38 (3), 235-241.

        [ Links ]

Romm, S., Bockian, N., & Harvey, M. (1999). Factor-based prototypes of the Millon adolescent clinical inventory in adolescents referred for residential treatment. Journal of Personality Assessment, 72 (1), 125-143.

        [ Links ]

Rutter, M. (2000). Psychosocial influences: critiques, findings and research needs. Development and Psychopathology, 12, 375-405.

        [ Links ]

Ventura, J. (1999). Nascer e não ter sorte... Ser jovem, deserdado e delinquente... Actas do Congresso Crimes Ibéricos. Instituto de Educação e Psicologia. Centro de Estudos em Educação e Psicologia. Universidade do Minho.

        [ Links ]

Veríssimo, M. (1990). A Psicologia Comunitária e o sistema judicial: uma nova forma de olhar e intervir sobre a delinquência. Análise Psicológica, 8 (2), 203-209.

        [ Links ]

Vitaro, F., Brendgen, M., Pagani, L., Tremblay, R., & McDuff, P. (1999). Disruptive behavior, peer Association, and conduct disorder: Testing the developmental links through early intervention. Development and Psychopathology, 11, 287-304.

        [ Links ]

 

(*) Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Almada.

 

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons