SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número4Estudo conservador de adaptação do Ways of Coping Questionnaire a uma amostra e contexto portuguesesArriscar morrer para sobreviver: olhar sobre o suicídio adolescente índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.19 n.4 Lisboa out. 2001

 

Uma análise da dependência de drogas numa perspectiva fenomenológica existencial

 

FABIANO MATOS SIPAHI (*)

FERNANDA DE CAMARGO VIANNA (**)

 

 

RESUMO

Neste artigo, os autores analisam o fenômeno da dependência de drogas através do ponto de vista fenomenológico existencial.

Considerando que a existência humana não é um fato completo e acabado, mas sim uma tarefa que requer cuidado, a dependência é concebida como uma tentativa de alívio da necessária tarefa de cuidar de ser. Assim, para compreender este fenômeno, serão focalizados alguns aspectos fundamentais da condição humana, tais como temporalidade e abertura existencial.

Por fim, proporciona algumas considerações sobre psicoterapia.

Palavras-chave: Dependência de drogas, fenomenologia existencial, psicoterapia.

 

ABSTRACT

In this paper the authors analyze drug addiction phenomenon through the existential and phenomenological point o view.

Considering that human existence is not a complete and finished fact, but a task which requires «care», drug addiction is conceived as an attempt to relief the necessary task of taking care of being. In order to comprehend this phenomenon, some fundamental aspects of human condition as temporality and existential openness are focus.

Finally some considerations about psychotherapy are provided.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Heidegger, M. (1995). Ser e tempo. Petrópolis: Ed. Vozes.        [ Links ]

Olievenstein, C. et al. (1989). O sofrimento do sujeito desintoxicado. In A clínica do toxicômano - A falta da falta. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas.         [ Links ]

Pessanha, J. (1999).Sabedoria do nunca. São Paulo: Ateliê Editorial.         [ Links ]

Sonenreich, C. (1982). A maconha na clínica psiquiátrica. São Paulo: Ed. Manoli.        [ Links ]

 

 

(*) Equipe de Saúde Mental do Projeto Qualis I (em parceria com o Hospital Santa Marcelina) - Programa de Saúde da Família - Secretaria da Saúde do Governo do Estado de São Paulo.

(**) PROAD - Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes - Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons